/* Excluido depois do Upgrade do Google em 25 de Outubro de 2009 Fim da exclusao */

terça-feira, fevereiro 28, 2017

"ARQUIVOS DE UM REPÓRTER CAI NA FOLIA"


            NO RIO, O MAIOR CARNAVAL DO PLANETA                                                     A HISTÓRIA DO CARNAVAL CARIOCA
Em finais do século XVIII, o entrudo (como era inicialmente chamado) era praticado por todo o país, e consistia em brincadeiras e folguedos, variando conforme os locais e os grupos sociais envolvidos. As primeiras tentativas de civilizar a festa carnavalesca brasileira foram através da importação dos bailes e dos passeios mascarados de Paris. Em finais do século XIX, toda uma série e grupos carnavalescos ocupavam as ruas do Rio de Janeiro, servindo de modelo para as diferentes folias. Nessa época, esses grupos eram chamados indiscriminadamente de cordões, ranchos e blocos. Em 1899 Chiquinha Gonzaga compôs a primeira música especificamente para o Carnaval, "Ô Abre Alas!". A música havia sido composta para o cordão Rosas de Ouro que desfilava pelas ruas do Rio de Janeiro durante o carnaval. Os foliões costumavam frequentar os bailes fantasiados, usando máscaras e disfarces inspirados nos "balls masqués" parisienses. As fantasias mais tradicionais e usadas até hoje são as de Pierrot, Arlequim e Colombina, originárias da Comédia Dell’arte italiana. Em 1890, e por algumas vezes antes, foi tentada uma modificação na data do Carnaval, deslocando-o para os meses do inverno, "para evitar os malefícios do verão escaldante". Contudo, nenhuma tentativa teve sucesso no Brasil.

Resultado de imagem para carnaval no rio

No Rio de Janeiro o carnaval moderno surgiu a partir da primeira metade do século XIX com a importação, pela elite carioca, da moda dos bailes parisienses. A absorção do carnaval burguês pela festa desorganizada das ruas da cidade acabaria por fazer surgir uma folia de feições próprias que, a partir das primeiras décadas do século XX se tornaria um dos elementos da identidade nacional.

domingo, fevereiro 26, 2017

"ARUIVOS DE UM REPÓRTER CAI NA FOLIA"

RECIFE E OLINDA,O MAIOR CARNAVAL DE RUA      
O carnaval de Pernambuco é um dos mais conhecidos de todo o Brasil, graças aos famosos carnavais de Recife e Olinda, acostumados a atrair multidões de turistas, que vêm de várias partes do  mundo para aproveitar os dias de folia. A diversidade de ritmos é a marca registrada dos dois carnavais, com a presença de ritmos como maracatu, samba, afoxé e ciranda, mas a estrela principal sem dúvida alguma é o frevo. Pode-se afirmar que em Recife, ocorre o maior carnaval do planeta, entre a festa popular o famoso Galo da Madrugada, que ao longo do seu desfile chega a reunir mais de um milhão de foliões pelo centro da cidade. Diferentemente do carnaval do Rio de Janeiro e de Salvador, o de Recife caracteriza-se pela sua popularidade, onde se pode assistir a quase todos os desfiles e grandes nomes da MPB, e pelo fato de ocorrerem na rua e em diversos bairros ao mesmo tempo, não há monopolização da festa carnaval por certo tipo de música ou desfile. Além de assistir aos artistas, os foliões ainda podem curtir mais de 500 artistas e agremiações.  
Em Olinda (foto), também há multidões de foliões em suas ruas, pois o carnaval também é realizado para que todos possam participar. Além dos ritmos típicos da região, como o frevo, a ciranda, o maracatu e coco-de-roda, um dos grandes destaques da festa é o desfile dos famosos bonecos de Olinda, com mais de três metros de altura, que podem representar celebridades, políticos, pessoas que obtiveram destaque na mídia, presidentes, políticos e alguns personagens regionais. Inclusive há blocos especializados na confecção destes bonecos. Olinda realiza  um dos maiores e mais empolgantes carnavais de todo o mundo, marcado por sua alegria, sua diversidade cultural e rítmica.

