/* Excluido depois do Upgrade do Google em 25 de Outubro de 2009 Fim da exclusao */

sexta-feira, agosto 31, 2012

AVENTUREIRO COMPLETA VOLTA AO MUNDO EM 50 DIAS
Piloto dos Amarais em Campinas quebra recordes com seu monomotor
Fonte: Jornal "Correio Popular" de Campinas (minha leitura diária)
Já está em céu brasileiro, o paulista Walter Toledo, de 20 anos, que partiu do Aeroporto Campo dos Amarais, em Campinas, no dia 3 de julho, para deixar seu nome no livro dos recordes, o Guinness World Records, como o mais jovem piloto a dar a volta ao mundo a bordo de um monomotor. Depois de exatamente 50 dias fora do País, a expedição Brasil Voando Alto pousou por volta das 15h desta 3a.feira, em Boa Vista, Roraima. De lá, o aventureiro partiu para Manaus (AM), onde pernoitou. Em Campinas, a aeronave deve aterrissar, amanhã (sábado). Durante a viagem, Toledo parou em 11 países — além do Brasil, Granada, Estados Unidos, Canadá, Groenlândia, Islândia, Escócia, Inglaterra, França, Alemanha e Rússia — e bateu a marca do jamaicano Barrington Irving, que em 2007 fez a viagem em 97 dias, aos 23 anos. Além dos recordes de tempo e idade, o piloto conquistou a marca de ser o primeiro a cruzar a Rússia utilizando um monomotor. Para comprovar o recorde, Toledo tem imagens de GPS, registros de voo e os carimbos nos passaportes dos países por onde passou, além de vídeos e fotografias produzidos pelo amigo e fotógrafo Eduardo Fleury, que participou da aventura. Agora, todo o material será apresentado à equipe do Guinness, que já inscreveu o projeto. O monomotor usado tem alcance de 1,3 mil milhas náuticas (2,4 mil quilômetros), altitude máxima de voo de 25 mil pés (cerca de 7,6 mil metros) e capacidade para seis pessoas. Com consumo horário de 72 litros por hora em voo de cruzeiro, o avião foi batizado de Piper Malibu Matrix. 
 Expedição Brasil Voando Alto do piloto Walter Toledo  (Foto: Divulgação)

quarta-feira, agosto 29, 2012

NEIL ARMSTRONG


 GRANDES HERÓIS NUNCA MORREM
 GRAÇAS A HISTÓRIA QUE OS MANTÉM IMORTAIS 
Desde garoto, sou um aficcionado pela astronomia, fui dos poucos brasileiros a ficar  a noite toda acordado para assistir pela televisão, a chegada do primeiro homem ao solo da Lua. Ao ler a notícia do falecimento Neil Armstrong (foto), fiquei muito triste, E a única forma que encontrei de homenageá-lo foi relembrar o seu feito neste "Arquivos de um Repórter"..........................................      O HOMEM FINALMENTE CHEGA À LUA. No momento em que o astronauta Neil Armstrong colocou seu pé esquerdo sobre a superfície lunar, um luminoso se acendeu na sala de controle do Centro de vôo tripulado da Nasa, em Houston, Texas. Era 20 de julho de 1969 e o letreiro exibia a frase de Kennedy convocando o país a enviar o homem à Lua. ..........  A URSS, foi o único país que não retransmitiu pela TV o histórico passeio pelo solo lunar, ao passo que  600 mil telespectadores (ou seja, um em cada cinco habitantes do planeta). Devido ao fuso horário, essa transmissão foi apresentada de madrugada aqui no Brasil. Deixei de dormir para ver esse primeiro grande feito de uma missão tripulada, à nossa inspiradora Lua, como marco inicial dos incontáveis mistérios que estão sendo desvendados pela Astronomia, um assunto que sempre me fascinou. Tenho motivo para ficar triste quando uma missão fracassa levando à morte seus astronautas, como aconteceu recentemente com a nave Columbia, tirando a vida de sete heróis!   
VISITA À NASA. Meus filhos, esposas e netos, moram em Dallas(Texas). Quando fui visitá-los com minha esposa, viajmos de carro por todo o Estado do Texas. Como eu e meus filhos somos apaixonados por astronomia, e esse passeio incluia a moderna cidade de Houston, é natural que o nosso objetivo principal foi atingido: Visitar o Johnson Space Center, sede da Nasa. Participamos de alguns treinamentos mais leves que são usados pelos astronautas, visitamos a cabine de comando  do ônibus espacial "Adventure", o gigantesco foguete Saturno e acompanhamos pela TV da Nasa uma nave que naquele momento estava orbitando à Terra                                                                                                   O PRESENTE QUE RECEBI DE ALAN BEAN, 3º HOMEM A PISAR NO SOLO LUNAR                          Nessa visita, pudemos admirar o enorme painel que ornamenta o salão nobre da Nasa. É uma linda pintura, feita pelo citado astronauta, que também, é um grande artista plástico, e reproduziu Neil Armstrong pisando o solo lunar. Por feliz coincidência, encontramos Alan Bean, que estava realizando uma palestra. Foi ele mesmo que me presenteou esta réplica da inesquecível pintura com pr´as palavras de Neil Armstrong, ao pisar o solo lunar: "UM PEQUENO PASSO PARA UM HOMEM, UM GIGANTESCO SALTO PARA A HUMANIDADE" 
Hoje em  nosso pequeno ecritório, usado como redação deste blog, ostentamos na parede esta relíquia, que ficou mais valiosa com a morte de Neil Armstrong, e com esta dedicatória: ROBERTO, "CONTINUE ALCANÇAR ÀS ESTRELAS" - ALAN BEAN - APOLLO XII.

