/* Excluido depois do Upgrade do Google em 25 de Outubro de 2009 Fim da exclusao */

sexta-feira, fevereiro 29, 2008

UM GRAVE PROBLEMA MUNDIAL:

77 MILHÕES DE CRIANÇAS FORA DA ESCOLADados do relatório sobre educação apresentado pelo Unicef e pela Unesco (organismos da Organização das Nações Unidas – ONU), apontam que 77 milhões de crianças no mundo estão fora da escola. O número é bastante inferior ao apresentado há cinco anos, mas ainda é “inaceitável”, de acordo com o documento. A maioria absoluta dessas crianças (três quartos) vive na África subsaariana (que abrange os países de população negra situados ao sul do deserto do Saara) e na Ásia meridional e ocidental. O diretor-geral da Unesco afirmou que “quatro em cada dez crianças nascidas no mundo em desenvolvimento crescem mergulhadas na pobreza, na desnutrição e sem poder ir à escola”. Segundo o levantamento, as meninas são as que correm maior risco de jamais freqüentarem uma escola ou abandoná-la prematuramente, especialmente as que vivem em zonas rurais ou muito pobres. Apesar dos tristes dados, o relatório mostra um grande progresso na escolarização infantil, considerando que, entre 1999 e 2004, o número de crianças que não freqüentava a escola caiu em 21 milhões, o que representa um avanço na direção dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio da ONU. A região em desenvolvimento com maior nível de crianças na pré-escola é a América Latina e o Caribe. Porém, o Brasil aparece somente em 72º lugar num índice de desenvolvimento com 125 países, em um bloco intermediário com índice médio. O que mais prejudica o desempenho do País são as altas taxas de repetência e evasão no ensino fundamental, que refletem negativamente no cálculo da taxa de estudantes que iniciaram esse período escolar e conseguem ao menos chegar até o quinto ano. O problema da repetência no Brasil também já foi destacado em outro relatório da Unesco divulgado neste ano. O documento mostrou que o País tinha índices piores do que outros extremamente pobres, como Camboja, Haiti e Ruanda.
Acesse o link da REVISTA*AR. Nela Você encontra novo visual e assuntos do seu interesse

quinta-feira, fevereiro 28, 2008

MUNDO NA UTI...

A DESTRUIÇÃO DA AMAZÔNIA
A Internacionalização da Amazônia já é uma realidade, diz o professor Aluísio Leal especialista no assunto, e aposentado pela Universidade Federal do Pará, no seu argumento de que não há interesse de outros países pelo controle político da região, mas pelo controle econômico, que já existe. E completamos: "Sem nenhum pejo, líderes de grandes nações falam abertamente que o néctar da Amazônia já é transportado para as grandes nações".

Além das considerações acima, é preciso que voltemos no tempo para lembrar que desde o início da colonização do Brasil, as florestas da região costeira vêm sendo derrubadas. A intensificação do desmatamento se acentuou a partir de 1920, após o término da I Grande Guerra, com a vinda de imigrantes, especialmente da Europa. Além do prosseguimento da derrubada das árvores da Mata Atlântica, ocorreu a destruição avassaladora dos pinheirais da região Sul do país. Os técnicos florestais estimam que o desmatamento, em todo o território é superior a 300 milhões de hectares de matas. A situação da Amazônia é cada vez mais preocupante e os estudos confirmam o risco crescente do que mais se teme. A destruição da floresta, como revela um documento recente, que os círculos viciosos da Amazônica, são a seca e o fogo na estufa. Se tudo continuar como agora com a mudança climática e o desmatamento podem destruir ou pelo menos danificar gravemente 55% e 96,9 bilhões da mata até 2030. Ainda de acordo com o documento, o desmatamento da floresta (foto) pode liberar entre 55,5 e 96,9 bilhões de toneladas de dióxido de carbono nas próximas décadas, ou seja, o equivalente a a mais de dois anos de emissões globais de gases do efeito estufa. Quanto à biodiversidade, não há floresta no mundo comparável a ela, com uma flora riquíssima - mais de 30 mil espécies de plantas -, que inclui um terço de toda a madeira tropical disponível no mundo, a Amazônia brasileira já perdeu 13,31% da mata original, o equivalente ao território da França. Os fazendeiros e colonos derrubam a floresta para plantar pastagens, vendendo as árvores cortadas às madeireiras. Estas, especialmente as que trabalham na clandestinidade, atuam como parceiras no processo de destruição, ao viabilizar o desmatamento nas propriedades rurais, embora também ajam isoladamente em várias áreas da floresta. O desmatamento e as queimadas da região Amazônica constituíram as mais sérias preocupações dos ambientalistas nas últimas décadas, por acarretar desequilíbrios imprevisíveis ao ambiente, com conseqüências desconhecidas. Fortes desmatamentos estão ocorrendo na margem esquerda do Rio Amazonas, ao longo da estrada que sai de Oriximiná em direção a Prainha, passando por Óbidos, Alenquer e Monte Alegre, no Pará. O ataque dos predadores à região se dá também pelo oeste, vindo de Novo Progresso, pólo madeireiro às margens da rodovia Cuiabá-Santarém (BR-163). Permitir a continuidade do desmatamento significa condenar a Amazônia ao atraso econômico, à crise social e ao desastre ambiental. Até hoje, aproximadamente dois terços da Amazônia permanecem como floresta virgem e ainda podem ser preservados. Leia também a "Revista-AR