sábado, fevereiro 25, 2017

"ARQUIVOS DE UM REPÓRTER CAI NA FOLIA"

CARNAVAL DE S PAULO A CADA ANO MAIS EMPOLGANTE
O SAMBÓDROMO ALAVANCOU O CARNAVAL DE SÃO PAULO
A história do Carnaval na cidade de São Paulo confunde-se com a própria evolução política, social e econômica do povo paulistano, pois as grandes mudanças estão intimamente ligadas ao progresso e desenvolvimento da comunidade. As primeiras notas a respeito apareceram na Ata da Câmara de São Paulo, em sessão de 13 de fevereiro de 1604, apontava a folia, como atos atentatórios aos bons costumes sociais e caracterizados pela violência. Os bailes promovidos em São Paulo, datados historicamente de 1830, encerravam-se melancolicamente à meia-noite, pois não havia por esse tempo sociedades recreativas voltadas para a comunidade negra, principais precursores do Carnaval na cidade. Moçambique, congadas e batuques eram reprimidos e substituídos pela dança do Caiapó, mas essa também era combatida pelas autoridades municipais, como ser verifica nas Atas da Câmara
 Mas isso ficou pra trás. Hoje contamos com  a graça sensual da poderosa ANITTA

 Resultado de imagem para Anitta no Carnaval
  .                                  
                                      O marco inicial do Carnaval moderno...
Segundo historiadores, foi inspirado na Marquesa de Santos, então a dama de maior prestígio na sociedade paulistana, que promovia a festa em sua casa conhecida como Palacete do Carmo. O primeiro desfile promovido pelo poder público aconteceu em 1934, quando o inovador Prefeito Municipal Fábio da Silva Prado criou o Departamento de Cultura e Recreação e destinou verba, coletada entre seus amigos, para financiar o evento. O vencedor do concurso foi o rancho Diamante Negro, seguido de Vim do Sertão. Na categoria blocos o primeiro lugar ficou com os Quenianos e, para os Cordões, a vitória foi dos Garotos Olímpicos, seguido por Camisa Verde. Porém, o primeiro Carnaval Oficial da cidade de São Paulo só aconteceu no ano seguinte, organizado pelo jornal Correio de São Paulo, com o patrocínio do Centro de Cronistas Carnavalescos e pela Comissão Oficial. Neste evento já havia organização. Os grupo foram divididos em categorias e houve premiação.

sexta-feira, fevereiro 24, 2017

"ARQUIVOS DE UM REPÓRTER CAI NA FOLIA"

