/* Excluido depois do Upgrade do Google em 25 de Outubro de 2009 Fim da exclusao */

terça-feira, março 31, 2009

ENÍGMA

A ÚLTIMA VIAGEM DE REGRESSO
Morreu no mar - mas seus convidados conversaram com ele em Londres!
O fim do "Victória". Nesta foto raríssima do nosso arquivo, tirada a bordo do Collingwood, (em 1893) pode se ver o Victória afundando pela proa (à dir.). E (á esq.), o Nile, que recolheu os sobreviventes.
Exatamente às 15h34 do dia 22 de junho de 1893, o navio-almirante Victória da Marinha Real Inglesa, foi abalroado, afundando-se em seguida. Naufragou ao largo do porto de Trípoli no Mediterrâneo, com a perda de muitas vidas, entre as quais a do seu comandante - o almirante Sir George Tryon.
Ignora-se a razão porque Sir Geoge, um marinheiro experiente ordenou tão desatrosa manobra que causou o abalroamento. Mas alguns sobreviventes declararam tê-lo ouvido dizer, à medida que o navio se afundava: "A culpa foi toda minha."
No momento da colisão, a esposa Lady Tryon oferecia uma recepção em sua casa, em Eaton Square, Londres. Pouco depois das 15h30, os convidados viram a figura inconfundível do almirante atravessar a sala de visitas.
Quando assinalaram, cortesmente, a amabilidade de que Sir George dera provas de estar presente , Lady Tryon, que não vira a figura, explicou-lhes que o marido se encontrava no mar, a bordo do seu navio. Alguns dos convidados afirmaram, mais tarde, que haviam falado com o almirante, mostrando-se totalmente seguros de que se tratava indubitavelmente de Sir George, embora não tenha sido posível apurar se este lhes respondeu ou não.
O almirante nunca mais voltou a ser visto e o mistério quanto tantos outros permanece para sempre.
O ALMIRANTE NA PONTE DE COMANDO.
Imagem: Uma gravura da época representa Sir George Tryon a afundar-se com o seu navio.
>>>(Link à dir.), revist@-@r, photolink e Dicas Google...

sábado, março 28, 2009

FS - Maravilhas da Natureza

PATAGÔNIA: O LUGAR MAIS BONITO DO PLANETAA mais bela região do planeta é com certeza a Patagônia e só poderia estar localizado dentro desta vasta terra o ponto mais deslumbrante do mundo: a impressionante geleira Perito Moreno. Ela reúne todas as paisagens possíveis num mesmo lugar: rio, montanha, neve, vegetação, um imenso corredor de gelo da cor verde de 195 Km², etc. Os ateus que chegam pela primeira vez ao glaciar Perito Moreno passam a acreditar na presença de Deus.Monumento do Patrimônio Mundial, Glaciar surpreende os visitantes pelas dimensões e beleza. O Glaciar Perito Moreno, localizado no sul da Argentina, é um daqueles raros espetáculos de exuberância natural que despertam a consciência da fragilidade humana e fazem meditar sobre a dimensão do tempo. Enorme rio congelado com área de 195 km2, ele existe há pelo menos 30 mil anos e é uma das únicas geleiras do planeta que continua crescendo.
Sua aparência lembra um enorme castelo de gelo branco azulado e brilhante. Através de passarelas e escadarias de madeira é possível chegar a 200 metros de distância do paredão, que se eleva a mais de 30 metros acima do Lago Argentino e se estende por um vale até as montanhas. De vez em quando, enorme blocos - alguns do tamanho de automóveis - se desprendem e caem dentro d'água, com estrondo de trovões. A sensação de irrealidade hipnotiza os olhos.
>>>(Link a dir.), revist@-@r, photolink e Dicas Google