quarta-feira, fevereiro 27, 2008

TECNOLOGIA ESPACIAL

Sonda japonesa filma 'pôr-da-Terra' visto a partir do pólo Sul da Lua
(Imagens feitas em apenas 70 segundos)
Esta bela imagem foi feita com câmera de vídeo de alta definição mandada por rede de TV. Fenômeno só é visível para satélites que orbitarem a Lua a pouca distância.
A parceria entre a Agência de Exploração Aeroespacial do Japão e a rede de TV nipônica NHK apresentou recentemente, as mais belas imagens da Lua e da Terra. Desta vez, a sonda robótica Kaguya, que carrega uma câmera de alta definição da NHK, filmou um magnífico "pôr-da-Terra" de uma posição no pólo Sul da Lua. O satélite também observou um "nascer-da-Terra". É importante lembrar, no entanto, que os fenômenos só são visíveis para satélites em órbita lunar. Um observador postado na superfície da Lua consegue ver nosso planeta o tempo todo, na mesma posição.
Leia também mais uma matéria especial na "Revista-AR"

terça-feira, fevereiro 26, 2008

SRI LANKA NÃO SE ABALA

Tsunami e guerra civil não tiraram a beleza das praias e montanhas de SRI LANKA

Fotos: (1) - Estátuas de Buda (Budismo é a religião predominante no Sri Lanka; (2) - Visão externa de templo hindu em Colombo (a capital); (3) - Reserva Florestal em Dickoya; (4) - Uma de suas várias praias.

Tranqüilidade de praias, montanhas, parques naturais, cachoeiras, rios, templos budistas, hindus, muçulmanos e museus para contar uma história muito confusa de ocupação do território. É isso que você encontra no Sri Lanka, ilha independente localizada no Oceano Índico, ao sul da Índia. Ou pelo menos é o que se espera encontrar.O turismo ajuda a reconstruir o país que teve duas grandes tragédias nos últimos anos. No final de 2004, o tsunami devastou dois terços da costa sul da ilha, matando cerca de 40 mil pessoas e desabrigando outras milhares.

Na parte norte, o povo tâmil quer a independência desde 1983, quando foi criada a organização Tigres de Libertação do Eelam Tâmil (LTTE). Depois da morte de mais de 65 mil pessoas em confrontos armados com o governo, um cessar-fogo foi assinado em 2002. Para tristeza dos pacifistas, alguns atentados terroristas foram cometidos em dezembro de 2007 e, em 2 de janeiro deste ano, o governo declarou que o Sri Lanka está oficialmente em Guerra Civil. Porém, nada consegue tirar as belezas naturais da ilha. A capital Colombo, localizada na costa oeste da ilha, é a campeã de visitas. Conta com uma grande infra-estrutura de hotéis e restaurantes e é um dos principais destinos de férias de turistas europeus.

Como ir: São poucas agências brasileiras quem tem pacote para o Sri Lanka. A Highland Adventures, por exemplo, tem um pacote exótico, de 21 dias, com saída em São Paulo e uma noite em Paris, antes de partir para a Índia. A partir daí o roteiro é dividido entre sul da Índia e Sri Lanka. Sai por US$ 6.390,00 (R$ 11.440,00) por pessoa em apartamento duplo.
Continue conosco. Depois de ler este blog, link o da Revista-AR