 A HISTÓRIA DO CARNAVAL NO BRASIL
Como o Carnaval chegou ao nosso País
O INICIO DO CARNAVAL ENTRE NÓS: No inicio do do século 17, sob a influência da Europa, especialmente da França, o Carnaval chegou ao Brasil e por aqui ficou. No início do século passado, tiveram inícios os famosos e sofisticados corsos com a inclusão de automóveis, privilégio das pessoas mais abastadas (foto). Depois de algumas décadas, o carnaval foi tomando conta do entusiasmo das pessoas de todos os níveis, e o carnaval brasileiro acabou virando a maior festa popular do mundo, e há décadas atrai turistas de várias partes do Planeta.  
No século 17, a  festa mais popular, chegou ao Brasil, influenciada pelas festejos carnavalescos que aconteciam na Europa, em forma de desfiles urbanos e os carnavalescos usavam máscaras e fantasias. No século 19 começaram a surgir os primeiros blocos carnavalescos que deram origem aos carros alegóricos das escolas de samba atuais. O carnaval brasileiro, há algumas décadas, é considerado o melhor do Planeta, tanto pelos turistas, como pela maioria da população brasileira, principalmente a mais jovem. Com o passar do tempo, certos abusos e riscos, afastaram muitas pessoas não em número, mas em proporção. Entretanto,a população que participa ativamente do carnaval, é bem diferente do que ocorria no fim do século 19 e na década de 50, época de ouro da comemoração. No século 20 o carnaval foi crescendo com as marchinhas carnavalescas que começaram a acrescentar elementos africanos, que contribuíam para o desenvolvimento e originalidade da festa. As músicas iam deixando o carnaval cada vez mais animado. A primeira escola de samba surgiu no ano de 1928 no Rio de Janeiro com o nome de “Deixa Falar”, criada pelo sambista carioca Ismael Silva. Com o passar do tempo, ela transformou-se na escola de samba "Estácio de Sá" e a partir daí o carnaval de rua carioca começou a ganhar um novo formato com o surgimento de novas escolas de samba. Depois  a folia  em São Paulo começou a ganhar corpo. O movimento cresceu com  o Organização de Ligas de Escolas de Samba. A partir dai, começaram os primeiros campeonatos para premiar o desempenho e a beleza das escolas de samba. Com a oficialização dos desfiles, a partir de 1935, as escolas passam a receber subsídios da prefeitura, transformando-se, a partir de 1952, em sociedades civis, com regulamento,  sede e eleições periódicas para a diretoria de cada escola, como diretor da bateria, que comanda os instrumentos, e o diretor de harmonia, responsável pelo entrosamento. O CARNAVAL ATUALO: Esta foto é o resumo da grande transformação que ocorreu no carnaval brasileiro. Hoje o carnaval é um produto que envolve muito dinheiro e emprega muita gente ao longo do ano. Na verdade pouco sobrou dos primeiros carnavais. Em quase todas as cidades brasileiras de uma forma ou de outra,  também, organizam o seu carnaval. Mas o destaque maior, fica mesmo para o Carnaval do Rio de Janeiro, estado pioneiro na construção de um sambódromo na Marques  de Sapucaí. Exemplo que se espalhou por várias cidades brasileiras. De uns anos a esta parte, o Carnaval de São Paulo, também tem evoluído muito.  Nomes famosos da própria cidade, e destaques do Rio de Janeiro, abrilhantam  a festa, com renomadas estrelas  da televisão. Esses super-star, utilizam a ponte-aérea, para participar da festa em ambas as cidades. Merecem igual  destaque, os carnavais de Salvador, cuja base foi mantida com os tradicionais trios elétricos (ideia imortal de Osmar de Dodô). Animados pelos mais destacados cantores e compositores  filhos da própria terra,  a Bahia conta com o maior elenco  de cantores, músicos e compositores famosos. Porém, o carnaval que mantém a tradição é o de Recife/Olinda, cujo ritmo predominante é o frevo. Aqui no Circuito das Águas Paulista, o carnaval é feito na medida certa, reunindo os foliões da cidade e os turistas que preferem um carnaval mais calmo. aos que entram de bola e tudo na folia, e aos que preferem usar os quatro dias para esfriar a cabeça. BOM CARNAVAL PESSOAL:

quinta-feira, fevereiro 23, 2017

AR-DIARIO/ O Holocausto foi banido pra sempre

A MEMÓRIA DO HOLOCAUSTO

Recentemente, em tributo ao Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, a sede da Organização das Nações Unidas (ONU) organizou uma cerimônia em Nova York. O evento ocorreu no último dia 27 de janeiro e teve início com uma homenagem aos sobreviventes que estavam presentes. Em seguida, houve um minuto de silêncio dedicado às vítimas do genocídio.
 
A data foi instituída em 2005 para que este episódio seja relembrado pelas gerações futuras e para que os erros de um passado triste não se repitam.

Em 1933, a perseguição aos judeus se intensificou na Alemanha Nazista. Adolf Hitler, líder do Partido Nazista, concebeu como solução o holocausto. O objetivo era exterminar toda a raça judaica na Europa. O total de mortos durante o período do massacre foi de cerca de 6 milhões.