quinta-feira, março 26, 2009

Passeios noturnos apresentam pontos com histórias macabras de capitais do País
O fascínio por lugares com fama de mal-assombrados tem atraído turistas a passeios que misturam bom humor, história e folclore. Desde 2006, a Secretaria Municipal de Turismo do Recife (PE) realiza, gratuitamente, em noites de lua cheia e de sextas-feiras 13, a trilha “Lendas do Recife”, que recebe até 5 mil pessoas por edição. O roteiro inclui o rio Capiberibe, onde acredita-se que o fantasma Vira-roupas assusta as lavadeiras, e o Teatro Santa Isabel, onde há quem escute aplausos durante a noite. Enquanto turistas recebem vela e pergaminho, os guias representam lendas como Perna Cabeluda, que chuta pedestres e Laura Cemitério, conhecida por seduzir os homens que passam em frente ao cemitério Santo Amaro. “Elaboramos o roteiro para despertar o interesse da população pela história da cidade, onde são presentes lendas e a idéia do macabro”, descreve Renato Barbosa, um dos criadores do passeio. São Paulo também possui lendas, como a da loira do edifício Martinelli, no Centro, atração do passeio “São Paulo do Outro Mundo”. “Quando lançamos o circuito, em 2000, eram quatro vezes por ano. A procura foi tanta que agora fazemos uma vez por mês, com grupos de 20 a 42 pessoas. Brincamos com histórias de fantasmas, sem sensacionalismo”, afirma o criador Carlos Roberto Silvério. Para envolver o turista, é entregue um “kit lanche fúnebre”, embrulhado em papel negro e fita rocha, e o ônibus é decorado com teias de aranha, crânios e crisântemos (flores típicas de velórios), e tem música ambiente de vampiros e fantasmas. Entre os pontos visitados, estão os cemitérios do Araçá e da Consolação, o edifício Joelma, onde 200 pessoas morreram num incêndio; e o bairro da Liberdade, considerado o mais mal-assombrado, pois lá foi construído o primeiro cemitério da cidade. No Rio de Janeiro, entre 1994 e 2001, havia um passeio pelos lugares mais assutadores da Cidade Maravilhosa, caso do Teatro Municipal, onde há quem tenha visto o poeta Olavo Bilac (1865-1918) declamando o discurso de inauguração, e o Museu Histórico Nacional, que dizem ser palco de debates entre oradores fantasmas.
Fotos: (1) - De outro Mundo: No Recife dizem que o fantasma Vira- roupas assusta as lavadeiras à beira do rio Capibaribe, no trecho dos velhos casarões da tradicional rua Aurora; (2) - Assustador: O bairro da Liberdade, em São Paulo, ainda assusta muitos notivagos paulistanos que sabem que antes havia um cemitério no local; (3) - Fantasmas: Há quem diga que é possivel vê-los no Museu Histórico Nacional do Rio de Janeiro, o que já era noticia em 1994, pela imprensa.
>>>(Link à dir.) revist@-@r, photolink e Dicas Google

quarta-feira, março 25, 2009

O QUE SERIA DA TERRA SEM O SOL ?A TERRA ainda poderia sobreviver ao fim do SOL? Há uma nova esperança de que a Terra, mesmo que não haja vida nela, possa sobreviver a um apocalipse daqui 5 bilhões de anos. É quando, segundo os cientistas, o Sol esgotará o hidrogênio combustível e seu diâmetro inchará temporariamente mais de 100 vezes, se transformando em uma chamada gigante vermelha, engolindo Mercúrio e Vênus.Os astrônomos estão anunciando a descoberta de um planeta que parece ter sobrevivido à expansão de sua estrela local, sugerindo que há alguma esperança de que a Terra possa sobreviver ao envelhecimento do Sol. A TERRA sem os HUMANOS - Um jornalista científico americano analisa em livro como o mundo evoluiria se as pessoas se extinguissem. Em dois dias a água inundaria o metrô e mais tarde as ruas de todas as cidades rachariam. O autor propõe que cada casal só tenha um filho para evitar que o planeta se degrade mais.Imagine um mundo sem humanos. Um dia, de repente, o Homo sapiens se extingue. E então? Alan Weisman, um jornalista americano especializado em ciência, passou mais de três anos viajando por todo o planeta, falando com cientistas e especialistas para responder a essa pergunta. Se o ser humano desaparecesse, conclui Weisman, a natureza demoraria pouco para invadir as grandes cidades do planeta. Em dois dias a água inundaria o metrô de Nova York. Depois as ruas rachariam. Aos cinco anos o fogo assolaria a cidade. Aos 20, as principais avenidas teriam se transformado em rios. Em menos de 300 anos, cervos, ursos e lobos migrariam para a cidade. Os ratos que vivem dos restos humanos e as baratas acostumadas à calefação dos edifícios desapareceriam. A selva de asfalto acabaria se tornando uma selva de verdade, a natureza ganharia terreno."Tentei averiguar o que restará do que criamos?", Weisman explicou recentemente em um teatro em Manhattan-NY, para um público extasiado, durante um colóquio sobre "The World Without Us" [O Mundo sem Nós], o livro que descreve como seria o planeta sem os seres humanos. Esse foi exatamente um dos ensaios mais vendidos e debatidos no último verão nos EUA, país onde, na esteira do documentário do ex-vice-presidente Al Gore sobre a mudança climática, proliferam os cenários de apocalipse ecológico. O que restaria das obras humanas? De Nova York, pouco. Dentro de milhares de anos, quando o gelo cobrir a cidade, restariam a Estátua da Liberdade e as estátuas de bronze. Ficariam as cidades subterrâneas da Capadócia. Também o túnel do Canal da Mancha e os rostos dos presidentes dos EUA esculpidos no monte Rushmore. Desapareceriam a muralha chinesa - feita de material precário - e o Canal do Panamá - "uma ferida que a natureza tenta curar", segundo declara ao autor um funcionário dessa infra-estrutura - desapareceriam. Apesar do sucesso de vendas, a obra recebeu críticas severas. "Agora que decidiram que quase qualquer aspecto da existência humana é ruim para o meio ambiente - dirigir, comer carne, acender a luz, ter filhos, respirar...-, os verdes levarão o argumento até o limite. O problema é a existência humana", escreveu "The Wall Street Journal" em um editorial.
>>>Link (à dir.) e veja revist@-@r, o photolink e as Dicas Google

