/* Excluido depois do Upgrade do Google em 25 de Outubro de 2009 Fim da exclusao */

quinta-feira, julho 30, 2009

--BlogTur--

São João del Rei preserva a história
O trem para Tiradentes continua um sucesso de públicoA Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) passou a administrar desde setembro de 2001 o complexo ferroviário de São João del Rei, em Minas Gerais. A concessão foi dada pelo Ministério dos Transportes ainda em caráter precário, pelo período de um ano, até que a Agência Nacional de Transportes, passou a regular efetivamente o setor. Sob nova administração, o museu foi reaberto e o trem de passageiros entre São João del Rei e Tiradentes que operava com apenas duas locomotivas, agora dispõem de quatro máquinas a vapor.
<<<>
, de 1908, original, exceto o limpa-trilhos. O complexo ferroviário de São João del Rei, totalmente tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), reúne o maior acervo de locomotivas a vapor preservado e original de um mesmo fabricante - Baldwin - e de uma mesma ferrovia - a Estrada de Ferro Oeste de Minas (EFOM). No local existem quinze locomotivas Baldwin especialmente fabricadas para bitolinha de 0,76 m, sendo que apenas uma está sucateada. Seis estão operacionais, duas a lenha e quatro a óleo. As outras oito locomotivas estão completas, mas paradas - sete na rotunda, construída em 1882, e uma no museu da gare. O complexo guarda ainda outras três locomotivas de bitola métrica da antiga Rede Sul Mineira: duas Baldwin - uma delas cortada ao meio para demonstração - e uma alemã Schwartzkopff , além de diversos carros de madeira e até um carro funerário, com uma urna no centro para transportar caixão. No final dos anos oitenta, o complexo de São João Del Rei recebeu a visita de descendentes da família Baldwin. Segundo relato de funcionários da ferrovia, os Baldwin - que chegaram a ser os maiores fabricantes de locomotivas dos EUA, antes das diesel - nunca tinham visto tantas máquinas com sua marca preservadas.
E o que salvou estas locomotivas, num país que cortou e vendeu como sucata a maioria das máquinas a vapor, quando elas foram substituídas pelas diesel-elétricas? O fato das locomotivas da Estrada de Ferro Oeste de Minas rodarem em bitolinha, impediu que elas fossem espalhadas por outras ferrovias todas em bitola métrica ou larga (1,60m). Em todo o Brasil, a tração a vapor foi substituída nas décadas de 1950 e 1960, mas ali as vaporosas trabalharam duro até o início dos anos 80. Chegaram a transportar 11 trens diários de cimento entre a fabrica de Barroso e Aureliano Mourão, em Lavras, onde a carga passava para bitola métrica e seguia até Maringá-Paraná. O destino final era a barragem da Usina Hidrelétrica de Itaipu, em Foz do Iguaçu. Depois disso, a maioria das locomotivas de S. João Del Rei foi aposentada, mas o trem turístico para Tiradentes nunca deixou de operar. (Na foto acima, o girador de locomotivas na cidade de Tiradentes) Veja sábado e domingo mais uma curiosidade em nosso MUNDO INSÓLITO

quarta-feira, julho 29, 2009

Um pouco da nossa história:

A FOTO PROIBIDA
(Foto da fachada do Palácio do Catete - hoje, transformado no Museu da República.)
Getúlio Dornelles Vargas, nasceu em São Borja (RGS), em 19 de abril de 1882 — e faleceu no Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1954. Getulio, foi duas vezes presidente da república do Brasil. Na primeira, de 1930 a 1945, quando teve poderes absolurtos com a implantação do Estado Novo. Na segunda, de 1951 a 1954, governou como presidente eleito por voto direto. Getúlio era chamado de "O pai dos pobres", e "Doutor Getúlio".A sua doutrina e estilo políticos foram denominados de getulismo ou varguismo. Os seguidores, até hoje existentes, são denominados getulistas. Depois de sofrer a mais mordaz oposição que se tem conhecimento, Getúlio, suicidou-se em 1954, com um tiro no coração, no seu quarto, no Palácio do Catete, na cidade do Rio de Janeiro, então capital federal. Getúlio Vargas foi o mais controvertido político brasileiro do século XX, e sua influência se estende até hoje. Sua herança política é invocada por pelo menos dois partidos políticos atuais: o Partido Democrático Trabalhista (PDT) e o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).
(A foto proibida, pertence ao meu arquivo deste blog)
Quando Getúlio suicidou-se, eu tinha 14 anos de idade, mas pude sentir a comoção que esse ato extremo causou às classes mais pobres do Brasil. Naquele tempo, ir ao Rio de Janeiro era mais dificil, do que viajar atualmente para os EUA. Em1995, fui ao Rio e hospedei-me num hotel, que ficava a poucos metros do Palácio do Catete, hoje transformado no Museu da República. Levado pela curiosidade, própria de um jornalista, fui conhecer o velho palácio impelido pela curiosidade de visitar o local onde o presidente renunciou a própria vida. Mesmo sabendo da proibição do uso de câmeras fotográficas, escondi a minha, com o objetivo de fotografar o local, que um dia, não só estarreceu o Brasil mas o mundo inteiro. Ao chegar aos aposentos de Vargas (bem conservados), ao entrar no seu dormitório, deparei com a cama sobre a qual ele pôs fim a sua própria vida. Depois de 41 anos, não pude me conter,. Estava só, diante da cama mais importante da nossa história, e a fotografei mesmo correndo risco. Ao ouvir o "clic" um guarda do Museu, passou a me observar, virando a minha própria sombra. Consegui em tempo, escondê-la novamente na cintura, protegendo-a com o meu paletó. Quanto mais eu olhava a cama naquele quarto frio e intrigante mais a minha mente se aguçava. Lembrei-me, de que sobre um dos criado-mudos (foto) ao lado do seu cadáver, Vargas havia deixado uma carta-testamento, acusando grupos financeiros nacionais e internacionais, e opositores ao aumento de 100% que havia concedido ao salário mínimo, instituido em seu goveno. Também citou os lucros extraordinários da Petrobrás e Eletrobrás, e conclui seu testamento com esta frase:“Esse povo de quem fui escravo não mais será escravo de ninguém. Eu vos dei a minha vida. Agora vos ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na história."
Outra foto histórica, esta de autor desconhecido: No Aeroporto Santos Dumont (RJ), este DC-3, da extinta Cruzeiro do Sul, já está taxiando rumo à pista de decolagem. A bordo, o corpo de Getúlio Vargas, que foi trasladado para São Borja (RS), para ser sepultado. A família recusou o direito de uso de um avião oficial.