Em 27 de janeiro de 1945, data que marca o fim do regime genocida, os prisioneiros do campo de concentração de Auschwitz, na Polônia, foram libertados. Neste local, mais de 1,1 milhão de indivíduos foram assassinados. Muitas pessoas não judias também foram perseguidas e mortas por causa de sua origem, orientação política ou sexual. Atualmente, a área está incluída na Lista do Patrimônio Mundial da Unesco como um símbolo e uma prova dos crimes cometidos.

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, afirmou que o holocausto não foi simplesmente o resultado da insanidade de um pequeno grupo de criminosos, mas o apogeu de milênios de discriminação contra os judeus. Ele lembrou que o antissemitismo continua a proliferar no mundo, aliado às crescentes manifestações violentas, como extremismo, xenofobia e racismo. “O mundo tem o dever de lembrar que o holocausto foi uma tentativa sistemática de eliminar o povo judeu e tantos outros”, declarou em vídeo.

Século 21

Lembrar dos episódios da história nos permite imaginar o ponto a que a maldade humana pode chegar. Na atualidade, o holocausto adquiriu novas feições, mas ainda possui a mesma essência, pois muitos ainda são feridos e mortos. Em todo o mundo, as minorias e os excluídos ainda sofrem com o desprezo e a intolerância. Falta respeito às diferenças.

Por isso, a luta contra todos os tipos de violência deve ser constante, pois o respeito e a paz são direitos de todos.                                                                                                             HOJE TEMOS OUTROS HOLOCAUSTOS  ENTRE RAÇAS E RELIGI'OES EM TODO O PLANETA


domingo, fevereiro 19, 2017

AR-DIÁRIO: "Um mosquito, traz três doenças"

           
Conheça a diferença entre dengue, zika e chikungunya
aedes materia
Dengue, zika e chikungunya são três infecções transmitidas pelos mesmos vetores, os mosquitos Aedes aegypiti e o Aedes albopictus. Elas possuem sintomas parecidos, mas algumas caraterísticas podem ajudar a diferenciá-las.
Não existe tratamento específico para as infecções por estes vírus. A orientação do Ministério da Saúde é que na presença de qualquer sintoma, o paciente procure a unidade de saúde mais próxima. Além disso, deve fazer repouso e ingerir de bastante líquido durante os dias de manifestação de sintomas. Alguns medicamentos como ácido acetilsalicílico e outros anti-inflamatórios, podem aumentar complicações hemorrágicas, principalmente em caso de dengue. Por isso, ao apresentar os sintomas a pessoa não deve se automedicar.
SAIBA COMO IDENTIFICAR CADA UMA DAS DOENÇAS

sexta-feira, fevereiro 17, 2017

AR-DIÁRIO -" Quem é dono?"