sábado, março 21, 2009

FIM DE SEMANA >>>(Relíquias da Humanidade)

PRAGA, REPÚBLICA TCHECA
Fotos: (1) - Várias pontes perpassam a cidade, destacando-se a popular ponte Charles; (2) - Praça central de Praga, uma das mais belas da Europa; (3) - Uma das ruas centrais da cidade e (4)- Rua Vltava (Moldavia em português), esta via corta toda a cidade.
Praga é a grande me
trópole do Leste Europeu. Não tanto pelo tamanho (1,3 milhão de habitantes), mas por suas características econômicas, seu engajamento político e suas qualificações culturais e artísticas. Atualmente investe-se muito no turismo, encarado como a grande captação de receita. Seus habitantes, bem mais do que no resto do país, estão aprendendo inglês e conhecendo a "modernidade do mundo ocidental". Nada disto afeta seu charme medieval e as peculiaridades de uma então pequena cidade que já foi subordinada a um império comunista. Com Igrejas, castelos, cemitérios, pontes, ruas, casas históricas, felizmente, com todas as guerras, revoluções e primaveras testemunhadas, Praga ainda reina majestosamente intacta e vibrante.
À noite, Praga oferece muitas opções, de música clássica e ópera à rock e jazz, apresentadas quase diariamente. Algumas opções são: Roxy Club, Dlouhá 33, antigo teatro transformado em discoteca, um grande espaço onde acontecem festas de diferentes tipos, especialmente dance e tecno, entrada 150Kc. Rock Café, Národní 20, templo do rock na cidade, funcionando até 3h. O público formado basicamente por turistas. Já foi melhor em tempos passados. Na rua Liliova, no número 10, um complexo de bares.
Centros de Informação: em Praga chama-se PIS (Prague Information Service) e fica no prédio da antiga prefeitura na praça central e na rua Prikope 20, perto da estação de metrô Námestí Republiky. Oferece informações gerais e mapas gratuitos (também obtidos em casas de câmbio).
>>>(A dir.) link: Google Dicas, photolink e a Revist@-@R