segunda-feira, fevereiro 25, 2008

UMA CIDADE MUITO MÍSTICA

Fotos: (1)- A igreja do Rosário (construida toda em pedra de quartzito, maior fonte de renda do município); (2)- A igreja Matriz (ainda conserva o barroco mineiro); (3) Uma casa semelhante a igreja do Rosário, num estilo único da cidade, sempre atraindo arquitetos de todo o Brasil, que resgatam assim a antiga arte de encaixe e empilhamento, feito por profissionais da própria cidade.
São Tomé das letras é cercada por uma aura de mistério. Muitos acreditam que esta é uma das sete cidades escolhidas para abrigar uma nova civilação, após o juízo final. O misticismo vem de tempos remotos, atavés das lendas contadas pelos antigos habitantes.
A toca da "Saudade" tem uma história verdadeira de amor. Morava em São Thomé uma família nativa no lugar cujo chefe foi acometido pela hanseníase. Foi necessário separá-lo dos familiares. Ele ficou sozinho na grande casa, enquanto a família foi morar em Três Corações. Contam que esse senhor passava horas debaixo dessa toca, olhando a cidade de Três Corações, e ali, muitas vezes, chorava e falava sozinho. Com certeza sentindo "saudade" de seus familiares. A toca, segundo informações, foi cuidadosamente desmontada e remontada em uma mansão em São Paulo.
Chico Taquara morava em uma gruta próxima da cidade, era conhecido pelas curas milagrosas que fazia e famoso por conversar com os animais. Chico Taquara se tornou uma lenda viva. Quando caminhava pelas ruas do povoado, levava suas poucas reses e, na hora de entrar nas vendas, riscava um círculo no chão. Os animais não saiam do círculo. Quando batia palmas, os passarinhos pousavam sobre a sua cabeça e ombros. Um dia Chico Taquara desapareceu. Há quem diga que ele ainda está vivo, em uma das grutas da região. De acordo com os esotéricos, Chico Taquara era um enviado de uma civilização intraterrena e retornou ao interior da Terra, após ter cumprido sua missão. São Tomé das Letras está localizada no sul do estado de Minas Gerais, a 335km de Belo Horizonte e 350km do Rio de Janeiro e de São Paulo. É a quarta cidade mais alta do Brasil, a 1.444m Cidades limítrofes: Três Corações, Luminárias, Cruzília, Baependi e Conceição do Rio Verde. São Tomé das Letras não se resume na sua parte mística. Percorrendo o município, você enconta mutos atrativos como a pedra ao lado, a Ladeira do Amendoim (onde o carro sobe desligado), inúmeras cachoeiras , com destaque para a Véu da Noiva, a Eubiose, Lua, a Chuva, Paraíso, e a do Flávio. A Pedra da Bruxa (ao lado), a Pirâmide e o Shangrilá (com inúmeras incrições rupestres). Para os mais jovens, há inúmeros locais para a prática de esportes radicais: Off-road, enduro; montain bike, canoagem, e todas as modalidades de alpinismo. Obrigado pelo seu apoio aos blogs: "Arquivos de um Repórter" e "Revista-AR"

sábado, fevereiro 23, 2008

*******O HOTEL MAIS LUXUOSO DO MUNDO*******
Nos Emirados Árabes, o único sete estrelas

Se algo parece ouro, então é ouro ! Frota de Rolls-Royce, TVs de plasma de 42 polegadas nos quartos, mordomos 24 horas por dia e serviço que borrifa água francesa nos hóspedes na praia. Assim é um dia comum no Burj Al Arab, o hotel mais luxuoso do mundo. A construção erguida sobre uma ilha artificial: 8 000 metros quadrados de ouro na decoração
A respeito do Burj Al Arab ("Torre das Arábias", em português), costuma-se dizer o seguinte: se algo parece ouro, então é ouro. Soa como uma fábula dos contos das mil e uma noites! Pois é tudo verdade. Na decoração da construção, localizada em Dubai, nos Emirados Árabes, foi usado ouro suficiente para cobrir um campo de futebol oficial. O mesmo estilo nababesco permeia todos os outros detalhes do hotel, erguido para hospedar o clube de felizardos que podem pagar por uma diária mínima de 2 000 dólares (na estratosfera da tabela de preços do estabelecimento encontra-se a suíte real, com diárias de 13 600 dólares). Famosos como o casal de astros hollywoodianos Brad Pitt e Angelina Jolie já passaram as férias por lá. O lugar também foi o escolhido pela modelo inglesa Naomi Campbell para celebrar a chegada de seus 36 anos. Na festa, ocorrida em maio do ano passado, o hotel funcionou exclusivamente para os convidados da aniversariante, durante três dias. A conta de 2 milhões de dólares foi bancada pelo então namora
do de Naomi, o bilionário árabe Badr Jafar. "O Burj Al Arab está para Dubai assim como a Torre Eiffel está para Paris", afirmou o francês Luc Delafosse, gerente-geral do hotel. "Ele virou o grande símbolo da cidade da cidade de Dubai." Tudo ali foi concebido para superar de longe o que a concorrência oferece de melhor em termos de luxo. Seus administradores criaram até uma nova categoria para defini-lo: sete estrelas. O festival de mordomias começa no traslado do aeroporto de Dubai ao Burj Al Arab -- o serviço é feito a bordo de helicópteros ou de Rolls-Royce. O saguão do hotel tem o átrio mais alto do mundo, com 180 metros (foto 2) . O check-in é realizado diretamente nos quartos. As suítes mais "apertadas" possuem 170 metros quadrados, enquanto as mais luxuosas ocupam uma área quatro vezes maior (foto 3). Todas são no padrão dúplex, com vista privilegiada para o Golfo Pérsico, e vêm equipadas com laptops, TVs de plasma de 42 polegadas e um menu que permite aos ocupantes escolher entre 13 opções de travesseiro. Há também um mordomo por andar à disposição dos hóspedes, 24 horas por dia.
O Burj Al Arab reúne atrações típicas dos grandes resorts. Sua área de gastronomia, por exemplo, possui seis restaurantes. Um dos
mais badalados é o Al Mahara, onde as mesas estão dispostas ao redor de um aquário gigante com tubarões e enguias, entre outras espécies (foto 4). (Na foto 5), uma de suas várias salas de estar. O complexo de lazer inclui três piscinas e um health club com personal trainers. Como o Burj Al Arab fica numa ilha artificial a 280 metros da praia, existe uma frota de carros elétricos que transportam os hóspedes por uma ponte até o continente. Lá, instalados na areia, eles recebem toalhas geladas e, de tempos em tempos, jatos de spray da água francesa Evian para suportar a temperatura que, no verão, bate na casa dos 40 graus centígrados. "Desfrutar de todas essas mordomias é uma experiência inigualável", afirma o arquiteto brasileiro Luiz Fernando Rocco, que passou as férias ali em 2005. A idéia da construção desse oásis de mordomia no meio do deserto foi do xeque árabe Mohammed bin Rashid Al Maktoum, príncipe herdeiro de Dubai. Mais de 70 000 metros cúbicos de concreto e 9 000 toneladas de aço foram usados para erguer a torre de 321 metros de altura em formato de vela de barco (na primeira foto)-- um tributo à tradição marítima da região. Até hoje permanece em segredo o valor gasto no projeto. Sua inauguração ocorreu em 1999 e, desde então, os proprietários não têm poupado esforços para promovê-lo. Em 2005, por exemplo, o heliponto do Burj Al Arab foi transformado numa quadra de tênis para um jogo de exibição entre o americano Andre Agassi e o suíço Roger Federer.
A construção do Burj Al Arab faz parte de um pacote maior, destinado a colocar Dubai no centro do mapa turístico mundial. Preocupada com o fim das reservas de petróleo, viga de sustentação das finanças da cidade-estado a família real vem investindo para livrar a economia local da dependência do dinheiro do combustível.
Na Revista-AR, a matéria sobre o risco que está correndo o maior coral do mundo!