terça-feira, julho 28, 2009

AUTOMÓVEL, A NOSSA GUERRA DIÁRIA
Brasil já é o quinto país com mais mortes no trânsito
O Brasil é o quinto país do mundo com maior número de óbitos no trânsito, com 35,1 mil mortes, segundo pesquisa divulgada em junho pela Organização Mundial de Saúde (OMS), referente ao ano de 2007. O País só é superado pela Índia (105,7 mil), China (96,6 mil), Estados Unidos (42,6 mil) e Rússia (35,9 mil). A pesquisa apontou também que, no mundo, morrem cerca de 1,2 milhão de pessoas por ano em acidentes de trânsito, das quais 46% são pedestres, ciclistas ou motociclistas. “Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, o pedestre, maioria dos brasileiros, possui sempre a preferência nas ruas, algo que não é colocado em prática e fica como uma conquista à espera de fiscalização mais eficaz. Já a maioria dos motoristas brasileiros, protegidos por cintos e estruturas de aço, continua com comportamento inadequado e estabelece com o pedestre uma relação semelhante à briga entre uma criança e um adulto”, comenta Eduardo José Daros, presidente da Associação Brasileira de Pedestres. Esse clima de “guerra” se concretiza em números assustadores: cerca de 400 brigas e discussões no trânsito são registradas, em média, por dia, pela Polícia Militar, apenas na cidade de São Paulo. A maioria, porém, não envolve agressões físicas. Para tentar diminuir essa incidência, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) determinou que, a partir deste mês, os motoristas ou motociclistas que se envolverem em acidentes graves de trânsito terão a carteira nacional de habilitação (CNH) suspensa e serão obrigados a pagar R$ 183 e realizar, durante cerca de 6 meses, exames de reavaliação. Segundo Cyro Vidal, presidente da Comissão de Assuntos e Estudos sobre o Direito do Trânsito da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), de São Paulo, o maior problema é a falta de educação no trânsito. “Mesmo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) exigindo que o ensino de trânsito seja aplicado em todos os níveis educacionais, a educação nas ruas permanece como algo utópico que só é aplicado no Ensino Fundamental. Por sua vez, a parte das multas que deveria ser investida justamente na educação, é utilizada para fins como o pagamento de décimos terceiros”, acrescenta.
>>>Veja também: Google Indica, revist@=@r e photolink