sexta-feira, março 20, 2009

Saúde na ponta das agulhas Tratamento tornou-se uma das especializações reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina e pela Associação Médica Brasileira.
A acumpura, prática chinesa milenar, é grande aliada na medicina preventiva
Com o histórico de retirada de um câncer no seio esquerdo, um marcapasso implantado e um acidente vascular cerebral (AVC), tudo em cerca de três décadas, a aposentada Alzimira Alessio Soares Crepaldi, de 65 anos, não tinha mais esperanças que qualquer tratamento ou remédio melhorasse o permanente inchaço que sentia em todo o lado esquerdo do corpo. Há cerca de dois anos, porém, meio sem vontade, submeteu-se à acupuntura. “Nunca tinha feito e não acreditava nas agulhas, mas como já convivia com o inchaço há muito tempo, resolvi tentar. Depois da acupuntura, tudo passou, já voltei até a usar salto alto”, relata. O inchaço de Alzimira sumiu de vez após oito meses do início do tratamento. Corrente da medicina chinesa com mais de cinco mil anos no Oriente, a acupuntura baseia-se no princípio do equilíbrio das energias do corpo. Falando assim, parece algo meio subjetivo, mas não é. A prática tem comprovação científica no Brasil e está entre as especialidades reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina, pela Associação Médica Brasileira e pela Comissão Nacional de Residência Médica. No tratamento, o paciente tem que ir a sessões semanais ou quinzenais, dependendo do caso, nas quais agulhas finíssimas são colocadas pelo corpo durante 45 minutos, em média. As agulhas são aplicadas em pontos estratégicos que desbloqueiam as energias. “O bom acupunturista é aquele com quem os pacientes não adoecem, é uma medicina preventiva. A Acupuntura não trata doenças em si, mas o motivo que causou a doença”, esclarece Eduardo Brasil, professor do Centro de estudos em Acupuntura e Terapias Alternativas e diretor do Sindicato dos Acupunturistas do Brasil. O médico Ruy Yukimatso Tanigawa, presidente da Associação Médica Brasileira de Acupuntura (AMBA), trabalha na área desde 1980. Ele explica que os pontos estratégicos em que as agulhas são colocadas estimulam diferentes partes do sistema nervoso do paciente, o que melhora, entre outras coisas, o sono e a disposição. “Além do aspecto físico de uma doença, o sistema nervoso também é responsável pela melhora ou piora. O paciente tem que ser visto na totalidade para um tratamento, não só por partes ou órgãos”, diz. (A.M.)
>>>Acesse também: photolink, Revist@-@R e Dicas do Google...

quarta-feira, março 18, 2009

TECNOLOGIA AVANÇADA

SUBMARINO INGLÊS o mais avançado do MUNDO!
O Astute, nome do submergível, poderá navegar sem necessidade de combustivel nos 25 anos de sua vida útil e dar a volta ao mundo sem sair a superfície. Custará US$ 2.400 milhões.
A Marinha Real Britânica apresentou o seu submarino de grande porte e de grande poder de ataque, cujo custo está avaliado em 2.400 milhões de dólares, e será um dos mais avançados do mundo. O submergível, da classe "Astute" (Astuto), pode detectar a partir do Canal da Mancha qualquer movimento de um navio ou submarino na baía de Nova York. É um submarino em construção na Grã-Bretanha como não se construia havia mais de duas décadas, destacou a ANSA. O Astute de 7.200 toneladas e 97 metros de comprimento, poderá aproximar-se da costa de um país sem ser detectado, e está aparelhado a captar aparelhos convencionais de telefonia celular. Segundo os comandantes da marinha britânica, é um investimento necessário na luta contra o terorismo. O Astute já foi lançado ao mar em 2007, e está entrando em serviço no início deste ano de 2009. Pelos planos do governo e da companhia armamentista britânica BAE Systems serão construidos mais dois submarinos semelhantes da mesma classe, a um preço total de 7.200 milhões de dólares. A nova embarcação pode transportar cerca de 38 mísseis cruzeiro Tomahawk e torpedos Spearfish. Um reator nuclear permitirá ao Astute navegar sem necessidade de reabastecimento de combustível durante 25 anos de sua vida útil.
>>>Link (à dir.) e veja blogs e dicas

