/* Excluido depois do Upgrade do Google em 25 de Outubro de 2009 Fim da exclusao */

terça-feira, junho 30, 2009

O DESAFIO DE TRADUZIR A BÍBLIAA Bíblia é o livro mais divulgado do mundo! Já foi traduzida para 2.454 idiomas, mas ainda falta traduzir a obra para cerca de 4.500 línguas.
Em recente encontro entre as Sociedades Bíblicas (protestantes) e a Federação Bíblica Católica (Febic), realizado no Vaticano, foi assinado um acordo para favorecer a tradução e difusão da Bíblia. Considerado o livro mais divulgado do mundo, a Bíblia, já foi traduzida para 2.454 idiomas, mas, segundo o presidente da Febic Vincenzo Paglia, cerca de 4.500 linguas ainda não possuem versão da obra.
Na mesma reunião, Paglia disse que apesar do trabalho que vem sendo realizado por diversas religiões ao longo dos anos, Biblia foi traduzida integralmente apenas para 438 idiomas.
O Novo Testamento recebeu versões em 1.168 línguas e alguns livros, como os Evangelhos e os Salmos, foram traduzidos para 848 idiomas.
Segundo os últimos dados das Sociedades Bíblicas, foram distribuidas em 2006, quase 26 milhões de Bíblias, que só alcançaram de 1% a 2% dos dois bilhões de cristãos que existem no mundo.
>>>Link (à dir.) photOlink e a Revist@--@R

segunda-feira, junho 29, 2009

MOSQUITO NOSSO MAIOR INIMIGO Quase 1 milhão de pessoas morreram em 2008 por causa da malária, uma doença infecciosa causada pela picada do mosquito Anopheles, segundo o Relatório Anual da Malária divulgado, em setembro, pela Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, sete em cada mil pessoas infectadas morrem. A Região da Amazônia Legal é a que mais sofre com a doença, e registra 99,5% dos casos. Para tentar diminuir os danos da doença, a estratégia do Programa Nacional de Controle da Malária do Ministério da Saúde prevê diagnóstico precoce, tratamento imediato e controle do mosquito. Mais de 50% das ocorrências da doença no continente americano são registradas no Brasil. A OMS irá retificar o relatório, pois o documento afirmava que, em 2006, o País registrou 1,4 milhão de casos, quando, na verdade, foram notificados 549 mil.
Há quem pensa alterar os mosquitos geneticamente para impedir que transmitam doenças. Diversas equipes ao redor do mundo estão tentando modificar a sua programação genética para criar variações que não possam carregar parasitas. Se um grande número desses mosquitos modificados for lançado no ambiente, é possível que os genes se espalhem por toda a população desses animais e eles se tornem incapazes de fazer com que novas epidemias se alastrem. Por enquanto, as medidas de maior sucesso ainda são alguns inseticidas e a destruição dos lugares em que eles se reproduzem. Até que uma solução definitiva apareça, qualquer descuido pode ser fatal. Que o digam as mais de 120 000 vítimas de dengue registradas no Estado do Rio de Janeiro até o fechamento dessa edição.
Loucos por sangue:>>>Doença: MALÁRIA - Principal transmisor: ANOPHELES. Tem o corpo amarronzado e três longos aparelhos bucais na cabeça. Pousa com o corpo inclinado. SINTOMAS - Dores musculares e de cabeça, febre, calafrios, náusea, suor excessivo e, nos casos mais graves, deterioração dos rins e convulsões. CASOS NO MUNDO - "300 a 500 milhões por ano*>>>Doença: FEBRE AMARELA - Principal Transmissor - AEDES AEGYPTI. Também é chamado de pernilongo-rajado, por ter o corpo todo preto com linhas e articulações brancas. Tem asas claras e translúcidas. SINTOMAS - Febre, dores musculares e de cabeça, tremores, náusea. Em 15% dos casos, pele amarelada, sangramento na boca, nariz, olhos e deterioração dos rins. CASOS DO MUNDO - "200 mil por ano*
>>>Doença: DENGUE - Principal Transmissor - AEDES AEGYPTI. SINTOMAS - Febre, dor de cabeça, muscular e abdominal, fadiga e sangramento nas gengivas. CASOS DO MUNDO - "50 milhões por ano*
>>>Doença: FILARIOSE - (elefantíase). Principal Transmisor: CULEX PIPIENS, conhecido como mosquito doméstico tropical, alimenta-se durante a noite. SINTOMAS - Larvas no sistema linfático e, em alguns casos, elefantíase nos braços, pernas, seios ou genitais. CASOS NO MUNDO - "120 milhões de pessoas infectadas**>>>Doença: LEISHMANIOSE - Principal Transmissor: FLEBÓTOMOS. Também chamado de mosquito-palha, tem asas grandes e pernas compridas. SINTOMAS - Há quatro tipos, cada uma com sintomas diferentes, que vão de úlceras na pele a destruição de membranas, mucosas, febres e anemia. CASOS NO MUNDO - 12 milhões por ano*
>>>Doença: ONCOCERCOSE (Cegueira dos rios) Principal Transmissor: SIMULIÍDEOS, chamados de borrachudos, têm até 6 milímetros de comprimento e costumam picar durante o dia - SINTOMAS - Lesões oculares, cegueira, vertigem, tosse, elefantíase nos genitais, coceiras e despigmentação da pele. CASOS NO MUNDO - "180 milhões de pessoas infectadas".