segunda-feira, julho 27, 2009

AMAZÔNIA PEDE SOCORRO E a última: "Metas de preservação não serão cumpridas" O Brasil não cumprirá as metas estabelecidas para 2010 na Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB), considerado o mais importante acordo internacional para preservação da flora e da fauna do planeta, e que foi estabelecido durante a ECO-92, no Rio de Janeiro. Em 2006, o País garantia que o desmatamento da Mata Atlântica seria zerado. No entanto, entre 2000 e 2008, a derrubada foi de 34,1 mil hectares por ano. O Brasil também se comprometeu a reduzir em 75% o desmatamento da Amazônia, mas, entre 2005 e 2008, a redução não passou dos 37%.
Patrimônio da Amazônia é queimado, destruído e saqueado por estrangeiros. Até quando a floresta aguentará? A Amazônia, maior floresta tropical do mundo, está acabando. São mais de 800 mil quilômetros quadrados devastados e, a cada ano, perdemos o equivalente a duas vezes o tamanho da cidade de São Paulo para as queimadas. Até 2005, 10 espécies de animais já estavam extintas e mais 342 ameaçadas de sumir. O relatório GEO Amazônia, divulgado no início deste ano, pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), coloca o Brasil em posição vergonhosa ao traçar o descaso com que a floresta vem sendo tratada. Ocupamos o quarto lugar em emissão de gases de efeito estufa do planeta: 500 milhões de toneladas de carbono são lançadas, anualmente, na atmosfera em decorrência do corte e das queimadas na floresta amazônica, o que contribui para o aquecimento global. Um outro estudo, da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), mostrou que 42% de todo o desmatamento ocorrido no mundo entre 2000 e 2005 aconteceu no Brasil. Mas se o Governo brasileiro e a sociedade não se dão conta da riqueza que a Amazônia abriga, o resto do mundo dá.
“O volume de dinheiro que o Governo investe em desmatamento através de formas de créditos para fazendeiros é muito maior do que o dinheiro que investe na recuperação da floresta.” Segundo Astrini, cerca de 80% das áreas desmatadas estão relacionadas à pecuária. “São terras sem registro, o Governo não sabe de quem são, não se paga imposto sobre isso”, aponta. “Hoje, calculamos o desmatamento pelo preço dos produtos produzidos lá. Se a cotação deles aumenta, há mais desmatamento. A Amazônia está nas mãos do mercado, e precisamos mudar isso. Com o uso responsável das terras daria para dobrar a produção de alimentos do País.Mas a floresta tem salvação? Os especialistas se dividem. Cientistas preveem que o aquecimento global deve destruir 85% da Amazônia em apenas um século e, pelas contas de economistas, com R$ 17 bilhões ao ano – pouco mais que o custo anual do Bolsa Família – salvaríamos nosso tesouro verde em 20 anos. >>>(Link à dir.): revist@-@r, photolink e Dicas do Google...

sexta-feira, julho 24, 2009

A ÁGUA QUE FOI À LUAEncerrando esta série especial, que apresentou curiosidades sobre a primeira viagem do homem à lua, cujos os 40 anos dessa memorável façanha estão sendo comemorados, vamos apresentar este fato aparentemente irrelevante, mas que é muito curioso. O nosso blog é gerado na cidade de Amparo, integrante do Circuito das Águas do Estado de São Paulo. Além de Amparo, este circuito é composto pelas seguntes cidades: Monte Alegre do Sul, Serra Negra, Socorro, Lindóia e Águas de Lindóia. Pois foi desta última cidade, que a NASA adquiriu uma quantidade de água para a primeira missão tripulada ao solo lunar, realizada pela Apollo 11, conforme destaque (abaixo) do jornal "A Tribuna" de Amparo:
A TRIBUNA
Àgua usada na viagem à Lua era da nossa região
Amanhã e domingo, mais uma interessante matéria em MUNDO INSÓLITO

quarta-feira, julho 22, 2009

DO ESPAÇO PARA O NOSSO CONFORTO Imagem se satélite mostra furacão sobre o oceano, um alerta à Defesa Civil.
A tecnologia usada por astronautas pode parecer tão distantes de nós. Mas não é bem assim: da medicina à culinária, muitas coisas do dia-a-dia nasceram em laboratórios espaciais. Quer um exemplo? É só pensar no macarrão instâtaneo: um pouco de água quente e...pronto.
Com muita freqüência, a Nasa - agência espacial norte-americana-, recebe crítica em relação aos enormes gastos no programa espacial. São missões que despendem, anualmente, bilhões de dolares que, na opinião dos críticos, poderiam ser empregados em outras áreas, como saúde e bem-estar social. A Nasa se defende argumentando que sua operações ampliam os limites do conhecimento do universo e que suas pesquisas colaboram para o avanço da tecnologia. Seja como for, a verdade é que o investimento espacial também contribui para que o cotidiano das pessoas se torne mais mais prático e fácil.
Informações via satélite - Transmissões de rádio, televisão e telefone são algumas das aplicações dos satélites. Um acontecimento no Japão pode ser transmitido no Brasil, em tempo real, em função desse tipo de comunicação. Já os satélites meteorológicos coletam dados para a previsão do tempo - muitas vezes ajudam a salvar vidas ao monitorar a formação de furacões (na foto grande), o que posibilita alertar a população das regiões ameaçadas. Existem tambem satélites de posicionamento. Em uma viagem de carro, por exemplo, o motorista pode acessar informações via satélite de sua posição e do melhor caminho a seguir.
Cozinha prática - Comidas desidratadas, tão comuns na vida moderna, saíram dos laboratórios de pesquisas espaciais. Essa foi a solução encontrada para diminuir o consumo de energia das naves. Com o tempo, esse tipo de alimento entrou na rotina das pessoas. Para prepará-lo, basta adicionar água quente. A refeição, teoricamente, contém as mesmas propriedades nutricionais dos alimentos cozidos.
Tecnologia na medicina - Esta foi uma das principais beneficiadas pelo avanço da tecnologia espacial. Metais utililizados em satélites foram adaptados para aparelhos odontológicos. A tecnologia das imagens feitas por satélites é usada em equipamentos de exames, como os de ressonância magnética. O sistema de telemetria - envio de sinais a distância -, utilizado para checar as condições de saúde dos astronautas nas primeiras viagens espaciais, ajuda a monitorar, dos hospital, pessoas em uma ambulância. A telemetria também auxilia cardíacos, porque os marca-passos podem ser colocados e ajustados sem a necessidade de uma cirurgia.
Outras utilidades - como a panela de teflon, material que também passou a ser aplicado em roupas de bombeiros, que enfrentam temperaturas altísimas no cobate a incêndios.