sábado, março 14, 2009

O CÂNION DE ITAIMBEZINHO O Cânion do Itaimbezino, na Serra dos Aparados, é o mais famoso parque e também um dos maiores do Brasil. Sua extensão chega a 5.800 metros e sua largura máxima alcança 2.000 metros. As paredes rochosas têm uma altura máxima de 720 metros e são cobertas por uma vegetação baixa e pinheiros nativos. Para quem nunca esteve à beira de um cânion, a sensação é realmente indescritível. São formações rochosas de pelo menos 130 milhões de anos, que parecem ter sido "aparadas" de maneira minuciosa. O nome do cânion vem do Tupi-Guarani: Ita significa pedra e Aíbe significa afiado.
TRILHAS: Existem três trilhas dentro dos limites do parque. As trilhas do Vértice e do Cotovelo são bem fáceis, mas se quiser contrate um guia no local. Na Trilha do Vértice, a Cascata das Andorinhas, formada por um grande volume d’água que corre pelo Rio Perdiz cai de uma altura de 700 metros, em direção ao fundo do cânion, mas acaba transformando-se em névoa antes de atingi-lo. Da trilha pode se avistar a bela Cascata das Andorinhas e da Cascata Véu de Noiva formada pelo arroio Preá. Tão impressionante quanto as cascatas, é a sensação de caminhar na borda do cânion. A trilha começa no Centro de Visitantes, e caminha-se em torno de 1 h, percorre-se 1,4 km pelas bordas do cânion. A trilha do Cotovelo, oferece um Mirante com vista imperdível dos paredões do Cânion Itaimbezinho. Caminhada fácil por estrada até um mirante natural com uma visão geral do Cânion, percurso de 6,3 quilômetros que leva em torno de 3 horas. Atenção: o último horário para fazer a trilha é às 15h. ATrilha do Rio do Boi, fica por dentro do abismo. Para aqueles que gostam de atividades mais radicais, esta trilha é a mais indicada. Caminha-se por dentro dos paredões de 700m formados pelo Cânion Itaimbezinho, seguindo o leito do Rio do Boi. São 8 km (ida e volta) que são percorridos em 7 horas. Trilha longa e cansativa, com muitas pedras e diversas travessias do rio do Boi (dependendo do nível do rio a água pode estar acima do joelho), com piscinas para um banho gelado. Os Parques Nacionais dos Aparados da Serra e Serra Geral, pertencem a SC e RS, sendo que 1 metro abaixo da borda dos cânions já é Santa Catarina, e os parques englobam também as encostas, rios e matas abaixo das serras, e o visual pela parte de baixo dos cânions é de rara beleza.
>>>Link (à dir.): o photolink, Revist@-@R e Google Dicas...

sexta-feira, março 13, 2009

MÉDICO DECIFRA O CÓDIGO MICHELANGELO Em 1989, o estudante de Medicina paulista Gilson Barreto (26), visitou a Capela Sistina no Vaticano (foto). Como qualquer turista, sua intenção era conhecer os afrescos pintados entre 1508 e 1512 no teto do templo por Michelangelo Buonarrotti (1475-1564), considerados uma das obras-primas da humanidade, porém a sua mente aguçada que o tornou um grande médico, foi além do que era uma smples visita, anunciou ter decifrado um segredo de 500 anos: a Capela Sistina abriga aula de anatomia do pintor renascentista.








DEUS E O CÉREBRO A semelhança entre o corte do crânio e a cena da Criação do Mundo já tinha sido estudada, mas não a linguagem do olhar dos anjos.
Passeando os olhos pelo teto magnífico, repleto de querubins, profetas e sibilas, Gilson ficou paralisado diante do sexto painel do vão central, O Pecado Original. 'A pintura mostrava uma artéria aorta disfarçada de tronco seco atrás de Eva', conta. Em seguida, visualizou a estrutura de uma escápula (osso do ombro) escondida sob as vestimentas de um dos antepassados de Jesus, numa área lateral.
Gilson não se preocupou com o assunto. De volta a Campinas, estudou mais anatomia. Ao dissecar um cadáver e deparar com um corte de arco aórtico idêntico ao que vira na Sistina - inclusive com as artérias coronárias esquerda e direita-, imaginou que Michelangelo houvesse usado a peça anatômica como evocação figurativa. Afinal, os renascentistas eram fascinados pela anatomia humana e brincavam com as formas. Gilson concluiu a especialização em cirurgia de cabeça e pescoço. Nesse ínterim, colecionou livros sobre Michelangelo. Em 1990, leu um artigo sobre a descoberta do médico americano Frank Meshberger. Ele demonstrava que, na cena central da Sistina, a famosa A Criação de Adão, o manto de Deus representava um corte sagital do crânio e o cérebro nele contido (fotos acima). No hospital em que trabalha, em Campinas, Gilson passou a usar o afresco para ilustrar suas aulas de cirurgia. Em 2001, o médico leu outro artigo, do nefrologista americano Garabed Eknoyan, o qual demonstrava que Michelangelo pintara um fígado no manto de Deus no painel: A Criação de Eva.
As sinapses se cruzaram no início do ano passado, quando o médico, agora respeitado oncologista, procurava o slide do afresco na confusão de uma mudança de casa. Foi então que se fez a pergunta que iria desencadear sua descoberta: 'Michelangelo não teria desenhado outras peças anatômicas nos demais afrescos?'. Passou a noite em claro, meditando sobre uma montanha feita de tratados de arte e anatomia. Com o bisturi da curiosidade, dissecou cada um dos 36 painéis. Topou com um tímpano nos joelhos de Jeremias, e assim por diante. Na manhã seguinte, ainda sem fôlego, chamou seu vizinho, Marcelo de Oliveira, livre-docente em Química da Unicamp, para ajudá-lo. Na mesa de café, os dois passaram o dia vasculhando o material. "Um atlas quase completo do corpo humano caiu no nosso colo: ossos, laringe, pulmão, cérebro, cerebelo, músculos, tendões, sistema arterial e até um corte de pênis", lembra Marcelo. A dupla passou a associar as peças anatômicas de 32 painéis com as figuras ao redor.
>>>Link (à dir.): Revist@-@R, photolink e Google Dicas...