De quem será a Lua?
Sem dúvida, esta é uma boa pergunta. tanto que já se defende a criação de amplo acordo internacional para regulamentar recursos naturais lunares "O mais significativo na viagem à Lua não foi o homem ter pisado o seu solo, mas ter posto os olhos na Terra." Norman Cousins (1915-1990), escritor e político norte-americano
No momento em que a chegada de um ser humano à Lua completa 50 anos e a retomada da exploração do satélite natural da Terra começa a ser preparada, o Acordo da Lua faz três décadas, sem o apoio das chamadas potências espaciais e uma questão relevante permanece de certo modo indefinida. A quem pertencerão os recursos naturais lunares? Aos países que mais investem na pesquisa espacial, a empresas privadas interessadas em explorá-los ou a toda a comunidade internacional, ou seja, a toda a humanidade? Criar um amplo acordo internacional sobre o tema parece cada vez mais necessário, diante do próximo retorno à Lua, dessa vez para explorá-la. Mas ainda não há consenso a respeito.
Superfície da Lua fotografada pela missão norte-americana Apollo 8, em 1968 (foto: Nasa)
A corrida especial que culminou com a chegada do primeiro homem à Lua, foi mais uma quebra de braços entres americanos e soviéticos, do que um objetivo apensa científico, tanto que depois da ex-União Soviética lançar um satélite gitando ao redor da Terra, John F. Kennedy, presidente dos EUA, anunciaria o projeto de enviar um homem à Lua ainda naquela década e trazê-lo de volta à Terra são e salvo. Após 50 anos d0o feito, ainda hoje perdura a polêmica: a quem pode pertencer a Lua? Considerando o lado prático do tema da propriedade: a quem podem pertencer os recursos naturais da Lua? Quem terá o direito de explorá-los? E mais, diante das exigências atuais de sustentabilidade: como eles poderão ser explorados, já que é inaceitável repetir na Lua a forma como a Terra foi explorada? O problema, hoje, não é lírico, nem lunático. É real. A agência espacial norte-americana (Nasa) anunciou, em 29 de dezembro de 2008, que a sonda Chandrayaan 1, lançada pela Índia em 22 de outubro de 2008 para mapear a distribuição mineral e química da superfície da Lua, já identificou minerais derivados do ferro, entre eles o piroxeno. O equipamento detector, de alta resolução espacial e espectral, é o Moon Mineralogy Mapper (M3), produzido pela Nasa. As  Apollo, que pisaram na Lua entre 1969 e 1972. Sem falar no desenvolvimento tecnológico de um motor de novíssima geração já aprovado em seu terceiro teste, destinado a garantir, com alto grau de segurança, a ida e a volta de astronautas à Lua, como a Nasa informou em 15 de janeiro último. E os Estados Unidos também lançaram, em junho, duas novas sondas (uma orbital e uma de superfície) para estudar locais adequados para a instalação de uma futura base de pesquisa na Lua e buscar fontes de água no solo. Os preparativos da volta à Lua, portanto, avançam. Há riquezas à vista. Estima-se encontrar enorme quantidade de hélio 3, gás que, combinado com o deutério, um isótopo de hidrogênio, poderia gerar energia em larga escala, por meio do processo de fusão nuclear. Há, portanto, razões econômicas suficientes para retornar à Lua e construir bases permanentes, a fim de explorar seus recursos naturais.

quarta-feira, fevereiro 15, 2017

AR-DIÁRIO - "Um cminho sem volta?"

 COMO CONTER A  EPIDEMIA DE DROGAS NO BRASIL
 PAÍS É O PRIMEIRO DO MUNDO EM CONSUMO DE COCAÍNA E CRACK
 Mesmo com programas sociais de governo para resgatar o viciado em drogas, o número de dependentes só aumenta (Fonte FU)
Dados do relatório da UNODC, escritório para drogas e crimes da Organização das Nações Unidas (ONU), mostram que 1,75% da população adulta no País consome cocaína. Embora pareça pequeno, na realidade, o número é quatro vezes maior do que a média mundial, que é de 0,4%. 
Essa não é a primeira pesquisa que aponta a gravidade do uso de drogas no País. Em 2012, o Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad) já havia mostrado que aproximadamente 2 milhões de brasileiros já usaram crack. O número representa 20% do consumo mundial, fazendo do Brasil o maior mercado de uso da droga no mundo.
Os dados são alarmantes e refletem a dificuldade que o governo tem de conter essa epidemia. Mesmo com programas sociais que tentam resgatar o viciado e que orientam para o perigo das drogas, na tentativa de impedir que as pessoas comecem no vício, o número de dependentes só aumenta. Oferecer emprego, amor e tratamentos ao viciado pode ajudar, mas não consegue arrancar, de fato, o desejo pela droga. A Universal tem realizado em todo o País um trabalho que tem resgatado milhares de pessoas do mundo dos vícios. Visite o site vicio tem cura.com e veja onde você pode conseguir ajuda.

terça-feira, fevereiro 14, 2017

AR-DIÁRIO:" O AVIÃO-NAVIO"



