/* Excluido depois do Upgrade do Google em 25 de Outubro de 2009 Fim da exclusao */

sábado, novembro 26, 2011

SEM PALAVRAS

ANDANDO SOBRE AS ÁGUAS UM MOMENTO PARA SER ETERNIZADO
Rio de Janeiro, na manhã de 15 de novembro de 2011
Agradecimento ao nosso colaborador Roberto Júnior

quarta-feira, novembro 23, 2011

ECOS DA TRAGÉDIA DO JAPÃO

VESTÍGIOS DE FUKUSHIMA
Pesquisadores detectam enxofre radiativo no ar do litoral da Califórnia. O elemento teria se formado no encontro da água do mar com os reatores nucleares da usina japonesa e cruzado o oceano Pacífico na carona de ventos fortes.
O cloro da água do mar, em contato com os reatores nucleares, levou à formação de enxofre radiativo, que evaporou e chegou à atmosfera.
Pesquisadores detectam enxofre radiativo no ar do litoral da Califórnia. O elemento teria se formado no encontro da água do mar com os reatores nucleares da usina japonesa e cruzado o oceano Pacífico na carona de ventos fortes.Em março deste ano, operadores da usina nuclear de Fukushima, no Japão, usaram centenas de toneladas de água do mar para resfriar os reatores atingidos por um terremoto e um tsunami. A decisão não foi das melhores. Em contato com o cloro marinho, os nêutrons do interior dos reatores produziram enxofre radiativo (S-35), que, como mostra um estudo publicado na revista PNAS, evaporou e foi empurrado por fortes ventos até La Jolla, Califórnia, a cerca de quatro mil quilômetros de distância da cidade japonesa.

Os pesquisadores do Instituto Scripps de Oceanografia, da Universidade de São Diego, detectaram o enxofre radioativo no ar do litoral californiano em filtros de papel especiais, usados para capturar partículas presentes no ar e estudar o clima. O enxofre radioativo encontrado naturalmente no ar é formado a partir da incidência de radiação cósmica sobre o Argônio (Ar-40). Mas os níveis encontrados pelos pesquisadores entre março e abril deste ano foram muito elevados. No dia de pico (28 de março) - duas semanas após a água do mar começar a ser usada nos reatores -, a concentração de enxofre radiotivo registrada foi cerca de 120 vezes maior do que a normal.
Fonte:



terça-feira, novembro 22, 2011

RELÍQUIAS DA HUMANIDADE

MACHU PICCHU - PERU
. Atributos: Comunidade e DedicaçãoMachu Picchu, ou Machu Pikchu,signifíca "velha montanha", também chamada "cidade perdida dos Incas", é uma cidade pré-colombiana bem conservada, localizada no topo de uma montanha, a 2400 metros de altitude, no vale do rio Urubamba, actual Peru. Foi construída no século XV, sob as ordens de Pachacuti. O local é, provavelmente, o símbolo mais típico do Império Inca, quer devido à sua original localização e características geológicas, quer devido à sua descoberta tardia em 1911. Apenas cerca de 30% da cidade é de construção original, o restante foi reconstruído. As áreas reconstruídas são facilmente reconhecidas, pelo encaixe entre as pedras. A construçã o original é formada por pedras maiores, e com encaixes com pouco espaço entre as rochas.Consta de duas grandes áreas: a agrícola formada principalmente por terraços e recintos de armazenagem de alimentos; e a outra urbana, na qual se destaca a zona sagrada com templos, praças e maosoléus reais.O lugar foi elevado à categoria de Património mundial da UNESCO, tendo sido alvo de preocupações devido à interação turisrica e ser um dos pontos históricos mais visitados do Peru.
Há diversas teorias sobre a função de Machu Picchu, porém a mais aceita afirma que foi um assentamento construído com o objetivo de supervisionar a economia das regiões conquistadas e com o propósito secreto de refugiar o soberano Inca e seu séquito mais próximo, no caso de ataque.
O Peru é o berço de uma das civilizações mais inte ressantes e intrigantes da história, os Incas. Atualmente, as marcas desse incrível povo estão espalhad as pelo país, representadas nas sagradas ruínas de Machu Picchu, nos templos grandiosos e na natureza exuberante de Ica.

segunda-feira, novembro 14, 2011

RELIQUIAS DA HUMANIDADE

A LIBERDADE ILUMINANDO O MUNDO Duas fotos da impressionate Estátua da Liberdade. Uma feita por Satélite e a outra por uma embarcação quando se aproximava do porto de Nova York.
A Estátua da Liberdade, está situada na entrada do porto de Nova York desde 1886. Foi um presente dos franceses, projetada e construída pelo escultor Frédéric Auguste Bartholdi (1834-1904), que usou sua mãe como modelo. Para a construção da estrutura metálica interna da estátua, Bartholdi contou com a assistência do engenheiro francês Gustave Eiffel.
A estátua mede 46,50
metros (92,99 m contando o pedestal). Pesa 158 t repartidas no esqueleto de aço (127 t) e na estátua de cobre (31 t), veio da França totalmente desmontada em 214 pacotes. São 167 degraus de entrada até o topo do pedestal. Depois são mais 168 degraus até a cabeça. Por fim, outros 54 degraus levam à tocha. Foi um presente dado por Napoleão, como premio aos Estados Unidos apos batalha vencida contra a Inglaterra. O historiador francês Edouard de Laboulaye foi quem primeiro propôs a idéia do presente, e o povo francês arrecadou os fundos, e em 1875, a equipe do escultor Frederic-Auguste Bartholdi começaou a trabalhar na estátua colossal.

terça-feira, novembro 08, 2011

NOVOS COMBUSTÍVEIS PARA AVIÕES

AVIÃO TESTA QUEROSENE DE CANA
Produto será usado por uma aeronave da Embraer, da Azul Linhas Aéreas

O primeiro querosene para avios produzido de cana-de-açúcar será testado em uma aerovave Embraer da Azul Linhas Aéreas no início de 2012. Trata-se de um projeto desenvolvido pela Amyris, centro de pesquisa instalado no Techno Park, em Campinas-SP, o combustível renovável é parte de uma linha de pesquisa em busca de bio-combustíveis que podem que podem diminuir as emissões de gás de efeito estufa e fornecer uma alternativa sustentável aos combustíveis de petróleo para aviões. A empresa planeja comercializar o querosene de cana para aviões em 2014. Os testes iniciais, segundo a empresa, mostram que o bio-combustível tem bom desempenho em baixas temperaturas. A empresa informou que começou a testar o querosene de cana para aviões em motores maiores e com fabricantes de aeronaves e outras indústrias participantes do setor dos Estados Unidos e Grã-Bretanha. No Brasil, um projeto com a Embraer, General Electric e Azul está avaliando os aspectos técnicos e de sustentabilidade. No vôo teste em 2012, uma das turbinas GE, por questões de segurança, levará o querosene tradicional e a outra, o da cana de açúcar. Nesse vôo experimental será avaliado como o combustível reage em testes fora de bancada.

A Embraer já exibiu a aeronave Ipanema (foto), na Feira Tecnoshow, em abril último, no município de Rio Verde (Goiás). que informa que o Ipanema é produzido há 40 anos lídera o mercado de aviação agrícola no Brasil, com cerca de 75% de participação. É a primeira aeronave produzida em série no mundo a voar com etanol. A versão da aeronave movida a etanol começou a ser produzida em 2005 e hoje representa aproximadamente 25% da frota em operação.


/* Atualizacao do Google Analytics em 25 de Outubro 2009 */