/* Excluido depois do Upgrade do Google em 25 de Outubro de 2009 Fim da exclusao */

sábado, fevereiro 28, 2015

---FS---"Uma opção de vida..."

 O EXÓTICO HOMEM DA CAVERNA
Homens que ainda hoje vivem em cavernas não é nada excepcional. Mas a história deste americano Daniel Suelo, é no mínimo interessante, a partir do momento que ele conta o motivo dessa opção de vida: “Dinheiro é um vício mais degradante do que qualquer droga.” O pensamento pode soar estranho, mas é a base do estilo de vida de Daniel Suelo, um norte-americano, de 52 anos, que não usa dinheiro para viver desde o ano 2000. “Eu sei que é possível viver com zero dinheiro, porque está acontecendo comigo e com as formigas, bactérias, átomos e galáxias”, filosofa o antropólogo em seu site, mantido de uma biblioteca pública em (Moab - Utah), perto do local onde ele mora. A casa dele é uma caverna, na verdade, a fenda de uma pedra no deserto, de um metro e meio de largura, um metro e meio de altura e quatro metros e meio de comprimento (foto). Suelo vivia em Denver, no Colorado, uma vida “comum”. Trabalhava, fazia compras, pagava os impostos. “Comecei a me sentir doente. Então, larguei meu trabalho e me mudei para Moab. Percebi que a única forma de superar a depressão era simplificando meus pensamentos. E assim foi. Deixei as coisas acontecerem e quanto menos tinha, menos precisava para viver”, conta no site. Lá, Suelo também explica que não recebe dinheiro ou comida do governo ou de qualquer instituição. Come o que as pessoas jogam fora, além de caçar animais como esquilos, lagartos, veados e complementar com sementes, plantas silvestres e formigas. Apesar de teoricamente isolado, o homem das cavernas moderno tem uma vida virtual agitada. Mantém dois blogues, com cerca de vinte mil visitas registradas e mais de 500 seguidores. Para os que ainda não atingiram seu nível de desprendimento, Suelo aconselha: “Obtenha apenas o que precisa, não mais, nem menos, e seus desejos serão supridos. Se todo mundo consumir só o que precisa, entrará em equilíbrio".

sexta-feira, fevereiro 27, 2015

Aviação:"Recorde histórico é mantido"

O voo mais longo com aviões comerciais  Em novembro de 2005, um Boeing 777-200LR conquistou o recorde de maior voo non-stop com uma aeronave comercial de passageiros, voando de Hong Kong, China, para Londres, Inglaterra (via Pacífico, América do Norte, Atlântico e finalmente Europa, o oposto da rota tradicional entre Hong Kong e Londres, que é via interior da Ásia e Leste Europeu). O voo-teste decolou com tanques cheios, carga mínima e sem passageiros, para voar mais leve, aumentar autonomia e alcance do voo.
Este foi o mais longo de todos os vôos sem que a tripulação pregasse o olho. O Boeing 777-200LR pousou em Heathrow, após 22 horas e 42 minutos de voo sem escalas. De Hong Kong a Londres, da forma mais difícil, no sentido leste, com ventos pela frente. Um voo sem escala por sobre dois oceanos e a América do Norte - mais de meia volta em torno da Terra. Quando as rodas do jato da Boeing tocaram a pista do Aeroporto Heathrow, em Londres, às 13h18, horário local, em(10/11/2005), o avião havia estabelecido um recorde de distância de 11.664 milhas náuticas. Isso significa mais de meia volta em torno do planeta, ou, segundo as escalas utilizadas nos hodômetros dos automóveis - 13.422 milhas terrestres, ou 21.601 quilômetros. Desde o alvorecer da era do jato, mais de meio século atrás, nenhuma aeronave deste tipo havia feito um voo tão longo sem escalas e reabastecimento.

quinta-feira, fevereiro 26, 2015

"É possível ver um iceberg por inteiro?"