                  CHINESES CONSTROEM  AVIÃO QUE VOA A MEIO METRO DE ALTITUDE
 
Chineses constroem avião que voa a meio metro de altitude
Cientistas chineses desenvolveram um avião do tipo asa em efeito solo (WIG: "wing-in-ground
capaz de voar longas distâncias a apenas alguns poucos metros da superfície do mar.
Asa em efeito solo
Aviões do tipo WIG exploram um fenômeno conhecido como "efeito solo", que ocorre quando um avião voa muito próximo ao chão. O precursor dos aviões com asa em efeito solo é o Ekranoplan, desenvolvido pela extinta União Soviética durante a guerra fria, que media 100 metros de comprimento e conseguia voar a 400 km/h carregando mais de 400 toneladas de carga.
A uma altura aproximadamente equivalente ao dobro da envergadura de asas, os vórtices existentes na parte posterior das asas, que normalmente causam arrasto, são destruídos. Isto permite que a aeronave viaje muito mais rapidamente através do ar. Graças ao aumento na sustentação, o consumo de combustível é também bastante reduzido.
Rápido como avião, seguro como navio
A versão chinesa do WIG, cujo nome não foi divulgado, consegue voar a altitudes entre 0,5 e 5 metros da superfície do mar, alcançando velocidades de até 300 quilômetros por hora e levando 4 toneladas de carga.
"Ele é tão seguro quanto um navio, embora seja seis ou sete vezes mais rápido," afirmou Xu Zhengyu, da equipe de pesquisadores que desenvolveu o avião na Universidade Tongji, em Shangai. "E ele consegue carregar muito mais peso do que os aviões normais, além de custar no máximo a metade e usar metade do combustível."
O pesquisador afirmou que o cronograma da equipe é construir uma versão capaz de carregar 50 passageiros até 2013. Até 2017, intenção é ter 200 aviões WIG capazes de carregar entre 200 e 400 toneladas.

segunda-feira, fevereiro 13, 2017

AR-DIÁRIO-"DESCOBERTA FANTÁSTICA"

 

Resultado de imagem para cobra cascavel
Biólogos conseguiram medir pela primeira a velocidade com a qual cobra cascavel, temida víbora venenosa, levanta a cabeça e morde a vítima. A serpente   acelera até 100 quilômetros por hora em apenas 79 milissegundos.  O resultado do estudo dos biólogos foi publicado recentemente  pela revista Scientific Reports.  Um vídeo postado no canal  da Universidade da California Riversid mostra como é rápido o bote da víbora.
Para realizar a pesquisa mais aprofundada sobre como são os ataques da víboras o pesquisador Timothy Higham, da Universidade da Califórnia, e sua equipe foram ao deserto de Mohave, sudoeste dos EUA, habitado por grande quantidade de cascavéis. 
Ao colocar  imagens-armadilhas, os cientistas as conectaram a um computador e acompanharam a caça de serpentes. Nas filmagens foram usadas câmeras de  alta precisão infravermelha capazes de receber 500 imagens por segundo em 3D.  
Ultra rápidas
Os pesquisadores constataram que tais serpentes se movimentam rapidíssimo. Uma serpente  abocanha um roedor 60 a 70 milissegundos após ele aparecer no raio do alcance. Durante a manobra, a cabeça da serpente alcança de 12 a 16 cm a 3,5 m/s  de velocidade e a uma aceleração de 170 a 506 m/s.

sábado, fevereiro 11, 2017

---FIM DE SEMANA---A Ciência faz nova descoberta"