>>>Veja também: revist@=@r, photolink e Google Indicações...

sábado, junho 27, 2009

Mistério do Lago Vostok
O Lago Vostok é uma massa de água sub-glacial localizada na Antártida, por baixo da Estação Vostok, um centro de investigação dirigido pela Rússia. (Nesta foto de satélite, ele está dentro do oval vermelho). Este lago permaneceu desconhecido durante muito tempo, graças ao seu peculiar enquadramento geográfico e permanece como uma das últimas zonas por explorar do planeta Terra. Só em 1996 se descobriu a sua verdadeira extensão. O lago Vostok tem uma forma elíptica com 250 km de comprimento e 40 km de largura cobrindo uma área de 14 mil km². O seu fundo é irregular e divide-se em duas bacias, a mais profunda com cerca de 800 m e a outra com 200 m. Calcula-se que o lago contenha um volume de 5.400 km³ de água doce. Está totalmente protegido da atmosfera e outros contactos com o exterior por uma espessura de 4 km de gelo antártico. O tempo de residência da água no Lago Vostok é cerca de 1 milhão de anos; por comparação, no Lago Ontário (de dimensões semelhantes) este valor é de seis anos. Este facto leva a que o ambiente químico do lago seja extremamente oxidante, com concentrações de oxigénio 50 vezes superiores ao lagos normais. O gelo que se encontra na zona entre o lago e os em média 100 metros subsequentes é conhecido por gelo acreccionário que se crê ser derivado do congelamento da água do próprio lago. Esta característica faz desta zona uma potencial amostra do que se encontra por baixo e é, até à data, o único local colhido para amostragem. A espessura de gelo acreccionário aumenta de Sul para Norte, de acordo com o fluxo do gelo no sentido do Oceano Índico. A origem do lago Vostok é, segundo a opinião da maioria dos cientistas, um lago normal que foi coberto por gelo, à medida que se desenvolveram os glaciares da calota polar da Antártida. Esta submersão deve ter ocorrido a partir dos 30 milhões de anos atrás e terminou há 15 milhões de anos. É há esta quantidade de tempo que o lago e suas eventuais formas de vida se encontram isolados e um dos motivos que lhe traz interesse científico.
Dadas as condições do lago, os únicos organismos, se presentes, devem ser micróbios ou bactérias, possivelmente de estirpes totalmente novas para a Ciência. As formas de vidas existentes há 15 milhões de anos eram diferentes das atuais e acredita-se que este período de tempo possa ter conduzido à evolução de novas espécies.
No próximo fim de semana, MUNDO INSÓLITO estará apresentando: "O avião que atravessou os EUA sem sinal de vida dos ocupantes".
>>>Veja também:
revist@=@r, photolink e Google Dicas...

quinta-feira, junho 25, 2009

O caminho dos CANGACEIROS (Em Pernambuco um roteiro turístico para quem quer seguir os passos de Lampião)
Em 2008, no mês de julho, quando a morte de Lampião competou 70 anos, Pernambuco através de sua empresa de Turismo - (Empetur), lançou um novo roteiro turístico, a "Rota do Cangaço". Embora o grupo tenha passado por todo o sertão, o caminho inclui os seis municípios onde Lampião e o seu bando marcaram presença. "Mais do que parte do cangaço, as cidades escolhidas transbordam cul
tura", diz Márcia Borborema, gerente da Empetur.
Expoente do bando, o "Rei do Cangaço", como Lampião é conhecido, e visto, ora como herói popular - pelos que dizem ser ele o defensor dos humildes contra os coronéis -, ora como bandido sem piedade que ganhava respeit com sangue no facão no sertão nordestino.
O passeio começa (conforme mostra mapa ao lado), por Triunfo e segue por Santa Cruz da Baixa Verde, onde é possível visitar engenhos e acompanhar a produção artesanal de rapadura. No meio do roteiro, chega-se a Serra Talhada, onde está a casa onde Lampião nasceu. Lá também é possível ver apresentações de xaxado, dança típica, assim nomeada devido ao ruído que que as sandálias dos cangaceiros faziam ao arrastarem sobre o solo. O passeio acaba em São José do Egito, cidade conhecida por cantadores e repentistas e pelos festivais de música.
>>>Veja também: revist@=@r, photolink e Dicas do Google...