segunda-feira, julho 20, 2009

Como explicar acontecimentos como este ?
Com apnas 13 anos, a jovem Baya Bacari foi a única sobrevivente da queda de um Airbus no Oceano Índico e ficou 12 horas no mar à espera de resgate
Texto principal: Andrea Dip, da Folha Uiversal

Reencontro: A adolescente Baya Bacari recebe o carinho do pai, Kassim Bakari, ainda no avião que a levou das Ilhas Comores, local do acidente, de volta a Paris. Ao longo do tempo, temos acompanhado acontecimentos para os quais não se encontra uma explicação plausível. Neste mesmo blog, já apresentamos algums matérias do tipo, da que estamos destacando hoje. Mesmo diante de leques de explicações, o que se se observa mesmo, é que cada opinião, acaba sempre refletindo a crença ou formação cultural de cada pessoa.. Por isso, escolhemos para hoje um assunto que temos acompanhado com interesse em função do seu inexplicável conteúdo. Estamos nos referindo ao acidente acontecido há alguns dias com um Airbus da companhia aérea Yemenia. Conheça mais detalhes da narrativa da única sobrevivente e de outras autoridades nessse tipo de assunto:

“Papai, caímos na água. Ouvia pessoas falando perto de mim, mas não podia ver nada. Estava tudo escuro ao meu redor.” Assim, a adolescente Baya Bakari, de 13 anos, única sobrevivente da queda, no Oceano Índico, do Airbus A310-300 da companhia Yemenia, descreveu o acidente ao seu pai, Kassim Bakari. Ela, que morava com a família em Marselha, na França, viajava com a mãe para visitar parentes nas Ilhas Comores. O acidente como se recorda, ocorreu na terça-feira (30) e a mãe dela ficou entre as mais de 150 vítimas fatais do desastre. Baya, que em comorense quer dizer “esperança”, ficou no mar por mais de 12 horas, agarrada a um pedaço do avião, sem saber nadar e sem coletes salva-vidas. O homem que a resgatou, disse que ela estava tão fraca, que não conseguiu alcançar a boia e ele teve de se jogar na água para pegá-la. Baya teve apenas alguns cortes e arranhões, além de uma clavícula quebrada. “É um verdadeiro milagre. Ela é uma jovem muito corajosa”, declarou Alain Joyandet, ministro francês de Cooperação Internacional. Mas, como essa menina, de nome esperança, se agarrou à vida contra todas as circunstâncias? “Ela é uma garota muito tímida e frágil. Nunca pensei que fosse escapar dessa maneira”, disse o pai, emocionado. “Em situações extremas, as pessoas podem reagir de forma diferente de como agem normalmente”, explica Valéria Tinoco, psicóloga, fundadora, professora e supervisora do 4 Estações Instituto de Psicologia, que atua em situações de emergência, perdas e luto. “O instinto de sobrevivência fala mais alto e a pessoa funciona sem pensar. Pessoas normalmente ativas podem ficar sem reação ou as mais tímidas podem revelar força além do esperado.” O caso de Baya é raro, mas não é único. Vesna Voluvic, uma aeromoça sérvia que estava no avião que explodiu sobre a então Tchecoslováquia, em 1972, despencou de mais de 10 mil metros de altitude junto a uma parte da fuselagem e caiu nos montes nevados da República Checa. Quebrou duas pernas e teve uma séria perda de memória. Em 1971, a alemã Juliane Koepcke, de 17 anos, caiu de uma altitude de cerca de 3 mil metros, ainda presa ao assento, após a explosão do avião em que viajava na Amazônia peruana. Ela passou 11 dias vagando na selva. “O importante é como esses sobreviventes lidam com a situação, porque é um trauma muito grande. Podem se sentir culpados por não terem salvado alguém ou podem se sentir com sorte por terem sobrevivido”, conclui Valéria.
>>>Veja também: revist@=@r, photolink e as Dicas do Google...