                                                        
Cientistas descobrem planeta parecido com a Terra que orbita estrela vizinha do Sol
Nomeado de Proxima b, planeta é pequeno, rochoso e pode ter água líquida. Ele orbita ao redor da Proxima Centauro, estrela mais próxima do Sol.
da estrela mais próxima do Sol, a Proxima Centauri, orbita um planeta pequeno e rochoso como a Terra que tem condições que permitiriam a existência de água em estado líquido, fator primordial para o desenvolvimento de vida. A empolgante descoberta do planeta Proxima b foi anunciada nesta quarta-feira (24) na revista "Nature".
Os cientistas celebraram o achado, pois o Proxima b pode vir a ser o planeta com possibilidade de vida mais perto do nosso Sistema Solar.
A equipe de mais de 30 cientistas analisou dados coletados a partir de dois telescópios do Observatório Europeu do Sul (ESO) entre 2000 e 2014 e de uma série de observações feitas entre janeiro e março de 2016. As medidas se referem ao efeito Doppler, que indica minúsculos deslocamentos de uma estrela provocados pela presença de um planeta orbitando ao seu redor.
Os dados permitiram concluir que Proxima b tem uma massa equivalente a cerca de 1,3 vez a da Terra e orbita a Proxima Centauri a cada 11,2 dias a uma distância de cerca de 7,5 milhões de km de sua estrela. Isso equivale a cerca de 5% a distância entre a Terra e o Sol.
A estrela Proxima Centauri fica a uma distância de 4,2 anos-luz do nosso Sistema Solar. Mesmo sendo nossa vizinha mais próxima, ainda sim levariam milhares de anos para chegar até lá usando a tecnologia atual.
A possibilidade de existência do planeta já era investigada há muito tempo, porém os cientistas queriam se certificar de que os dados eram realmente precisos. Isso porque a luz de uma estrela anã vermelha como a Proxima Centauri pode variar de forma a imitar a presença de um planeta. "Assim que estabelecemos que a variação não era causada por buracos estelares, soubemos que poderia ser um planeta orbitando uma zona onde a água poderia existir, o que é muito empolgante. Se futuros estudos concluírem que as condições de sua atmosfera são adequadas para abrigar vida, esta será provavelmente uma das descobertas científicas mais importantes que faremos", disse o pesquisador John Barnes, um dos autores do estudo.

quinta-feira, fevereiro 09, 2017

AR-DIÁRIO: "787, um avião se sucesso"...

                             O DREAMLINER VOA COM SUCESSO!
Nesta foto, o Dreamliner, com escolta da Esquadrilha Arrows, sobrevoa o mais alto arranha-céu do mundo, o Burj Khalifa, com cerca de mil metros, inaugurado em 2010. Na foto 2, uma das cabines do 78.  incluído, desde o final do ano passado na Rota diária: Dallas/São Paulo - S. Paulo/Dallas.
A companhia aérea se mostrou aliviada com a reabertura das rotas do Dreamliner. (foto de uma de suas cabines de passageiro). "Nossos clientes responderam extremamente bem quando estreamos o 787 e sabemos que eles vão receber bem a volta dos aviões", afirmou Pete McDonald, da United, em nota enviada ao mercado de aviação comercial. Considerado o avião mais moderno da atualidade, lançado com pompas e circunstâncias, depois de algum tempo de uso, passaram a apresentar problemas na bateria que causaram pequenos principalmente nos Estados Unidos e Japão, chegando a causar pousos forçados. Esses episódios causaram enorme preocupação na fabricante e nas várias empresas que já estavam operando com o Dreamliner em várias partes do mundo. Depois de um "recall" a Boeing encontrou o problema e a Agência Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês) determinou novos padrões para esse modelo de aeronave. Desde então, os voos com o Dreamliner estavam proibidos.
Segundo a United, dois dos seis 787 que pertencem à sua frota já foram modificados pela fabricante de aviões. "Em breve, o restante da frota será convertido", diz a aérea. Para os aeronautas, o 787 e o modelo "mais avançado e eficiente avião do mundo em rotas domésticas e internacionais".