quarta-feira, junho 24, 2009

TERRA DA CORRUPÇÃO E DA PROPINA
CORRUPÇÃO EM ALTA NO BRASIL: CERCA DE R$ 160 BILHÕES ANUAIS SÃO PRATICADOS EM CRIMES DO COLARINHO BRANCO. A corrupção e as fraudes consomem 6% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, e há uma expectativa que as operações financeiras suspeitas poderão crescer até 100%. só neste ano, mas a coisa não para nos peixes maiores, ao se comprovar que quase um quinto dos servidores públicos admitem já ter recebido suborno.
(Na foto ao lado R$ 1 milhão apreendido na Operação Satiagraha) >>>
A sensação pode ser conhecida de muitos brasileiros, mas o que não passava de impressão agora é comprovado: quase um em cada cinco funcionários públicos (18,1%) garante que já recebeu propina, de acordo com a pesquisa “O Padrão de Conduta Ética dos Servidores Públicos”, realizada pela Universidade de Brasília (UnB) sob encomenda da Comissão de Ética da Presidência da República. Foram ouvidas 1027 pessoas em seis estados (SP, RJ, MG, PA, PB e PR) e no Distrito Federal. Outro levantamento, da Controladoria-Geral da União, indicou que, entre 2004 e 2007, o Governo Federal demitiu 1.382 servidores públicos, sendo 460 por improbidade administrativa (tirar vantagem própria do cargo ocupado), 133 por receberem propina e 138 por lesarem os cofres da União. Ou seja, mais da metade das causas de demissão envolvem, de alguma maneira, a corrupção ou mau uso das funções públicas. Na pesquisa da UnB, 22% dos servidores garantiram que já deixaram de cumprir a lei e, mesmo com 51% considerando-se éticos, 8,5% declararam que o cargo foi obtido por nepotismo. Já entre as 2 mil pessoas consultadas que não exercem serviço público, quase metade acredita que os servidores são despreparados. No entanto, 50,3% garantiram que, no lugar deles, também empregariam parentes. “É surpreendente que 78% dos não servidores admitam ter cometido alguma ilegalidade. Também verificamos que a propina e o nepotismo são parte da nossa cultura, onde há confusão muito grande entre público e privado. Desse modo, o funcionário público nada mais é do que um reflexo da sociedade. O objetivo agora é montar uma campanha para falar a respeito de se seguir a lei e de que o servidor público tem de servir de modelo”, analisa Ricardo Caldas, professor de Ciências Políticas e coordenador da pesquisa. O primeiro passo será dado pela Comissão de Ética, que, segundo a secretária-executiva Julia Castro, enviará ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva medidas para aprimorar o Código de Conduta da Alta Administração Federal, o que não impedirá a própria Comissão de Ética de adotar ações preventivas e/ou corretivas para fortalecer o respeito e a confiança dos brasileiros nos agentes públicos. Quando será aplicada a mesma energia nos crimes do Colarinho Branco. A quem interessa abafar essa corrupção chapa branca? Os proprios?
>>> Veja também: revist@=@r, photolink e Indicativos Google...

segunda-feira, junho 22, 2009

Geleiras no Ártico derretem "mais rápido" que o previsto
Volume das camadas de gelo do oceano foi reduzida em 38% de 1979 a 2000