sexta-feira, fevereiro 22, 2008

OBRAS REALÇAM A NATUREZA

.. Passeio no céu sobre o GRAND CANYONNesta ponte de vidro, podem aterrar 71 Boeing 747. Podem soprar ventos de 161 quilómetros por hora e pode até acontecer um tremor de terra num raio de 80 quilómetros, que a nova ponte sobre o Grand Canyon, nos Estados Unidos, não cede. Inaugurada recentemente, foi construída para ser um feito da engenharia. E tem o apoio da tribo indígena Hualapai, que ali vive e quer partilhar a paisagem, a troco, claro, de parte da receita das visitas. É um passeio pelo céu - daí o nome "Skywalk", com o qual foi batizada. Erguendo-se a 1220 metros do chão e afastada 20 metros da montanha, oferece uma visão extraordinária deste que já é um dos pontos turísticos mais procurados nos Estados Unidos. Os índios Hualapai, proprietários da reserva onde se situam aquelas terras, esperam, segundo a BBC, atrair milhares de visitantes a uma área marcada por uma elevada taxa de desemprego. "Quando temos tanta pobreza e desemprego, devemos fazer alguma coisa, temos obrigação disso", disse à Associated Press, Sheri Yellowhawk acrescentando: "Pareceu-nos uma boa ideia", Mas nem todos confiam no sucesso do projecto, que começou a ser pensado em março de 2004: alguns membros da tribo defendem que a construção da ponte é uma profanação de solo sagrado e há ambientalistas preocupados com a poluição da zona. "Quando essa ponte ficou pronta foi como se me estivessem a apunhalar", disse à BBC Dolores Honga, uma anciã da tribo. Apesar de poder suportar o peso de 800 pessoas, para a sa inauguração só foram convidadas 120. A mais célebre é a do antigo astronauta Edwin "Buzz" Aldrin, habituado a ficar no vazio, não deve ter estranhado a sensação de não ter chão debaixo dos pés. É que a estrutura da ponte - que não é verdadeiramente uma ponte, não ligando duas margens, mas uma passadeira, em forma de "u", toda feita em vidro. O que, para além de obrigar a uma limpeza constante, obriga ao uso de calçado especial - que não risque o vidro - por parte dos visitantes. Paga por David Jin, um homem de negócios de Las Vegas, a Skywalk foi oferecida à tribo indígena, que partilhará a vista e da receita das visitas. Uma coisa é certa: para permitir que os turistas apreciem a paisagem, a plataforma foi construída a 1220 metros do chão, dando maior amplitude a paisagem.
Click agora a Revista-AR. Está imperdível!