quinta-feira, julho 16, 2009

Blogtur
A EXÓTICA E ROMÂNTICA VENEZA Veneza (em italiano Venezia) é uma comuna italiana da região do Vêneto, província de Veneza, com cerca de 266.181 habitantes, conhecida pelos seus canais e pela catedral de São Marcos. Estende-se por uma área de 412 km2, tendo uma densidade populacional de 646 hab/km2. A cidade se tornou uma potência comercial a partir do século X, no qual sua frota já era uma das maiores da Europa. Como cidade comercial, tinha várias feitorias e controlava várias rotas comerciais no Levante. Eram suas feitorias cidades como Negroponto e Dirraquium, assim como ilhas inteiras: Creta, Rodes, Cefalônia e Zante, por exemplo. O historiador Fernand Braudel classificou-a como a primeira capital econômica do Capitalismo. A famosa ponte Rialto, em Veneza, foi construída em 1588. O projeto, assinado por Antonio da Ponte, venceu um concurso que teve participação de célebres artistas, como Michelangelo. Até 1854, esta ponte era a única maneira de os pedestres cruzarem o grande canal. A cada ano Veneza acolhe mais turistas atraídos pela sua natureza inigualável. É também muito conhecida pelos seus passeios românticos, levando muitos casais a viverem suas luas de mel lá. Passeios de barco e visitas a todos os lugares são programas promovidos por esses casais apaixonados...Nesta Cidade nasceram os Papas: Gregório XII, Eugênio IV, Paulo I,, Alexandre VIII, Clemente XIII, Pio X.
>>>Veja também: a revist@=@r, o photolink e o Google Indicações...

quarta-feira, julho 15, 2009

NO BRASIL, UMA ERA DE INCERTEZAS

O tempo parece estar louco mesmo. Chove demais no Nordeste, região que costuma sofrer por conta das secas, enquanto o sul do Brasil é castigado pela falta de chuvas. Os especialistas procuram explicações para variações climáticas cada vez mais constantes. O Painel Intergovernamental Sobre Mudança Climática (IPCC, sigla em inglês), órgão que produz informações científicas sobre clima, garante que, até 2080, 3,2 bilhões de pessoas – um terço da população do planeta – vão enfrentar falta de água, 600 milhões sofrerão com a escassez de alimentos e até 7 milhões de pessoas passarão por inundações. Falta de conhecimento Alguns especialistas, no entanto, acham simplista culpar só o aquecimento global e dizem que as pessoas falam muito em mudança climática sem conhecimento. Augusto Pereira Filho, professor do departamento de Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (USP), alerta que, a curto prazo, é perigoso usar eventos isolados como exemplo das mudanças climáticas. “Os estudos do IPCC estabelecem projeções de, no mínimo, 100 anos”, diz. Para Francisco Mendonça, professor de Climatologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), “eventos dessa natureza acontecem há muitos séculos. Mas são momentos esporádicos”. “É normal que o El Niño cause chuvas intensas no Sul e secas severas no Nordeste. Já na passagem do La Niña, ocorre exatamente o contrário nessas regiões”, esclarece, referindo-se a dois importantes fenômenos de alteração climática. Segundo o cientista, “o clima tem ciclos, está sujeito a variações e, inclusive, a extremos, como foi o caso de Santa Catarina no ano passado.” Todos concordam, no entanto, que a ação humana é uma das causas do desequilíbrio. Dionísio Neto, da Rede Ambiental do Piauí, defende que o mau uso do solo é o vilão das enchentes no Nordeste. “A expansão desordenada de monoculturas, como a da soja, influenciaram a elevação do nível das águas na bacia do rio Paraíba, que banha o Piauí e parte do Maranhão. A inundação histórica deste ano é reflexo da destruição do bioma”, diz.
>>> Veja também: revist@=@r, photolink e Dicas Google

terça-feira, julho 14, 2009

A CRUZADA DOS MUSEUS
Novo Museu de Arte Islâmica, no Catar, quer ser para os muçulmanos

a referência que o Museu do Vaticano é para a cultura universal
O emir do Catar quer transformar seu emirado – cujo minúsculo território é abençoado com 15% das reservas mundiais de gás natural – em um oásis de modernidade no Golfo Pérsico. Entre os passos dados em direção a esse objetivo estão o canal mundial de notícias Al Jazira e filiais de seis universidades americanas. No ano passado, ele deu um novo passo rumo ao futuro, com a inauguração do Museu de Arte Islâmica em sua capital, Doha. A construção do prédio, instalado numa ilha artificial, custou 300 milhões de dólares. Outros 2 bilhões de dólares foram gastos na aquisição de peças para compor o acervo do Museu, constituido da arte Islâmica e de outras quatro instituições. O emir sonha que seu museu venha a ser para o mundo muçulmano uma referência similar àquela que o Museu do Vaticano representa para a arte mundial. Os dois museus consagram conceitos diferentes. A abrangência da coleção do Vaticano ultrapassa os limites da fé cristã. Seu acervo inclui peças da Antiguidade clássica, livros medievais e muitas das pinturas decisivas da cultura universal. O afresco da criação do mundo pintado por Michelangelo no teto da Capela Sistina (foto à dir.) é um exemplo.
A arte islâmica (foto à esq.) é um conceito fluido, que não pode ser definido da mesma maneira como se fala em arte chinesa ou francesa. Nem é um período artístico, como o gótico ou o barroco. O foco do museu do Catar são itens decorativos ou votivos produzidos em territórios governados por muçulmanos entre o surgimento do Islã, no século VII, e o colapso do Império Otomano, no século XX. Muitas peças são lindíssimas, mas não há pinturas como as de Rafael. Para coibir a idolatria, a tradição islâmica proíbe a reprodução da figura humana ou de animais. Apesar de a vertente xiita abrir uma exceção para os retratos de seus mártires, o tabu inibiu o surgimento de grandes artistas muçulmanos. Embora os artesãos tenham produzido maravilhas, como os delicados motivos geométricos das paredes da Mesquita Azul, em Istambul, são raras as obras assinadas pelo autor. Os xeques do petróleo estão agora reproduzindo, de certa maneira, o patrocínio dado por papas e duques aos artistas do Renascimento italiano. No próximo fim de semana mais novidades em Mundo Insólito.
>>>Link (à esq.) revist@=@r, photolink e Google Indicativos...