quinta-feira, março 12, 2009

ESTUFA FRIA, UM CONTATO COM A PAZ Lisboa, capital de Portugal, é realmente uma linda cidade. Quando lá estive, muitos dos seus belos cenários me fascinaram, porém, há um de que jamais esqueço e sinto saudade da paz que ele me proporcionou. O nome desse pedaço de céu é Estufa Fria. Na verdade, é um lindo jardim dentro de uma estufa, situada ao lado do Parque Eduardo VII, no coração de Lisboa O seu nome provém do projeto que previa um local de abrigo de plantas diversas, sem qualquer sistema de aquecimento artificial. Com uma área de cerca de 1,5 hectares, é constituída por três partes, a Estufa Fria propriamente dita, a Estufa Quente e a Estufa Doce. A área fria, a maior das três, tem cerca de 8.100 m², e é coberta com um ripado de madeira que controla de forma natural a temperatura e a luz no interior. Ela alberga espécies como a azálea e cameleiras (Camellia japonica), provenientes de diversos pontos do globo.
A zona da Estufa Quente ocupa cerca de 3000 m² e alberga espécies
tropicais como o cafeeiro e mangueira. A Estufa Doce possui espécies pertencentes à família das Cactaceae, como o aloé (Aloé). Toda a Estufa é ornamentada com pequenos lagos, povoados com peixes ornamentais, flamingos, cascatas, obras estatuárias, e ambientes locais para uma boa leitura, ao som de suaves orquestras executando obras dos grandes mestres da música. A Estufa Fria foi inaugurada em 1933, sendo o resultado de um projeto idealizado pelo arquitecto Raul Carapinha. Foi construída sobre uma zona de antiga extração de basalto, atividade interrompida após a descoberta de uma nascente de água no local. A Estufa Fria, sofreu uma remodelação, que acompanhou a remodelação do Parque Eduardo VII, nos anos 40. Em 1975 duas novas seções foram abertas, a Estufa Quente e a Estufa Doce, expandindo a coleção botânica com espécies tropicais.>>>Link à dir: Revist@-@R, photolink, e as Dicas Google...

quarta-feira, março 11, 2009

Bloco de gelo maior que o Havaí se desprende da Antártica
Um bloco de gelo de 14 mil quilômetros quadrados (fotos), maior que a ilha do Havaí, se desprendeu da Plataforma de Gelo Wilkins, na península antártica, como "consequência do aquecimento global", informou comunicado do Conselho Superior de Pesquisas Científicas (CSIC), na Espanha. Os icebergs gigantes nos quais este bloco de gelo se fragmentou começam a se espalhar pelo Oceano Austral.Uma equipe de pesquisadores do CSIC analisa desde o último domingo, a bordo de uma embarcação de pesquisa oceanográfica, o impacto do fenômeno sobre o ecossistema do Mar de Bellingshausen. A equipe científica também presenciou como a frente de gelo do Mar de Bellingshausen retrocedia 550 quilômetros em duas semanas. Os cientistas disseram que as temperaturas de água são extraordinariamente quentes nesta região. Segundo os pesquisadores, o desprendimento e a fragmentação do enorme bloco de gelo produzirá o conseqüente aumento do nível do mar. Nos últimos 50 anos a península antártica experimentou o maior aumento de temperatura registrado no planeta: 0,5 grau centígrado por década.
>>>(Link à dir.): photoblog, Revist@-@R, e as Dicas Google...