quinta-feira, fevereiro 21, 2008

FÚRIA DA NATUREZA

Tempestades e tornados podem dobrar nos EUA até o fim do séculoEnquanto os Estados Unidos se isolam cada vez mais nas discussões sobre o aquecimento global, um novo estudo faz previsões catastróficas sobre os impactos das mudanças climáticas no país. O trabalho sugere que, com os cenários atuais de emissões de gases-estufa, a freqüência de condições que desencadeiam severas tempestades e tornados deve aumentar em mais de 100% no país até o final deste século.Os autores, liderados por Robert Trapp, da Universidade Purdue, em Indiana, avaliaram duas condições típicas das tempestades: a energia dos raios e a variação na velocidade e na direção do vento. Normalmente grandes descargas energéticas e fortes variações no vento em uma área localizada promovem tempestades destrutivas.A equipe trabalhou com modelos climáticos que consideram a elevação de temperatura entre 2C e 6C-prevista no relatório divulgado neste ano pelo IPCC (Painel Intergovernamental de Mudança Climática). Os pesquisadores norte-americanos descobriram que este aquecimento já deve ser suficiente para aumentar o número de dias com essas condições meteorológicas.O IPCC já havia apontado para este risco. O simples aumento do calor já deve incrementar o nível de precipitações. Mas as intrincadas condições atmosféricas que desencadeiam eventos mais extremos também podem ser afetadas, aumentando a chance de sua ocorrência.Pelas previsões, divulgadas hoje na revista científica "PNAS" (www.pnas.org), algumas das cidades mais afetadas devem ser Atlanta e Nova York. Apesar de George W. Bush não ter dado inclinações de que vai discutir redução das emissões em Bali, isso poderia evitar o aumento das tempestades, concluíram os cientistas.
Depois de ler Arquivos de um Repórter, link a Revista-AR

segunda-feira, fevereiro 18, 2008

ENTENDA O PROCESSO ELEITORAL NOS EUA

As eleições presidenciais nos EUA acontecem a cada quatro anos e todo cidadão norte-americano nato, com mais de 35 anos, pode concorrer ao cargo. Embora cerca de 150 milhões de pessoas estejam aptas a votar, o voto não é obrigatório. O presidente e o vice-presidente dos EUA não são escolhidos diretamente pelos eleitores, mas por um Colégio Eleitoral. Cada Estado dos EUA tem um número de delegados no Colégio Eleitoral definidos de acordo com a sua população. Os eleitores de cada Estado votam numa lista de delegados comprometidos com uma das chapas de candidatos a presidente e vice-presidente. Esses delegados, em número proporcional à população de cada Estado, formam o Colégio Eleitoral. Estados como a Califórnia, Nova York e Texas, que são muito populosos, contam com um grande número de representantes no Colégio Eleitoral. Os delegados podem votar com sua convicção, mas tradicionalmente optam por seguir a votação dos eleitores em cada Estado. À exceção dos Estados de Maine e Nebraska, o candidato que receber mais votos populares em um Estado recebe os votos de todos os respectivos delegados. Os outros candidatos ficam sem nenhum voto. Em Maine e Nebraska, os votos são divididos de acordo com a proporção obtida por cada candidato nesses Estados. Em 1888, o republicano Benjamin Harrison ficou cerca de um ponto percentual atrás do democrata Grover Cleveland no voto popular, mas, ainda assim, ganhou no Colégio Eleitoral. Delegados: No total, são 538 delegados. O candidato que conseguir 270 votos no colégio é eleito presidente. Caso dois candidatos obtenham 269 votos cada um, o desempate será na Câmara dos Deputados. O novo presidente seria escolhido então entre os três candidatos mais votados na eleição. Nesse caso, o vice-presidente seria escolhido pelo Senado entre os dois mais votados. Durante a contagem dos votos, o Colégio Eleitoral não chega a se reunir. Os votos dos delegados são enviados ao Senado. Em sessão conjunta Senado e Câmara, o presidente do Senado [cargo ocupado pelo vice-presidente] conta os votos e divulga o resultado. Primárias: Acontecem em todos os Estados do país. São eleições locais que definem os delegados que participarão das convenções dos partidos. São estes delegados que irão escolher o candidato de cada partido à Presidência. Os diretórios estaduais têm liberdade para definir as regras e, em boa parte dos Estados, somente os eleitores registrados nos partidos podem votar.As primárias elegem delegados estaduais que, por sua vez, escolhem o candidato do partido que concorrerá ao cargo.Pode ocorrer, em alguns Estados, que o concorrente mais votado receba todos os votos dos delegados. Em outros, o número de delegados para cada pré-candidato é proporcional aos votos dos eleitores.
Convenções: As convenções são grandes festas realizadas pelos partidos para marcar o lançamento do candidato para a eleição.Votam nas convenções os delegados estaduais escolhidos nas primárias.Os democratas realizaram a sua convenção em julho, em Boston. Os republicanos, em Nova York, entre 30 de agosto e 2 de setembro.
Campanha: Uma vez definidos os nomes que vão concorrer às eleições, os candidatos começam a fazer as campanhas eleitorais, que duram cerca de três meses. Nessa altura, os candidatos tentam obter o apoio dos eleitores que apoiaram os pré-candidatos derrotados na convenção do partido. Ao mesmo tempo, o programa de governo dos candidatos começa a ser definido, abrindo espaço para reivindicações defendidas pelos colegas derrotados.O ponto mais forte das campanhas são os anúncios na TV, já que os candidatos não têm direito a horário eleitoral gratuito. Ou seja, eles têm de pagar para poder veicular seus anúncios. Isso justifica a importância de eles conseguirem arrecadações elevadas de fundos, antes de começar a campanha.
Link o blog da "Revista-AR", e veja mais uma importante reportagem!