segunda-feira, julho 13, 2009

Vamos salvar nosso Planeta

O MAR PODE VIRAR DESERTO A partir dos próximos meses, os mais de 7 milhões de habitantes de Israel poderão levar um susto ao receber a conta de água: a multa para quem abusar do consumo pode passar do equivalente a R$ 50 por mês. O país vive a pior seca da história e as previsões para o futuro próximo não são boas. O lago conhecido como Mar da Galileia, de 165 quilômetros quadrados e que fornece 30% da água potável do país, está cinco metros abaixo do nível normal e à beira de esgotar sua capacidade de abastecimento. O local, conhecido no mundo inteiro pelas citações bíblicas, está secando. Já apareceram “ilhas” perto das margens, que agora estão a dezenas de metros da linha natural. Os níveis de chuva no último inverno, que na região vai de janeiro a março, não chegaram à metade das quantidades normais. O aquecimento global provocou recordes de temperatura nos meses de abril e maio, o que piorou o quadro, já que parte da água armazenada em reservatórios evaporou. A situação começou a ficar grave há 3 anos. Três invernos sem chuvas suficientes para encher os rios que alimentam o Mar da Galileia agravaram a crise. No Oriente Médio, não chove no verão e a região conta apenas com 2 ou 3 meses molhados. A seca também afeta o comércio de água mineral. As duas maiores empresas do país, que retiram água das montanhas da Judeia e do Golã, já informaram que a baixa dos níveis nas fontes pode contaminar o produto devido à concentração de minerais. Centenas de plantações já foram destruídas por falta de irrigação. Para lidar com este cenário, o governo israelense tomou medidas drásticas, como a multa. A partir deste ano, a população está proibida de regar jardins de casas particulares. Quem for pego vai pagar caro. Além disso, famílias que usarem mais água do que a média de consumo residencial serão multadas em valores equivalentes a R$ 50 por mês. A população está orientada a economizar. Uma propaganda na tevê mostra artistas famosos apelando pela economia de água. Para ilustrar a seca, um efeito de computador mostra a pele deles secando. E o governo também promete fazer sua parte: a irrigação de parques públicos será reduzida ao mínimo necessário. Agentes vão distribuir aparelhos que alteram a pressão da água. O Ministério da Agricultura tem planos de construção imediata de usinas de dessalinização, que tiram o sal da água do mar para torná-la potável. Mas são projetos caros e demorados. No Oriente Médio, onde grande parte do território é desértico, a água tem grande valor. As poucas fontes de água são os rios que correm por terriotórios entre Líbano, Israel e Síria, países que estão em constantes conflitos. Segundo as previsões, a situação da água na região não vai melhorar pelo menos até 2014, o que coloca em risco tanto economias como processos de paz.
>>>Veja: Dicas do Google, photolink e revist@=@r