(Dos nossos colaboradores em Houston - TX, Roberto Jr. e Bruno Kirsten)
Satélite da Nasa mostra a situação do Oceano Ártico, que derreteu atingindo o seu segundo nível mais baixo neste verão, mostrando uma tendência de derretimento que, confirma as mudanças climáticas mundiais, disseram cientistas da Nasa.
O derretimento das geleiras no Ártico acontece "muito mais rápido" que o previsto até então, e se aproxima do "ponto de não retorno", segundo um estudo publicado esta semana, pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF). A calota glacial da Groelândia, com o volume atual estimado em 2,9 milhões de metros cúbicos, e as geleiras do Oceano Ártico, avaliadas em 4,4 milhões de metros cúbicos em setembro de 2007, estão nos níveis mais baixos jamais observados, segundo a organização. O volume das camadas de gelo do oceano conheceu uma redução de 39% em relação ao volume médio observado entre 1979 a 2000. "As mudanças recentes constatadas no Ártico se produzem a uma taxa muito mais rápida do que o previsto", pela Avaliação dos impactos da Mudança Climática no Ártico (Acia), publicada em 2005, e o relatório do Painel Intergovernamental para Mudanças Climáticas de 2007, conclui o WWF. O derretimento da calota glacial da Groelândia e da cobertura glacial do Ártico está próxima do "ponto de não retorno", além do que a situação será irreversível, estima a organização internacional. "Quando analisamos detalhadamente as pesquisas científicas sobre as recentes mudanças no Ártico torna-se dolorosamente claro que nossa compreensão do impacto do aquecimento climático está a reboque das mudanças observadas no Ártico", declarou Martin Sommerkorn, um dos autores do relatório. O WWF publica seu estudo por ocasião de uma reunião do Conselho do Ártico, uma organização que reúne os países nórdicos (Estados Unidos, Rússia, Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia), nesta quinta-feira nas ilhas Lofoten, na Noruega. Os cientistas da WWF alertam para o desaparecimento dos ursos polares do Canadá, onde vivem dois terços da população mundial dessa espécie. "Estudos anteriores prevêem que o derretimento das geleiras nos mares do norte levaria à extinção de algumas populações de ursos polares por volta de 2050. Mas novos elementos destacam que a extinção em algumas regiões poderia acontecer mais rapidamente", destaca Peter Ewins, diretor da conservação das espécies da WWF-Canadá.

>>> (Link à direita), o photolinK, a Revist@--@R e o Google Dicas...

sexta-feira, junho 19, 2009

FORA DA TRIBO
A maioria dos índios brasileiros vive longe das aldeias. Na cidade, eles sofrem com a pobreza e acabam deslocados e sem identidade, com a perda das tradições.
A maioria dos índios brasileiros vive longe das aldeias. Na cidade, eles sofrem com a pobreza e acabam deslocados e sem identidade, com a perda das tradições Depois de 1516 anos da chegada dos europeus no continente americano, em 12 de outubro de 1492, os povos indígenas ainda sofrem com o descaso. Segundo dados do Banco Mundial, de 2007, 80% dos índios latino-americanos vivem na extrema pobreza. No Brasil, a precariedade nas aldeias empurra os indígenas para áreas urbanas – 441 mil dos 551 mil índios vivem em cidades e apenas 231 mil têm ocupação, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2007. Para Dimas Nascimento (foto), presidente de uma ONG, faltam políticas públicas para esse grupo. Segundo ele, as dificuldades para obter a identidade indígena, emitida pela Fundação Nacional do Índio (Funai), agravam o problema, pois, sem ela, os índios não podem se beneficiar dos serviços públicos destinados a eles, como o atendimento de saúde da Fundação Nacional de Saúde (Funasa). “Eles (a Funai) diziam que saindo da aldeia a gente não tinha mais direito a nada. Como se tivéssemos deixado nossa identidade para trás”, lembra Rejane Silva, de 35 anos (foto), índia nascida em Tacaratu (PE), onde fica a aldeia dos pankararu, e moradora de São Paulo desde os 14. “Se na aldeia a gente tinha direitos, por que não temos mais na cidade? A cidade cresce em torno da aldeia. As melhores terras são invadidas. O indígena é obrigado a sair para sobreviver”, diz Rejane, que no final de 2.008, pasou a fazer parte do restrito grupo de índios formados em Direito no País. Para a Funai, “índios urbanos” são uma questão recente que ainda precisa ser absorvida. “O atual presidente da Funai, Márcio Meira, foi o primeiro a reconhecer publicamente que os índios fora das aldeias não deixam de ser índios. É um grande avanço. Agora, é preciso que eles usem o poder de voto para eleger pessoas que lutem por eles”, declarou a assessoria de imprensa da Fundação. Entre os mais de 60 mil pankararus na Grande São Paulo, cerca de 700 moram na precária favela do Real Parque. Devido à organização da comunidade, estão entre os que conseguem com mais facilidade o acesso à identidade indígena. Dimas Nascimento, presidente da organização não-governamental (ONG) criada ali para defender a etnia, lembra que o preconceito atrapalha para conseguir emprego. “O índio só se apresenta como tal depois dos 3 meses de experiência”, relata. Nas cidades, além de enfrentar precariedade dos serviços oferecidos à polulação, os índios têm as particularidades de cada cultura ignoradas. “A mulher guarani usa a placenta para um ritual pós-parto. Como os hospitais não têm conhecimento disso, ela prefere ter o bebê em casa, às vezes sem segurança”, conta Aguiar. Ele também aponta problemas na educação. “O que escolas ensinam sobre a cultura indígena? Praticamente nada. Um povo que não tem história não tem como lutar por direitos”, conclui.
>>>Veja também: revist@=@r, photolink e Google Indicações...