quinta-feira, fevereiro 14, 2008

ECONOMIA

QUANTOS PAÍSES JÁ ADOTARAM O EURO ? O euro (€) é a moeda oficial de 13 dos 27 países que adotaram a moeda comum: Alemanha, Áustria, Bélgica, Eslovénia (aderiram à moeda em 2007), Espanha, Finlândia, França, Grécia (aderiram em 2001), Irlanda, Itália, Luxemburgo, Países Baixos e Portugal. Preve-se que com a expansão da União Europeia alguns dos aderentes possam nos próximos anos partilhar também o euro como moeda oficial. Alguns pequenos países europeus que não praticavam políticas de moeda própria usam também o euro: Andorra, Mônaco, São Marino e Vaticano. O Montenegro também utiliza o euro como sua moeda oficial. A 1º de Janeiro de 2007, a Eslovénia foi o 13.º país a aderir à moeda única, tendo sido estabelecida pelo Conselho da União Europeia a cotação do Tolar em 239,640 por cada euro. Outros países tinham a sua moeda fixada a uma antiga moeda européia. Era o caso do escudo cabo-verdiano, que estava ligado ao escudo português, e do franco CFA, atrelado ao Franco francês, em circulação em diversos países africanos.
O banco que controla as emissões do euro e executa a política cambial da União Europeia é o
Banco Central Europeu, com sede em Frankfurt am Main, na Alemanha.
Com a implementação da nova moeda no quotidiano,
decidiu-se que as regras para a formação do plural da palavra (euro, euros, euri), quanto ao gênero, o uso da vírgula ou ponto para separação das casas decimais, e símbolo da unidade monetária manter-se-iam segundo as convenções nacionais de cada país da
União Europeia. O euro existe desde Janeiro de 2002, e como moeda escritural desde Janeiro de 1999.
Cotação de ontem (13), data do fechamento desta matéria:
1 real= 1,74 U$D
1 real= 2,54 EUR
Não deixe de ler a Revista-AR. É só linkar!

quarta-feira, fevereiro 13, 2008

SOL, ENERGIA INESGOTÁVEL

Estados Unidos querem construir usina solar espacial
(Dos correspondentes Roberto Junior e Bruno Kirsten, Houston, TX)

(Esta foto da Estação Espacial Internacional - ISS, é meramente ilustrativa)
A idéia não é exatamente recente e possui inúmeras variações. Agora, porém, o setor de segurança dos Estados Unidos parece estar definitivamente engajado no desenvolvimento da tecnologia necessária para coletar energia solar no espaço e enviá-la para a Terra. O primeiro passo deverá ser a construção de dois satélites de demonstração, que possam testar e avaliar o funcionamento do conceito como um todo. O relatório divulgado pelo governo norte-americano, chamado Energia Solar Espacial como uma Oportunidade para a Segurança Nacional, defende que o desenvolvimento das tecnologias seja feito pela iniciativa privada, com financiamento governamental. O projeto consiste no lançamento de painéis solares gigantescos, com vários quilômetros de diâmetro. Uma vez em órbita, esses painéis captarão a energia solar e a enviarão para a superfície por meio de um feixe de microondas ou laser. No solo, o feixe de energia vindo do espaço será coletado por antenas especiais e então convertido em energia elétrica. Ao contrário dos painéis solares utilizados hoje, aqui na Terra, os painéis solares espaciais ficariam o tempo todo recebendo a luz do Sol, não interrompendo a captação de energia durante a noite. Eles deverão ficar em uma órbita geoestacionária, sobre um ponto fixo da Terra, o que é essencial também para que o foco de energia seja transmitido para o solo. O feixe de energia que chega ao solo também é enorme, exigindo a construção de uma estação de captação de cerca de um quilômetro de diâmetro. Segundo os especialistas, considerando um feixe de microondas para que a energia chegue à Terra, não haverá nenhum risco para aviação e nem mesmo para os pássaros. Segundo eles, as antenas de coleta poderão ser transparentes e até poderão ser feitas plantações por debaixo delas. O projeto é tão grandioso quanto os desafios a serem vencidos para viabilizá-lo. O próprio relatório estima que a construção de um protótipo, capaz de enviar um feixe de 10 megawatts de eletricidade para a Terra, levará cerca de 10 anos para ser construído, a um custo de US$10 bilhões. Críticos do projeto, contudo, apontam que há problemas ainda maiores do que o orçamento. Sua viabilização exigiria o desenvolvimento de foguetes ou naves reaproveitáveis, num momento em que a NASA está se preparando para desativar os ônibus espaciais. Uma usina solar espacial, apontam esses críticos, capaz de produzir a mesma potência hoje gerada por uma usina termelétrica, teria uma massa de 3.000 toneladas - mais de 10 vezes a Estação Espacial Internacional. "Arquivos de um Repórter" recomenda: Veja também a "Revista-AR". É só linkar!