sábado, julho 11, 2009

O ESCORPIÃO GIGANTE NOS MARES
Garra fossilizada de 390 milhões de anos revela o maior artrópode já existente.
Os desenhos mostram: (1) - O maior artrópode já descoberto tinha cerca de 2,5 metros de comprimento, muito mais do que a altura média de um homem adulto; (2) - A garra gigante, pertencente a um escorpião do mar da espécie Jaekelopterus rhenaniae , foi encontrada em rochas de 390 milhões de anos em uma pedreira em Prüm, na Alemanha.
Já imaginou se deparar com um escorpião de 2 metros e meio durante um inocente mergulho no fundo do mar? Essa cena digna de um filme de terror não seria impossível em épocas remotas. Uma garra gigante de 390 milhões de anos encontrada em uma pedreira em Prüm, na Alemanha, revela que esse animal existiu e é o maior artrópode de que se tem notícia. Mas o escorpião do mar em questão não era igual aos seus temidos parentes terrestres atuais. Na verdade, ele lembra mais uma lagosta superdesenvolvida. Suas principais características são o corpo longo e cônico e a presença de apêndice genital e, próximo à cabeça, de um par de nadadeiras e duas garras gigantes, que seriam usadas para capturar outros artrópodes e peixes. O fóssil recém-encontrado permite deduzir que a garra do animal tinha 46 cm de comprimento. Com base na proporção entre o corpo e as garras de outros aracnídeos, foi possível estimar que esse espécime de escorpião do mar media cerca de 2,5 metros, quase meio metro a mais do que as estimativas anteriores para o grupo. A descoberta, publicada na revista Biology Letters , mostra que os artrópodes eram muito maiores no passado do que se pensava. O animal descrito é um euripterídeo pertencente à espécie Jaekelopterus rhenaniae , que viveu entre 460 e 255 milhões de anos. Os euripterídeos são conhecidos há algum tempo como os maiores artrópodes extintos e acredita-se que sejam os ancestrais aquáticos dos escorpiões e possivelmente de todos os aracnídeos. O gigantismo em artrópodes terrestres do período Paleozóico tardio é geralmente atribuído a níveis elevados de oxigênio na atmosfera, mas, entre artrópodes aquáticos extinto
s, essa condição não foi determinante.
<A garra gigante, pertencente a um escorpião do mar da espécie Jaekelopterus rhenaniae , foi encontrada em rochas de 390 milhões de anos em uma pedreira em Prüm, na Alemanha. "Esse estudo mostra que altos níveis de oxigênio na atmosfera há 300 milhões de anos podem ter contribuído para o gigantismo de milípedes, e artrópodes gigantes que vivem na água ocorrem ao longo de toda a história da Terra”, diz Braddy à CH On-line. O pesquisador ressalta a importância do estudo dos maiores animais que já existiram no planeta. “Por meio da compreensão dos limites da vida, nós podemos aprender mais sobre padrões e processos evolutivos”.
No próximo - Fim de semana -, mais uma curiosidade deste nosso MUNDO INSÓLITO

quarta-feira, julho 08, 2009

PERIGO NUCLEAR
Ministério Público já tem mantido audiência pública para discutir posíveis danos e cobrar Agência Nuclear Brasileira.
O urânio pode fazer uma bagunça no corpo humano. A radiação emitida desse tipo de material se combina com as moléculas, alterando funções a torto e a direito. Órgãos e tecidos podem até parar de funcionar, dependendo da quantidade de radiação à que a pessoa foi exposta. Os rins são os mais vulneráveis. Nos casos mais leves, o mais comum é o surgimento de diferentes tipos de câncer, processo que pode demorar anos, até décadas. Nos mais graves, o sistema nervoso central e o aparelho gastrointestinal travam e a morte é questão de horas. Em Caetité, cidade de cerca de 46 mil habitantes no interior da Bahia, há pessoas bebendo urânio, segundo denúncia da organização não-governamental (ONG) Greenpeace. Análises feitas em diferentes poços e reservatórios próximos ao principal ponto de extração de urânio do País revelaram níveis de concentração bem acima dos índices máximos da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da legislação brasileira do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama). O levantamento, detalhado no dossiê “Ciclo do Perigo – impactos da produção de combustível nuclear no Brasil”, serviu de base para que o Ministério Público Federal cobrasse explicações da empresa estatal Indústrias Nucleares do Brasil (INB). Urânio no sertão da Bahia? Pois é. É da cidadezinha a 775 quilômetros de Salvador que sai todo o material radioativo que serve de combustível para as duas usinas nucleares encravadas na paradisíaca região de Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. (na foto principal). Em caminhões, o urânio vai para o porto da capital baiana, onde é embarcado para ser processado no Canadá e, depois, na Holanda. O material volta ao Brasil pela Baixada Fluminense. Todos que estão na rota do urânio brasileiro correm risco de entrar em contato com radiação nuclear. Pois foi em Caetité que, no final de 2.008, em audiência pública realizada na cidade, os procuradores Flávia Galvão Arruti e Ramiro Rockenback pediram providências imediatas e recomendaram ao superintendente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) na Bahia, Célio Costa Pinto, para que o órgão não liberasse o aumento da extração da mina. O Governo Federal começa a articular a retomada do Programa Nuclear Brasileiro, incluindo a criação de mais uma usina nuclear, Angra 3, e o início da extração no Ceará.
>>>Veja também: revist@=@r, photolink e as Dicas Google...