terça-feira, agosto 28, 2012

BLOGTUR - "Atrações de Iguaçu"

AS ATRAÇÕES DE FOZ DO IGUAÇU O Parque Nacional do Iguaçu, além das cataratas, atrae milhares de turistas o ano todo !Na fronteira com Argentina e Paraguai, Foz do Iguaçu, no Paraná, destaca-se pelas cataratas e pela rica fauna. Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, tem o parque nacional mais visitado do Brasil. A cada mês, milhares de brasileiros e estrangeiros percorrem a trilha na mata diante das cataratas do rio Iguaçu, um colosso da natureza.O impacto visual e sonoro da força das águas, despencando de "degraus" que variam de 40 m a 85 m de altura, revigora os sentidos. Difícil é se despedir daquela paisagem em frenético movimento. O Parque Nacional do Iguaçu é administrado pelo Ibama e empresas privadas, parceria que trouxe uma eficiente infra-estrutura de praças de alimentação, lojas, ônibus, agências de passeios e esportes radicais.O ano de 2007 acrescentou a novidade das visitas noturnas às cataratas, os chamados 'luaus', em noite de lua cheia e luz prateada. Região de fronteira com Argentina e Paraguai, onde os profissionais são pelo menos bilingües. Bem próximo das cataratas, por exemplo, está o Parque das Aves, criado em 1994 pelo casal alemão Denis e Anna Croukamp. Não deixe de visitar este pedaço de mata nativa e sua encantadora população animal. Invente uma brecha no tempo para percorrer com calma os viveiros em que araras azuis se mostram em pleno flerte, e os flamingos parecem ter vestido joelheiras de cor rosa fosforescente só para impressionar os turistas. Há aves ameaçadas de extinção no grupo, como o cuiú-cuiú, o mutum-cavalo e o macuco. Outras vieram de muito longe, da África e da Ásia. Didáticos, os painéis em três idiomas da trilha informam que o grito do tachã se faz ouvir a três quilômetros e que a hárpia é predadora desde o ninho: o filhote mais forte mata o mais fraco. Depois de encher os olhos com a beleza distante das cachoeiras, vale a pena aproximar o rosto e notar os vários tons de azul do bico da gralha-picaça, ou a incrível delicadeza das penas negras da vulturina, com poás brancos se transformando em listras. Répteis, sagüis e borboletas completam o cenário de selva sob controle. Na Argentina, perto da Garganta do Diabo, menor do que o vizinho brasileiro, o Parque Nacional Iguazú, na Argentina, merece um dia inteiro de visita, pela diversidade dos trajetos que oferece. É tranqüilo chegar lá sem guias, apenas com transporte público. São três as trilhas principais, reformadas em 2001, e uma ampla estrutura de alimentação e serviços.

ESCLARECENDO A GRANDE PERGUNTA...

 2012, será o fim do mundo?
Uma inscrição Maia tem sido interpretada como um aviso de que o mundo vai acabar no fim deste ano. No entanto, uma análise do complexo sistema de calendários elaborados por essa civilização mostra que essa interpretação catastrófica é equivocada. Este é o tema do artigo de capa da excente Revista: Ciência Hoje, nº 295. O texto é de Alexandre Guida Navarro
Ruínas, na atual Guatemala, da cidade maia de Tikal, um dos maiores centros urbanos da América Central na época clássica dessa civilização. (foto: Wikimedia Commons).
Há cerca de 4 mil anos, uma complexa civilização – os maias – surgiu na região da América Central onde estão situados hoje o sul do México, Guatemala, Honduras, El Salvador e Belize. A cultura maia teve seu maior desenvolvimento entre os anos 300 e 900 do calendário cristão, e manteve suas identidades linguísticas e culturais até a invasão da América Central pelos espanhóis, iniciada em 1519. Ao contrário do que se acredita, porém, os espanhóis não aniquilaram os maias: na Guatemala e no México, principalmente, milhões de descendentes ainda falam línguas maias e mantêm vivos aspectos dessa antiga cultura.