quinta-feira, junho 18, 2009

Alpes molduram a charmosa Innsbruck
Com céu quase sempre azul, cidade austríaca mistura legado histórico a esportes de neve
Imagens cedidas pela "Innsbruck Turismo" a cidade de Innsbruck na Àustria: (1) - A linda cidade de Innsbruck, tendo os Alpes, com seu eterno cenário; (2) - O rio Inn, que corta e dá nome a cidade; (3) - O centro da cidade é servido por bondes; (4) - Vista aérea do castelo de Ambras; (5) - A todo momento é posível observar a beleza das montanhas Nordekette.







Localizada aos pés dos Alpes e com uma energia incrivelmente encantadora, Innsbruck, na Áustria, é uma das únicas cidades européias a misturar esportes de neve e legado histórico. O charme da cidade vem da combinação perfeita entre modernas estruturas e edificações históricas, como as do tempo do imperador Maximiliano
Innsbruck (Insbruque) é uma cidade no oeste da Áustria, e capital do Estado do Tirol. Está localizada entre a Italia e a Alemanha, e é cortada pelo Rio Inn, de onde vem seu nome. A palavra bruck tem sua origem na palavra alemã Brücke, que significa "ponte", o que leva a cidade a chamar-se "Ponte do Rio Inn". Localizada no vale do Inn, a cidade está no meio de altas montanhas, como o Nordkette Hafelekar (2.334 m) ao norte, o Patscherkofel (2.246 m) e o Nockspitze (2.403 m) ao sul. Innsbruck é um renomado centro de esportes de inverno, sendo sede das olimpíadas de inverno nos anos de 1964 e 1976.
>>>Link (à dir.) deste blog - Revist@--@R, photolink e Google Indicações...

quarta-feira, junho 17, 2009

CORAIS NA LISTA DE ESPÉCIES AMEAÇADAS
A Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas de Extinção de 2008, divulgada pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), aponta 16.306 espécies criticamente ameaçadas
188 a mais do que no ano passado. Pela primeira vez, os corais foram incluídos no relatório: dez espécies das ilhas Galápagos (Equador) correm risco. Duas delas – o coral Floreana e o coral de Wellington – estão criticamente ameaçadas e outra, a Polycyathus isabela, foi considerada vulnerável. O relatório, que inclui também gorilas, golfinhos e abutres, entre outros, cita ainda 74 espécies de algas marinhas de Galápagos, dez delas criticamente ameaçadas. As principais causas da ameaça à biodiversidade marinha no arquipélago foram atribuídas à alta temperatura do oceano Pacífico, provocada pelo El Niño, e à pesca predatória. A lista completa da IUCN reúne 41.415 espécies, um aumento de 785 em relação à edição anterior, e mostra que um em cada quatro mamíferos, um em cada oito pássaros, um terço de todos os anfíbios e 70% das espécies vegetais estão em perigo.
Fotos: (1)- Uma formação do coral Floreana; (2)- Peixe da espécie "Paracheilinus"; (3)- Peixe "Pterocaesio pode ser visto em imensos cardumes nos corais mais profundos, (4)- Peixe "Pterocaesio" pode ser visto também, em imensos cardumes nos corais mais profundos. Fonte: "Ciência Hoje" >>>Veja também: revist@=@r, photolink e Google Indicações...

sábado, junho 13, 2009

CAVALO-MARINHO do tamanho de uma UNHA! (Este minúsculo animal é apenas uma entre dez espécies muito curiosas que foram descritas em 2008)
O cavalo-marinho Hippocampus satomiae é quase do tamanho de uma unha (foto fornecida pelo Museu Victoria/Rudie Kuiter). No ano de 2008, pesquisadores do Instituto Internacional para a Investigação de Espécies, da Universidade do Estado do Arizona, nos Estados Unidos, junto com uma comissão internacional formada por cientistas que pesquisam e identificam novos seres vivos: os taxonomistas. O objetivo da listagem é de alertar para a importância dessa área da ciência e também para a necessidade de se preservar a variedade de seres vivos que existem no planeta. Nela, foram encontradas plantas e animais que se destacam por serem muito pequenos, muito compridos ou mesmo improváveis de achar, como este Pônei marinho, ou seja um pequeno cavalo marinho. Nesse caso específico, ele foi classificado como Hippocampus satomiae! Ele é pouco maior do que um centímetro – tem 13,8 milímetros de comprimento e 11,5 milímetros de altura, e foi encontrado na Indonésia. A espécie ganhou o nome satomiae em homenagem a Satomi Onishi, mergulhadora que colecionava exemplares do bicho. (Fonte: Ciência-Hoje)
>>> Veja também: revist@=@r; photolink e as Dicas do Google...

