/* Excluido depois do Upgrade do Google em 25 de Outubro de 2009 Fim da exclusao */

quinta-feira, outubro 08, 2009

Blog-TUR

ECOTURISMO: NOVOS CAMINHOS ?Fotos: (1) - Retrâncias Maranhenses, além desta imagem, oferece ailhas e manguezais repletos de aves; (2) - O Maranhão é rico em cachoeiras paradisíacas, como esta exótica: Pedra Caída, (3) Praia do Forte "Polinésia brasileira" recebe a ilustre visita de tartarugas marinhas e baleias. E abriga o Projeto Tamar.
O Brasil tem paisagens deslumbrantes, grandes vastidões desabitadas, cachoeiras e rios de dar inveja. Abriga 22% da flora, 10% dos anfíbios e mamíferos e 17% das aves do mundo. Paraísos ecológicos espalham-se por 43% do território nacional, mas ainda assim, o país é um anão no ramo de coturismo, uma modalidade que rende fortunas a países sem tantos atrativos . Segundo o Instituto Interamericano de Turismo, o Brasil oferece apenas oito tipos de programas ecoturísticos nos Estados Unidos, enquanto a Costa Rica, com um patrimônio ecológico muito menor, apresenta 30 opções. Isso decorre, em parte, do pouco que até agora se sabia sobre os trechos da natureza com melhores condições de virar um pólo de lazer para turistas. Essa situação está mudando. Desde 2002. técnicos da EMBRATUR e do Instituto de Ecoturimo do Brasil, IEB, saíram em campo para realizar o primeiro levantamento desse potencial. E o resultado do mapeamento que já foi divulgado é cair o queioxo. “Descobrimos que o Brasil tem hoje mais de 100 roteiros ecológicos com potencial para a exploração turística”, diz Guilherme Magalhães coordenador da pesquisa . O estudo abrangeu todos os estados. A maioria dos locais tem natureza exuberante, mas a infra-estrutura turística, incluindo acesso e hospedagem, é incipiente. A identificação de novos roteiros coincide com a finalização de um ensaio fotográfico sobre o que existe de novidade no ecoturismo do país. Durante oito meses, o fotógrafo Araquém Alcântara -- o experiente especialista em fotos da natureza – percorreu milhares de quilômetros no país à procura de lugares de paisagens exuberantes inclusive trazendo à tona os novos destinos para o desenvolvimento do ecoturismo. Foram mais de 10.000 mil fotos de ilhas, manguezais repletos de aves, cerrados e santuários do meio ambiente.
Nosso editorial: "O avião da alegria"
Em 2002, a EMBRATUR, mapeou todos os pontos turísticos do Brasil. Nascia ai a esperança de se aproveitar o nosso enorme potencial turístico, para gerar milhares de empregos permanentes, e trazer muitas divisas para o Brasil, como fazem há décadas, Espanha e muitos outros países. Os EUA por exemplo, transformaram um deserto, num dos mais bem sucedidos pólos turísticos mundiais: Las Vegas, e atualmente os Emirados Árabes Unidos, ao sentirem o seu petróleo escasseando, estão mostrando ao mundo a alternativa encontrada: investir pesado no setor turístico, e estão transformando Dubai na mais incrível cidade turística do mundo. O que fez o nosso governo diante de todos esses dados levandos pela Embratur? Nada! Ou melhor, deixa de investir num setor permanente, para gastar quantias vultosas do tesouro, em eventos com duração semelhante a uma grande festa, porém, de vida efêmera, iguais aos Jogos Panamericanos, Copa do Mundo e Jogos Olímpicos. No Vôo da Alegria, que pousou em Copenhague, entre as mais entusiastas figuras estava Ricardo Leyser Gonçalves, atual secretário Nacional de Esporte (e que toda delegação sabia), que está convocado a prestar contas ao TCU, como o principal envolvido pelo superfaturamento nos jogos do Pan. Só para citar apenas duas das suas menores improbidades vamos citar: “O aluguel de ar condicionado que saiu mais caro do que o preço do aparelho e o pagamento até por selo de garantia de colchões. E no campo da corrupção o que podemos esperar, dos dois maiores eventos esportivos do mundo que ocorrerão em 2014 e 2016. Não é a toa que todo o pessoal do Vôo da Alegria, se empanturrou de beijos e abraços. E o turismo? os empregos permanentes que gera? e as divisas que atrai? Nada disso interessa. O país prefere mesmo é investir em eventos de repercução, porém, de curta duração e que permitem inclusive o superfaturamento. Lamentável !

Nenhum comentário:

Postar um comentário

/* Atualizacao do Google Analytics em 25 de Outubro 2009 */