terça-feira, março 10, 2009

ESA, CRIA PROGRAMA PARA EVITAR COLISÕES ESPACIAIS
Atenta ao aumento do número de satélites na órbita da Terra, a ESA (Agência Espacial Europeia) começou a monitorar os detritos espaciais e criou normas para evitar colisões. /O programa de US$ 64 milhões, chamado Conscientização da Situação Espacial, visa ampliar os dados sobre os estimados 13 mil satélites e outros organismos feitos pelo homem que orbitam o planeta, de acordo com Jean-François Kaufeler, especialista em detritos espaciais da ESA.
O recente choque entre satélites russo e americano mostra importância de agências espaciais compartilharem dados para evitar acidentes
O programa foi lançado em janeiro último. No início de fevereiro, a colisão de dois satélites espaciais gerou lixo que pode ameaçar outros satélites durante os próximos 10 mil anos. "O que o acidente,mostrou é que precisamos fazer muito mais. Temos de dados precisos a fim de evitar novas colisões", disse Kaufeler.
O acidente ocorreu a 800 quilômetros da Terra, sobre a Sibéria, e envolveu um satélite espacial russo abandonado, concebido para fins militares, e outro, usado em telecomunicações, pertencente à empresa americana Iridium, que servia tanto a clientes quanto ao Departamento de Defesa dos Estados Unidos.
Um elemento-chave do programa é aumentar a quantidade de informações compartilhadas entre as diversas agências espaciais no mundo, incluindo a Nasa e a russa Roskosmos, segundo Kaufeler.
De acordo com ele, outro aspecto importante é estabelecer normas internacionais sobre a forma como os detritos são descritos, monitorados e, se necessário, transferidos de forma a evitar qualquer colisão. "As medições dos detritos espaciais não são precisas o suficiente", afirmou Kaufeler.
Especialistas em detritos espaciais irão se encontrar nesta semana, em Viena, num seminário que pretende avançar em caminhos para prevenir futuras trombadas. E, neste mês de março, está acontecendo a 5ª Conferência Europeia sobre Detritos Espaciais, na ESA. Nem a agência americana nem a europeia conseguiram prever a colisão dos satélites. E ninguém tem ideia até agora de quantos pedaços de lixo espacial foram gerados pela trombada, deixando em alerta populações e tripulações de aeronaves.
>>>Link (à dir.) Revist@-@R, photolink e Google indicações...

segunda-feira, março 09, 2009

ARQUEOLOGIA:
Achado cemitério da idade da pedra
(Sitio revela dados sobre povos que habitaram o Saara no período úmido)Arqueólogos americanos encontraram por acaso, no Saara, o maior cemitério já conhecido da idade da pedra. O sítio arqueológico guarda informações sem precedentes sobre a vida na região em seu período úmido. A descoberta foi descrita na revista PLoS One. (http://www.plosone.org/)
"Isso nos permite conhecer muito sobre as práticas funerárias, a saúde e a dieta dos povos que se expandiram pela região quando as condições climáticas eram favoráveis", disse Paulo Sereno, paleontólogo da Universidade de Chicago. Batizado de Gobero, o sítio de 10 mil anos está situado no Deserto de Teneré, parte central do Saara, na Nigéria. Contém esqueletos humanos e de animais, fragmentos de cerâmica e pequenos objetos. Localizado perto das margens de um antigo lago, o sítio permanecia intocado. Foram descobertas, ao todo, cerca de 200 sepulturas. As escavações foram em parte financiadas pela National Geographic Society. Detalhes sobre a descoberta serão publicados na edição de setembro da revista. Nas tumbas foram descobertas várias jóias. O que mais chamou a atenção foi o esqueleto de uma mulher deitado de lado e de frente para os esqueletos de duas crianças. A presença de pólen indica que flores decoravam a tumba. O Saara é o maior deserto do planeta, com idade estimada de 7 milhões de anos. Foi úmido durante milhares de anos até que, provavelmente, uma ligeira mudança na órbita da Terra deslocou as monções para o norte.
Dois Povos:
As análises feitas em dentes e ossos com radiocarbono pelo bioarqueólogo Chris Stojanowski, da Universidade do Arizona, permitem concluir que as tumbas continham membros de duas populações diferentes, separadas por mais de mil anos. A mais antiga, os Kiffian, mediam até 1,80 metro e eram caçadores
O outro povo, os Tenereen, ocupou o sítio entre 7 mil e 4,5 mil anos atrás, o que corresponde à última parte do período úmido so Saara. seus habitantes possuiam estatura mais baixa e, aparentemente, tinham atividades mais diversas, como a pesca, a caça, e a criação de animais.
>>>Link (à dir.): Revist@-@R, photolink e dicas do Google...