sexta-feira, junho 12, 2009

Um guarda-sol para refrescar a Terra
Medidas urgentes exigidas pelo aquecimento estimulam resoluções próximas da ficção científica. Mas nenhum método é uma solução mágica
NUVENS DE PÁRA-SÓIS no espaço, como nesta concepção artística de uma sombra na Terra, podem abrandar o aquecimento do planeta
Quando David W. Keith, físico especialista em energia da University of Calgary, em Alberta, Canadá, dá palestras sobre geoengenharia, enfatiza sempre que essa idéia não é nova. De fato, não é de hoje que se tem pensado em alterar deliberadamente o clima da Terra para reverter o aquecimento global. Isso vem acontecendo desde que se começou a falar em aquecimento global. Já em 1965, quando Al Gore era calouro na universidade, um painel formado por especialistas ambientais prevenia o presidente Lyndon B. Johnson de que as emissões de dióxido de carbono (CO2) de combustíveis fósseis poderiam provocar “mudanças profundas no clima” e que elas “poderiam ser nocivas”.Àquela época, os cientistas não só consideraram a hipótese de reduzir as emissões, mas também tinham uma idéia em mente: “espalhar pequenas partículas refletoras” sobre cerca de 12,8 milhões de km2 de oceanos, para defletir cerca de 1% adicional da luz do Sol de volta para o espaço “uma solução maluca da geoengenharia”, comenta Keith, “que na verdade não funciona”.As idéias de geoengenharia sobreviveram, nas décadas seguintes, mas sempre foram postas à prova – eram consideradas, por cientistas e ambientalistas, como tentativas tolas e até imorais de encaminhamento para o aquecimento global. Três fatos recentes reativaram essas idéias.O primeiro, apesar de anos de conversações e tratados internacionais, é que as emissões de CO2 estão aumentando mais rápido que o pior cenário imaginado até 2007 pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC). “A tendência é haver um aumento crescente da dependência do carvão”, avalia Ken Caldeira, especialista em modelagem climática da Carnegie Institution of Stanford,.Califórnia.
Amanhã e domingo acompanhe mais um Mundo Curioso... >>> (Link à dir.): revist@-@r, photolink , e as Google Indicações...

quinta-feira, junho 11, 2009

LISBOA

LISBOA, BELEZA DE CIDADE DO INTERIOR!
Fotos: (1) - Parque Eduardo VII, o maior do centro de Lisboa do qual se pode ver ao fundo a Pça. Marques de Pombal e o rio Tejo; (2) - O bairro de Alfama conserva toda a tradição da cidade; juntamente com o bairro de São Jorge, na foto (3). (4) O centro de Lisboa apesar de cada vez mais moderno, não abremão do seu passado, como o tranporte urbano que ainda conserva os bondes.
A Capital de Portugal, Lisboa, mantém seu charme e tranqüilidade como uma pequena cidade do interior. Banhada pelo rio Tejo, preserva uma arquitetura peculiar de ruas estreitas, casas antigas e prédios com azulejos - repare nesta arte que não se vê tão intensamente em nenhum outro país. O espírito saudoso comprova-se em agradáveis caminhadas pelos bairros tradicionais e passeio em bondinhos que, para nós, brasileiros, pode significar uma viagem às nossas raízes. Vale se organizar para conhecer as diferentes áreas, a região do Chiado, o Rossio, a Baixa, o Catelo, descer até o Alfama, pegar um bondinho até Belém. Lá, além de subir no Monumento dos Descobrimentos, não deixe, em hipótese alguma, não importa quantas calorias você calcule que tenha, de provar o pastel de nata. Depois de tudo isso, aí sim, você talvez esteja preparado para partir. O turismo é a maior aposta de Portugal neste novo milênio, e são bem visíveis os investimentos que o país vem recebendo, tendência notória desde a Expo 98, em Lisboa. Felizmente, como tantas outras cidades menores, a capital portuguesa ainda mantém uma nostálgica atmosfera provinciana, cenário perfeito para um viajante
>>>Veja também: a revist@=@r, photolink e Dicas do Google...