terça-feira, fevereiro 12, 2008

UMA RODA-GIGANTE QUE FAZ JUS AO NOME...

A maior do mundo dá sua primeira volta em CingapuraA nova roda possui 28 cabines, para 28 pessoas cada, totalizando 748 ocupantes. Numa única volta de 30 minutos o passageiro tem uma visão privilegiada da Baía de Cingapura, os pontos mais característicos da cidade, e em dias claros, dois países visinhos: Malásia e Indonésia
A roda-gigante mais alta do mundo, de 165 metros de altura, situada em Cingapura, a Singapore Flyer, foi inaugurada simbólicamente, ontem depois que um grupo de pessoas pagar para viver essa experiência de milhares de dólares cingapurianos. A atração, que supera a "London Eye" de Londres em 30 metros, não será aberta ao público até o próximo dia 1º de março, segundo a encarregada de sua construção, a Great Wheel Corp, informou a imprensa.A Singapore Flyer conta com 28 cabines do tamanho manho de um ônibus urbano com uma capacidade para 28 pessoas que permite aos passageiros caminhar sem sentir nenhuma vibração durante os 30 minutos de rotação.O preço das entradas para os adultos vai desde os 29 dólares cingapurianos (US$ 20) de uma viagem simples até os 69 dólares (US$ 48) que inclui coquetéis e "embarque rápido". Além disso, também é possível alugar uma cabina inteira por cerca de 1.000 dólares cingapurianos (US$ 704) e por 1.500 (US$ 1.057) nos fins-de-semana e à noite. A roda-gigante permitirá aos visitantes desfrutar da vista da baía de Cingapura e dos pontos mais característicos da cidade, e em dias claros os países vizinhos, Malásia e Indonésia. Os responsáveis da Great Wheel Corp disseram que esperam ter 10 milhões de passageiros por ano, enquanto a cidade-estado, que conta com menos de 5 milhões de habitantes, recebeu o ano passado 10,3 milhões de turistas, segundo dados do Ministério do Turismo.
Para ver uma reportagem especial, é so linkar a Revista-AR!

sábado, fevereiro 09, 2008

--FS--RELIQUIAS DA HUMANIDADE

"ANGKOR WAT" MARAVILHA DO MUNDO !Fotos: (1)- O Majestoso templo de Angkor Wat; (2)- A localização do Camboja na Ásia; (3)- Vista aérea mostrando toda a magnitude do templo; (4) - a beleza do templo refletinda no lago, ao anoitecer.







Angkor Wat (ou Angkor Vat) é um templo em Angkor, Camboja. Foi construído pelo rei Suryavarman II, no começo do século XII, como o seu templo central e capital do Estado. É o maior e mais bem preservado templo no local e também o único que restou com importante significado religioso - inicialmente hindu, e depois Budista - desde a sua fundação. O templo é o ponto máximo do estilo clássico da arquitetura Khmer, e tornou-se símbolo do Camboja, aparecendo em sua bandeira (à esq.) e sendo sua principal atração turística. Foi desenhado para representar o Mount Meru, casa dos deuses da mitologia Hindu. Dentro de um fosso e uma parede externa de 3.6 km (2.2 milhas) de comprimento, estão três galerias retangulares, cada uma erguida em cima da outra. No centro do templo fica um quinteto de torres. Diferente da maioria dos templos Angkorianos, Angkor Wat fica virado para oeste, estudiosos se dividem em relação ao significado disto. Também pela grandiosidade e harmonia de sua arquitetura, o templo é admirado pelos seus baixos relevos extensos e pelos vários desenhos que adornam suas paredes.
Assesse o link: Revista-AR, mostrando neste Fim de Semana, as paradisíacas Ilhas Fiji!!!

quinta-feira, fevereiro 07, 2008

NOSSOS AEROPORTOS SÃO SEGUROS?