sábado, fevereiro 04, 2017

AR----"FIM DE SEMANA"---

Edificada num local privilegiado, aprisionada entre as águas revoltas dos oceanos e as fotogênicas montanhas mesa, a Cidade do Cabo é uma urbe cosmopolita, hiperativa, de belas praias, noites longas, bom surf, muito luxo e alguns excessos.
Mas como acontece nas nossas principais cidade, há também, naturalmente, a miséria das favelas (como a da foto), a discriminação racial e o crime violento, as drogas a lembrar que o solo que se pisa é sul-africano. Mas essas não são características exclusivas da Cidade do Cabo e, verdade seja dita, aparte a discriminação, têm proporções bem mais comedidas que noutras paragens da região, mormente em Johannesburgo e na capital Pretória.
Mas será assim tão especial quanto dizem os relatos de viagem?
São raras, é certo, mas existe um punhado de cidades no mundo que recolhem aplausos praticamente unânimes entre os viajantes que por elas passam. E a Cidade do Cabo é, seguramente, uma delas, pelo que a pergunta - será assim tão especial quanto dizem os relatos de viagem? - é praticamente de retórica.
A reportagem poderia, aliás, terminar logo aqui para se evitar o risco Pela simples razão de que, em abono da verdade, a Cidade do Cabo é quase tudo o que de positivo dela se diz.
Contrastando, como qualquer cidade brasileira,as casas mais caras e luxuosas da Cidade do Cabo ficam nas escarpas de Clifton
Do simbólico Cabo da Boa Esperança ao multicolorido bairro de Bo-Kaap, do luxo desmedido das escarpas de Clifton às impecáveis docas Victoria & Alfred, da irreverente Long Street às ondas poderosas de Camps Bay, do mercado diário da praceta Green Market à vista do topo das table mountains, a Cidade do Cabo é uma metrópole vibrante e cosmopolita, elegante, trendy e hiperativa, com muitos espaços verdes, praia, surf e gente bonita. Numa palavra, é uma cidade fascinante.

sexta-feira, fevereiro 03, 2017

AR-DIÁRIO: "Oceanos dão sinais de alerta"...

"Zonas mortas" dos oceanos crescem  em ritmo preocupante Foto de satélite mostra em maior relevo o Golfo do México com uma área de aproximadamente 30 mil quilômetros quadrados destituída de oxigênio.
Muitas áreas costeiras dos oceanos do mundo estão ficando destituídas de oxigênio em um ritmo alarmante. Segundo pesquisadores, vários trechos do fundo dos mares perderam tanto oxigênio que mal conseguem sustentar a vida marinha. Segundo os cientistas, a causa principal disso são os nutrientes ricos em nitrogênio. Um estudo publicado no periódico "Science" cita o número dessas "zonas mortas" nas marinhas costeiras em todo o mundo que dobram a cada dez anos, desde a década de 1960. Atualmente cerca de 400 áreas costeiras têm águas de fundo perpétua ou periodicamente destituídas de oxigênio, e em muitas delas a área atingida ou a intensidade do problema estão aumentando. Somadas, essas zonas, elas equivalem a uma área maior do que o Estado norte-americano do Oregon (com 254.806 quilômetros quadrados). "Nos últimos 40 ou 50 anos a atividade humana degradou a qualidade da água", disse em uma entrevista Robert J. Diaz, o principal responsável por esse estudo. De acordo com Diaz, professor do Instituto de Ciência Marinha de Virgínia, esta tendência não pressagia nada de bom para muitas áreas de pesca. "As zonas mortas tendem a ocorrer em áreas que, historicamente, são regiões de pesca da melhor qualidade."
Embora o tamanho das zonas mortas seja relativamente pequeno quando comparado à superfície total dos oceanos, os cientistas afirmam que elas representam uma porção significativa das águas oceânicas nas quais habitam espécies de peixes e mariscos de grande valor comercial. Periodicamente, os níveis reduzidos de oxigênio dizimam peixes e crustáceos em zonas mortas no fundo das águas de locais como o Golfo do México, a Baía de Chesapeake e o Mar Báltico, fazendo com que as únicas formas de vida restantes neles sejam os micróbios.
Alguns lugares nos quais as zonas mortas aumentaram nos últimos anos são a costa da China e o Mar de Kattegat, com isso a pesca de lagostas da Noruega entrou em colapso. Essas zonas também surgiram inesperadamente em trechos na costa da Carolina do Sul e do Noroeste da América do Norte.
/* Atualizacao do Google Analytics em 25 de Outubro 2009 */