terça-feira, junho 09, 2009

BRASILEIROS NO GELO
A primeira expedição nacional ao interior da Antártica já começou
Fotos divulgação: (1) - Um típico acampamento na Antártica, para se locomover durante a expedição ao interior do continente gelado. Brasileiros contarão com motos para a neve e aviões equipados com esquis ; (2) - Até hoje, a presença do Brasil na Antártica está restrita à costa do continente (em verde). Pela primeira vez, uma expedição do país explorará o interior do território antártico (em amarelo). Fonte: "Ciência-Hoje" Imagine que você recebeu um convite inusitado: passar 40 dias sob uma temperatura de 35 graus abaixo de zero, acampado sobre geleiras, no interior da Antártica. Você aceitaria? Pois, no início deste ano, uma equipe formada por oito pesquisadores – sete deles, brasileiros – deixou o conforto dos seus lares para viver essa rotina. Membros do Programa Antártico Brasileiro, eles estão participando da primeira expedição que o Brasil promove ao interior da Antártica, uma região que tem muito a revelar, sobre o clima do nosso planeta. Gelo que fala sobre clima.
A Antártica é um continente com área de 13,6 milhões de quilômetros – o equivalente a pouco mais de um território brasileiro e meio. O Brasil mantém na região uma estação de pesquisa, a Estação Antártica Comandante Ferraz, mas, até o momento, a presença do nosso país no continente gelado estava restrita às proximidades da costa. Desta vez, porém, a proposta era ir mais longe. Para você ter uma idéia, a missão conta com um acampamento – que rstá funcionando como base – a cerca de dois mil quilômetros ao sul da Estação Antártica Comandante Ferraz, já sobre o manto de gelo que cobre o continente. Desse acampamento, parte do grupo ainda avançará mais 400 quilômetros em uma das regiões mais isoladas da Antártica, o Monte Johns, onde serão feitas perfurações do gelo para investigar as variações do clima e da química da atmosfera ao longo dos últimos 500 anos. É importante estudar o gelo da Antártica porque ele arquiva nas suas camadas a evolução da atmosfera do planeta, além dos eventos que a atingiram ao longo do tempo. Além disso, o gelo é um dos principais elementos a controlar o clima da Terra e o nível dos mares. Basta dizer que, se todo o gelo do continente gelado derretesse, o nível médio dos mares aumentaria 60 metros. Portanto, não faltam motivos para os cientistas brasileiros trocarem o calor do nosso país pelo frio da Antártica. Se você quiser, pode acompanhar essa aventura pela internet, na página da
Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Então, mantenha-se conectado e... que venham muitas boas notícias do gelo!
>>> Acompanhe todos os - Finais de Semana -. a série "MUNDO CURIOSO'

segunda-feira, junho 08, 2009

Armas, veículos e técnicas de guerra que pareciam exclusivas da ficção científica estão prestes a virar realidade. Dinheiro para pesquisas não falta no mercado que movimentou, em 2007, cerca de US$ 1,3 trilhão (R$ 2,8 trilhões), segundo o Instituto Internacional de Pesquisas sobre a Paz, da Suécia. “A evolução tecnológica atua em todos os segmentos e, conseqüentemente, no de armamentos. Procura-se criar as chamadas ‘armas cirúrgicas’, que somente causam danos em alvos selecionados e não em inocentes”, avalia Carlos Afonso Gambôa, vice-presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança. Os Estados Unidos não gastavam tanto em armas desde a Segunda Guerra Mundial e devem apresentar dois sistemas a laser. Um é o silencioso e invisível ATL (sigla em inglês para tático laser avançado) - (foto acima), que atinge alvos a até 20 quilômetros de distância e nos quais a força aérea norte-americana investiu agora US$ 30 milhões (R$ 66 milhões) para novos testes a fim de melhorar a precisão. O outro é o canhão de defesa THEL (tático de alta energia), feito em parceria com Israel e constituído de sistema de espelhos com raios para interceptar mísseis.Há ainda uma arma, batizada de Medusa (foto acima), que provoca sensação de eletrochoques nas pessoas. Também há estudos para outra arma que dispara 12 mil projéteis por minuto e um míssil hipersônico, que utiliza a energia acumulada ao sair e voltar daatmosfera para vaporizar o alvo. O Ministério de Defesa da Grã-Bretanha anunciou, há 1 ano, um tanque invisível ao olho humano. Funciona como uma camuflagem digital. Câmeras de vídeo registram imagens em tempo real do local onde o veículo está e as projetam na superfície dele. Dessa forma, o tanque vira um grande telão com imagem igual à da paisagem onde ele se encontra.
>>> Veja também: revist@=@r, photolink e Dicas do Google...