segunda-feira, julho 06, 2009

AQUECIMENTO GLOBAL, E MEIO AMBIENTEÉ inegável que o aquecimento global, já começou a existir desde do homem da Idade da Pedra Lascada, quando se descobriu o fogo. Com o decorrer do tempo, o homem começou a cozinhar sua alimentação com lenha extraída das matas. Até então, este ato de cozer os alimentos, apesar da retirada da lenha das matas e/ou florestas, não afetava em quase nada o meio ambiente. Neste principio o homem se alimentava da caça e da pesca e era nômade, pois vivia em uma determinada região até escassear a alimentação, daí então, partia para outra região, em busca da sobrevivência...Porém, o homem foi vislumbrando novos horizontes e foi se afixando mais em cada região, tendo uma vida mais sedentária, começando por explorar a agricultura primitiva, aí sim, começaram as primeiras queimadas, que foram afetando, moderadamente, alguns ecossistemas da biosfera terrestre, onde esses homens primitivos viviam.
Com o aparecimento da civilização propriamente dita, a partir dos Sumérios na Mesopotâmia no ano 3.500 (antes de Cristo), já começou aumentar substancialmente às necessidades do homem...daí por diante, advindo às atividades agropecuárias, com praticas rudimentares, que já afetava demasiadamente o meio ambiente, devastando imensas áreas, devido ainda não existirem as técnicas da ciência agronômica e agrícola apropriadas no desenvolvimento auto-sustentável. Que conseqüentemente, principiou o processo de desertificação, que aliás, é um processo natural, porém, o homem acelerou, em algumas regiões do Planeta Terra, como por exemplo, o Deserto do Saara, na Região do Egito, por ocasião da existência da Civilização Egípcia. E com decorrer dos tempos, este processo de desertificação foi se exacerbando ainda mais, já a partir da Idade média, entre o Séc.VII até o meados do Séc. XV, depois de Cristo, no ano de 1453, depois da queda de Constantinopla. E se alastrando na Atual Civilização Contemporânea Moderna, logo após a Revolução Industrial na Inglaterra, em 1780, até aos tempos atuais.
Veja também: revist@-@r, photolink e Soluções Google...

sexta-feira, julho 03, 2009

MEXA-SE

MEXA-SE
Que praticar atividade física faz bem à saúde todo mundo sabe. Estudos recentes, porém, revelam novos benefícios. Exercícios regulares fazem bem mesmo quando quem os pratica está em repouso, em função da aceleração do metabolismo celular. É o que indica um estudo da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, a partir da observação dos músculos da panturrilha de maratonistas e sedentários. A mesma equipe apontou que exercícios aeróbicos intensivos são úteis contra o diabetes e reduzem o risco de câncer de mama depois da menopausa. Andar em esteiras ajuda na atividade cerebral dos pacientes com seqüelas motoras provocadas por acidente vascular cerebral (AVC), em função da ativação de áreas do cérebro responsáveis pela mobilidade e pelo equilíbrio, como apontaram especialistas norte-americanos da Universidade Johns Hopkins. Mesmo com todos esses benefícios, 50% dos brasileiros com 25 a 44 anos não praticam exercícios, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia. Para estes, Elisabete Fernandes Almeida, diretora do departamento de Educação Médica para Leigos da Associação Paulista de Medicina, recomenda: “Comece com uma caminhada de 10 minutos nos primeiros 3 dias e aumente até chegar a 45 minutos diários. Não pare mais do que 2 dias, senão os benefícios obtidos serão perdidos”.
Amanhã e domingo um assunto palpitante em MUNDO INSÓLITO
>>>Veja a revist@=@r, photolink e Google Indicações...

quarta-feira, julho 01, 2009

AMAZONAS: Doenças respiratórias ligadas à queima da floresta
Fonte: "Ciência Hoje"
Na estação seca, quando se concentram as queimadas na Amazônia, a qualidade do ar de pequenas cidades da região chega a ser pior do que a verificada em grandes capitais poluídas do Brasil (foto: United States Forest Service).
A relação entre a queima da floresta amazônica e o aumento de doenças respiratórias da população local
já era conhecida pelos pesquisadores. Agora, uma equipe de cientistas da Escola Nacional de Saúde Pública, vinculada à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), acaba de propor um novo indicador que permite avaliar o risco à saúde associado às queimadas. O indicador em questão é o índice de material particulado – o conjunto de partículas sólidas em suspensão no ar em decorrência das queimadas – presente na atmosfera. O grupo mostrou que existe uma relação entre o grau de exposição a esse material e a taxa de hospitalização das populações expostas a ele.

A equipe trabalhou com o material particulado com 2,5 micrômetros de diâmetro (PM 2,5) que, em função do seu tamanho diminuto, tem grande penetração nos pulmões e é nocivo à saúde. "Este é o primeiro estudo que mostra a associação de doenças respiratórias à exposição do PM 2,5 na Amazônia", explica a bióloga Sandra Hacon, que apresentou os resultados do trabalho no Fórum Internacional de Ecossaúde, realizado em Mérida, no México. O grupo de Hacon comparou os índices de material particulado na atmosfera e o número de hospitalizações por doenças respiratórias de crianças e idosos, mais vulneráveis à poluição do ar. O trabalho foi feito na região de Alta Floresta, no Mato Grosso, que tinha os piores indicadores de saúde para doenças respiratórias no estado entre os anos de 2.000 e 2.004. Os resultados mostram que, quando a exposição ao material particulado, considerado, passou de um determinado patamar, a taxa de hospitalização de idosos aumentou 7%, e a de crianças, 10%. Para as outras faixas etárias, o aumento foi de 5%. Na avaliação de Sandra Hacon, esses resultados devem ser levados em conta na formulação de políticas públicas para combater as queimadas. "O estudo traz informações relevantes para que os tomadores de decisão na Amazônia reforcem as estratégias de prevenção e controle da queima de biomassa", afirma.
>>>Veja também: revist@=@r, photolink e Google Indicações...
/* Atualizacao do Google Analytics em 25 de Outubro 2009 */