CARROS ARRASTADOS PELA TURBULÊNCIA DOS AVIÕESVocê acha que o Brasil tem há algum aeroporto que pode ser considerado 100% seguro?Pois é o que a presente matéria pretende mostrar, é claro que nem todos eles seriam reprovados, mas se formos exigentes, certamente vamos encontrar desde pequenas falhas, até as incontornáveis. Então vamos nos posicionar naquilo que poderia ser chamado de pequena falha. Examine atentamente esta foto do Aeroporto Santos Dumont no Rio de Janeiro, considerado um dos mais belos do mundo! Veja que da esquerda para à direita na parte baixa há uma estradinha, bem rente as duas cabeceiras da pistas. A seguir observe o contraste entre essa "inocente" estradinha, e a opulenta Escola Naval, a qual ela é seu único acesso. A escola ocupa toda ilha à direita da foto. Esta matéria confirma que tudo que aparentemente parece ser insignificante, de repente pode se tranformar em arma mortal, principalmente quando se trata de uma área de tráfego intenso e de operações extremamente velozes.
FATO 1 - No dia 31 de janeiro de 2002, um Boeing 737-300 da VASP, quando decolava do Aeroporto Santos Dumont (RJ), a turbulência da sua decolagem , causou a capotagem de um táxi (foto), que passava pela rua Almirante Silvio de Noronha, a cinco metros apenas da cabeceira da pista 02, e que dá acesso a Escola Naval. situada exatamente a cinco metros da cabeceira da pista 02 do Aeroporto Santos Dumont. O acidente ocorreu por volta das 8h58 quando o táxi Santana, placa LCA 9478, seguia com destino à Escola Naval. O seu motorista, Antonio de Almeida Macedo, foi retirado com vida, mas não resistiu aos ferimentos vindo a falecer no hospital.
FATO 2 - Decorridos cerca de 20 dias do acidente anterior, mais precisamente no dia 21 de fevereiro de 2002, mais um acidente ocorreu com um veículo que transitava na mesma rua, cuja a deslocação de ar provocada pelo Boeing 737-300 da RIO-SUL, no momento em que decolava para Brasília, acabou projetando no ar, por duas vezes, um veículo Golf - com duas senhoras - provocando escoriações graves em suas duas ocupantes (foto). As informações são contraditórias se o veículo obedeceu ou não a sinalização sonora existente no local que é acionada pela Torre do Aeroporto Santos Dumont.
Acesse também o link da Revista-AR

quarta-feira, fevereiro 06, 2008

CINE-AVIÃO...

CINE-AVIÃO,VIRA A GRANDE ATRAÇÃO DE ARAÇARIGUAMA Fotos: (1) - No dia 23 de outubro de 2006, Centenário do primeiro vôo de Santos Dumont, a cidade de Araçariguama, a 50 km de S.Paulo, inaugurava nesta praça o Cine-Avião JK; (2) Na mesma oportunidade foi inaugurada a praça Juscelino Kubitschek. Entenda o porque dessas homenagens simultâneas, ao pai da aviação e ao Construtor de Brasília...
Quem viaja pela Castello Branco e passa por Araçariguama, interior de São Paulo, avista no alto da montanha um avião pronto pra decolar. Não, não é uma ilusão de ótica e nem um aeroporto encravado num local inusitado. É o Cine Avião JK, instalado ao lado da escultura do Desbravador da Esperança, outro marco da cidade, com mais de 25 metros de altura. O avião Viscount 58, uma aeronave turbo-hélice adquirida pela prefeitura de Araçariguama em um leilão de sucatas da Vasp, foi todo reformado e adaptado com um moderno sistema de imagem e som adequados para sua nova missão: cine-avião para entretenimento turístico da comunidade local, visitantes e em especial para as crianças. Com capacidade para 70 pessoas, o cinema projeta filmes educativos. A história do turbo-hélice, Vickers Viscount é curiosa: O avião foi doado ao Brasil pela Rainha da Inglaterra e
serviu durante mais de 10 anos como avião reserva do então presidente da República Juscelino Kubitschek, que pelos levantamentos realizados utilizou o referido avião em pelo menos 22 viagens, várias delas sobrevoando a então futura capital do Brasil, Brasília inaugurada em 21 de abril de 1960.
Com um ano de funcionamento, o curioso Cine-Avião já recebeu mais de 50 mil visitantes, vindos de todas as partes do Estado. A atração tem proporcionado também a oportunidade de alguns verem e conhecerem pela primeira vez um avião de perto. Por conta desta e de outras atrações (Mina de Ouro, Rancho do Bacalhau) Araçariguama, com seu pioneirismo e espírito vanguardista, entra na rota
turística do oeste paulista. (Acima a localização de Araçariguama)
/* Atualizacao do Google Analytics em 25 de Outubro 2009 */