sexta-feira, junho 05, 2009

Ameaça de doenças respiratórias ligadas à queima da floresta Na estação seca, quando se concentram as queimadas na Amazônia, a qualidade do ar de pequenas cidades da região chega a ser pior do que a verificada em grandes capitais poluídas do Brasil (foto: United States Forest Service).
A relação entre a queima da floresta amazônica e o aumento de doenças respiratórias da população local já era conhecida pelos pesquisadores. Agora, uma equipe de cientistas da Escola Nacional de Saúde Pública, vinculada à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), acaba de propor um novo indicador que permite avaliar o risco à saúde associado às queimadas. O indicador em questão é o índice de material particulado – o conjunto de partículas sólidas em suspensão no ar em decorrência das queimadas – presente na atmosfera. O grupo mostrou que existe uma relação entre o grau de exposição a esse material e a taxa de hospitalização das populações expostas a ele. A equipe trabalhou com o material particulado com 2,5 micrômetros de diâmetro (PM 2,5) que, em função do seu tamanho diminuto, tem grande penetração nos pulmões e é nocivo à saúde. "Este é o primeiro estudo que mostra a associação de doenças respiratórias à exposição do PM 2,5 na Amazônia", explica a bióloga Sandra Hacon, que apresentou os resultados do trabalho no Fórum Internacional de Ecossaúde, realizado em Mérida, no México. O grupo de Hacon comparou os índices de material particulado na atmosfera e o número de hospitalizações por doenças respiratórias de crianças e idosos, mais vulneráveis à poluição do ar. O trabalho foi feito na região de Alta Floresta, no Mato Grosso, que tinha os piores indicadores de saúde para doenças respiratórias no estado entre 2000 e 2004. Os resultados mostram que, quando a exposição ao material particulado considerado passou de um determinado patamar, a taxa de hospitalização de idosos aumentou 7%, e a de crianças, 10%. Para as outras faixas etárias, o aumento foi de 5%. Na avaliação de Sandra Hacon, esses resultados devem ser levados em conta na formulação de políticas públicas para combater as queimadas. "O estudo traz informações relevantes para que os tomadores de decisão na Amazônia reforcem as estratégias de prevenção e controle da queima de biomassa", afirma.
Fonte: "Ciência Hoje"
>>> Veja também: revist@-@r, photolink e Google Indicações...

quinta-feira, junho 04, 2009

REPÚBLICA DOMINICANA, UM PARAÍSO NO CARIBEFotos: (1) - Avião sobrevoando o Caribe, nesta foto que recebeu o nome de "Dream of the rainbow" se preparando para o pouso em Santo Domingo, capital da República Dominicana; (2) - A praia de San Pedro de Macoris a 60 km de capital; (3) - a de Boca Chica a 30 km da Capital; (4) e o lindo crepúsculo em La Romana a 100 km de Santo Domingo. A capital da República Dominicana é Santo Domingo, na costa caribenha, foi fundada em 1496. Em 1697, a terça parte da ilha do lado ocidental foi cedida à França. Um século depois, toda a ilha Hispaniola passou ao controle francês. Em 1809, os franceses do lado oriental foram expulsos e a região foi reocupado pela Espanha de 1814 até 1821, quando José Nuñez de Cáceres, proclamou a independência. Tropas do Haiti ocuparam a região em 1822 e a mantiveram sob seu domínio até 1844, quando Juan Pablo Duarte e Pedro Santana lideram a libertação da República Dominicana. O país volta a anexar-se à Espanha em 1861 e reconquist a independência definitiva em 1865. Este é um país que oferece muitas atrações turísticas Situado no centro do mar do Caribe, é banhado ao norte pelas águas do Oceano Atlântico e ao sul pelo Mar do Caribe. Dos 76.192Km2 da ilha que comparte com a República do Haiti, pertencem a República Dominicana 48.442 Km2, e suas praias cujas cores vão desde o branco até o dourado, estendem-se por 1.516 km com temperaturas agradáveis o ano todo, com uma natureza deversificada, repleta rios, cachoeiras, paisagens montanhosas, florestas tropicais, mais de 300 variedades de orquídeas, coqueiros que se perdem no horizonte, iguanas, crocodilos e a "cotorras" verdes (periquito), o símbolo da ilha. Mas o maior prazer será desfrutar da amabilidade, solidariedade e sorriso da gente, a mais cálida do Caribe, que contagia com seu espírito de alegria e festa no inconfundível rítmo de um "saboroso" merengue
>>>Lembretes: 1) Neste fim de Semana, veja mais um excelente artigo em MUNDO CURIOSO; 2) Veja também, a revist@-@r, photolink e o Google Indicações...
/* Atualizacao do Google Analytics em 25 de Outubro 2009 */