A Pirâmide em El Mirador, no norte da Guatemala. Pesquisas recentes revelaram que a pirâmide mais alta da Mesoamérica, com 70 m de altura, ficava nessa região, que teria sido palco do primeiro grande colapso da civilização maia, no início da era cristã.
O fim do mundo
Os maias ganharam destaque nos meios de comunicação, nos últimos meses, e o responsável por isso é seu calendário. O motivo do destaque é a afirmação de que os maias previram o fim do mundo para 2012. Mas isso é verdade? A polêmica partiu de uma inscrição do chamado Monumento 6, pedra trabalhada encontrada nas ruínas da cidade maia de Tortuguero, no sul do México. Essa inscrição apresenta uma data relevante do calendário maia, interpretada como um anúncio do final dos tempos.Na verdade, a data desse monumento indica somente o fim de um grande ciclo do calendário maia, e não a destruição do mundo. Cabe esclarecer que o calendário maia – um sistema complexo de calendários combinados – incluía diferentes ciclos. Na cultura desse povo não existiam lendas ou mitos sobre o fim do mundo. A interpretação recente é de responsabilidade não dos cientistas que estudam os maias, mas de escritores não especializados em cultura maia ou outras pessoas que – por erro ou deliberadamente – confundiram o fim do ciclo mais longo do calendário maia com o fim do mundo.A idéia do fim do mundo está associada às tradições religiosas judaico-cristãs, que incluem episódios sobre essa questão: é o caso do ‘Livro do Apocalipse’, na Bíblia. O fato de muitas pessoas, na chamada civilização ocidental, acreditarem nessa ideia não significa que outras culturas, em outras regiões e em diferentes períodos da história, tivessem as mesmas concepções de criação e destruição do planeta.

quarta-feira, agosto 22, 2012

 QUANTO VALE A VIDA DE UM POBRE BRASILEIRO?
Neste bairro de Campinas, casas ficam a 1 metro da linha do trem
Enquanto os brasileiros que chegam a postos de comando com os nossos votos, gastam milhões com aviões e hóteis de luxo, como vimos nas Olimpiadas de Londres, empresas superfaturam com vultosas despesas com a  Copa de 2014 e as Olimpiadas em 2016, (mais duas das inúmeras irresponsabilidades do governo Lula). Nós, o povo, vivemos com as sobras, como estes dois meninos da foto, que brincam com a morte, enquanto seus pais deixam suas modestas casas pelo pão de cada dia. Nem vamos falar em hospitais, segurança pública, escolas, etc e só estamos lamentando que esta é apenas uma simples matéria de Samambaia, um pequeno bairro dentro de uma das mais importantes cidades do Brasil. Exemplos como este poderiamos mostrar às centenas. Mas vamos ficar apenas,  neste triste exemplo. É bom lembrar só nesta ferrovia há 15 trechos de risco e muitas pessoas já perderam a vida. São áreas consideradas críticas, como esta, cujos trens passam em zonas urbanas, que estão mapeadas pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas-SP.(Emdec) e prá que?
Este é um caso emblemático, da insegurança de populações inteiras vivem, neste Brasil de duas caras, que os nossos governantes desconhecem ?!, porque passam com seus aviões particulares a grandes altitudes. Seus voos só são rasantes, nas épocas das eleições, quando você é lembrado porque o seu voto vale tanto quanto o de qualquer cidadão do que tem a outra cara do Brasil.   

terça-feira, agosto 21, 2012

NOSSAS HISTÓRIAS...

              A IGREJA MAIS VELHA DO BRASIL 
Em Pernambuco, após a vitória dos portugueses
sobre os índios Caetés, nativos daquela região, no ano 1535, por ordem do Capitão Afonso Gonçalves, foi mandado erigir, no local da vitória, uma capela votiva consagrada aos Santos Cosme e Damião. Seu estilo é simples e tende para o maneirista, e ostenta com indisfarçável orgulho, a condição de ser Igreja mais velha do Brasil.
Durante o período da invasão holandesa a  Igreja de São Cosme e Damião foi depredada, mas reconstruída em 1654. Em 1950, passou por uma restauração que a deixou mais próxima das características iniciais.  O monumento foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 25 de maio de 1951. 
Igarassu (na língua Tupi = Canoa Grande) é  considerado o primeiro núcleo de povoamento do país e  fica a  30 km do Recife, no litoral norte da Região Metropolitana, às margens da foz de um rio ao lado da ilha de Itamaracá. 
Sendo praticamente um porto natural, o local foi muito requisitado pelos portugueses  à época do descobrimento. Suas caravelas ficavam às margens da área onde posteriormente surgiu a vila, que, segundo a tradição, teria sido fundada em 27 de setembro de 1535.
Foi em Igarassu, e não em Olinda, que os portugueses inicialmente se estabeleceram. A localidade de Sítio dos Marcos já contava em 1516 com um dos principais ancoradouros do litoral brasileiro. 
Convém destacar que, desde o descobrimento oficial, em 21 de Abril de 1500, até a década de 1530 não houve uma colonização efetiva do território brasileiro. Essa colonização só ocorreu diante da ameaça de outros países europeus "roubarem" da coroa portuguesa o território recém descoberto. Como é sabido por todos, Pernambuco tornou-se a base para a exploração do norte da colônia.
Aos Santos Cosme e Damião, é atribuído  o  milagre  que teria ocorrido no ano de 1685, quando as cidades de Recife, Olinda, Itamaracá e Goiana foram assoladas pela febre amarela e Igarassu escapou ilesa dessa praga.


/* Atualizacao do Google Analytics em 25 de Outubro 2009 */