quinta-feira, março 05, 2009

Deserto do AtacamaFotos: (1) - Uma vista desoladora do deserto do Atacama; (2) - Uma igreja na cidade exótica de São Pedro do Atacama; (3) - Salares em torno de uma laguna. As águas são provenientes das geleirasa que no verão descem das Cordilheiras dos Andes que circundam toda a região e (4) - Parque dos Flamingos. Essas aves vivem em abundância na região e saciam a sua sede com água proveniente dos degelos. >>>O deserto do Atacama é o lugar na Terra que passou mais tempo sem presenciar chuvas, sendo registrados 400 anos sem indícios de chuva. Apesar de não haver chuvas é quase comum nevar em partes da região perto dos vulcões. O deserto do Atacama está localizado na região norte do Chile. Com cerca de 200 km de extensão, é considerado o deserto mais alto e árido do mundo, pois chove muito pouco na região, em conseqüência das correntes marítimas do Pacífico não conseguirem passar para o deserto, por causa de sua altitude. Assim, quando se evaporam, as nuvens úmidas descarregam seu conteúdo antes de chegar ao deserto, podendo deixá-lo durante épocas sem chuva. Isso o torna de aridez incrível.As temperaturas no deserto variam entre 0ºC à noite e 40ºC durante o dia. Em função destas condições existem poucas cidades e vilas no deserto; uma delas, muito conhecida, é San Pedro do Atacama, que tem pouco mais de 3 000 habitantes e está a 3.200 metros de altitude. Por ser bem isolada é considerada um oásis no meio do deserto, é o principal ponto de encontro de viajantes do mundo inteiro: mochileiros, fotógrafos, astrônomos, cientistas, pesquisadores, motociclistas e aventureiros.Apesar de pequena e isolada no coração do deserto mais árido do mundo, San Pedro possui uma vida agitada, mesmo depois da meia noite, os bares e restaurantes ficam lotados com pessoas conversando e planejando o programa para o dia seguinte porque as atrações são inúmeras.
>>>À dir. deste, acompanhe as boas indicações Google...

terça-feira, março 03, 2009

ISLÂNDIA: FUTURO GELADO
Brasileiros contam como a crise derreteu a economia da Islândia, o "melhor país do mundo".Cenário Bucólico: Vista da desenvolvida capital Islandesa, ReykjavikNos últimos meses, o que mais se leu e ouviu no noticiário econômico é que a economia mundial estava derretendo em função da crise. Mas nenhum outro lugar sentiu tanto o impacto como a Islândia, o país com o melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do mundo. Os três maiores bancos do país passaram a ser controlados pelo governo porque estavam prestes a quebrar. A moeda local sofreu desvalorização de 35% e economistas de lá acreditam que em 2009 a economia encolha 10%. “A cada dia, ouço mais histórias de pessoas que perderam o emprego”, conta Miriam Guerra Friðriksson, brasileira que vive na ilha há 4 anos. Em 2007, o desemprego no país de 304 mil habitantes era de 1%. Com os efeitos da crise, 2 mil postos de trabalho podem sumir nos próximos meses. "È só dar uma volta pelo centro para ver como a sociedade foi afetada. Várias lojas fecharam e as abertas estão liqüidando
todas as mercadorias. Ninguém compra nada além do necessário”. “Aqui era o melhor país do mundo para se morar e, de repente, a incerteza é tão grande que ninguém sabe se vai ter um teto ou comida na mesa no futuro próximo”, comenta outro brasileiro, Pedro Ziviane, na ilha há 2 anos. A crise dos bancos afeta a economia real porque muitas empresas não têm como realizar investimentos usando apenas o dinheiro em caixa, por isso elas pedem empréstimos. Os bancos também emprestam dinheiro uns aos outros e lucram com o recebimento de juros. Quando um banco dessa corrente não consegue honrar os compromissos, todo o sistema fica desconfiado e com medo de levar calote, o que trava os empréstimos. As empresas que precisam de dinheiro para investir não conseguem novos financiamentos e acabam diminuindo a produção, o que leva ao aumento do desemprego. “No capitalismo, o crédito é o óleo da engrenagem”, explica o economista Luiz Alberto Rabi Jr., da MCM Consultores.
Acompanhe a dir. deste blog as Indicações Google
/* Atualizacao do Google Analytics em 25 de Outubro 2009 */