    Veja como é difícil, e como torna-lo possível
Nem sempre a beleza e o esplendor da natureza podem ser adequadamente fotografados. É o caso, por exemplo dos icebergs, cujo tamanho real não pode ser visto devido às condições de visibilidade das águas do oceano. Por isso, durante muito tempo, o único meio de ter5 uma ideia mais próxima da grandeza desses gigantes blocos de gelo era vestir um traje mergulhador e se aventurar no mar.
Mas graças ao americano Ralph Clevenger, os não mergulhadores também podem conhecer e admirar as verdadeiras dimensões dos icebergs. Professor de fotografia, ele domina os novos recursos digitais que estão expandindo os horizontes do registro fotográfico. A Engenharia: Nessa imagem Clevenger combinou pedaços de icebergs de diferentes hemisférios. A parte de cima foi fotografada na Antártida, e a debaixo, no Alasca. Clevenger é um fotografo profissional da natureza, com trabalhos publicados em revistas como a a "National Geographic". Curiosamente, ele explica que objetivo, ao criar uma foto, é a de ilustrar uma ideia, que "as coisas não são como parecem".

quarta-feira, fevereiro 25, 2015

"Cão é homenageado com honras militares"

SÓ A IDADE VENCEU ESTE HERÓI
No ultimo dia 20, o cachorro JUDGE (fotos), recebeu o último adeus do departamento de polícia do Deptford, em Nova Jersey, em homenagem normalmente prestada a agentes. Considerado herói dentro da corporação, Judge teve de ser sacrificado (por portar a Síndrome de Cushing, comum em cães idosos e de meia idade). No caso se Judge foram gastos US$ 13 mil em tratamentos, dinheiro doado pela população, já que é uma norma da corporação gastos de até US$ 300, para tratamento dos animais. Judge serviu em Deptford por sete anos e é considerado um herói.       
 
Mike Franz, com quem Judge morava, leva o cão até o hospital veterinário durante homenagem prestada pelo departamento de polícia do Deptford, em Nova Jersey. A saúde dos pastor alemão, considerado herói, piorou em junho do ano passado. Em sua última caminhada, Judge carrega seu brinquedo favorito.   
             FOLHA DE SERVIÇOS DE UM GRANDE HERÓI:
      Segundo o departamento de Deptford, graças ao cão policial, 152 suspeitos foram presos por crime, mais de US$ 47 mil em atividades ilegais foram retirados da rua, três veículos e três revólveres foram apreendidos, além de grande quantidade de droga. 

terça-feira, fevereiro 24, 2015

"Dor, mal que chega com a vida"

                          A HISTÓRIA DA DOR
Capa original do livro da historiadora neozelandesa Joanna Bourke
Durante a maior parte da história humana, a dor não era sintoma de doenças ou a reação do corpo ao mau funcionamento de um órgão. Era vista como punição divina ou forma de purificar a alma. Suportar impassível as dores excruciantes foi virtude valorizada até os anos 1970, quando a indústria farmacêutica desenvolveu analgésicos e anestésicos eficazes. Operações como amputações ou retiradas de tumores eram feitas sem qualquer alívio para os pacientes: sofrer em silêncio era sinônimo de força, dignidade e orgulho. Aqueles que reagiam com veemência à angústia eram vistos como inferiores, próximo aos animais. No entanto, a partir do momento em que o avanço da medicina tornou possível exterminar a dor por meio de pílulas, o sofrimento perdeu seu sentido místico e social e se tornou desnecessário. Para a historiadora Joanna Bourke, professora da Universidade de Londres, isso é ótimo, embora ela acredite que seja necessário dar um passo a mais na nossa compreensão da dor. "As pesquisas mostram que os analgésico são realmente eficazes e um apoio valioso para os tratamentos. Mas há uma dimensão social, cultural e histórica da dor, capaz de interferir profundamente na vida das pessoas, e às vezes os remédios não bastam para dar conta disso." 
Por outro lado, as dores crônicas também aumentaram porque nossos corpos não foram feitos para viver tanto. Porém, é preciso lembrar que a dor jamais foi democrática. Historicamente ela está ligada a questões econômicas e sociais: minorias e aqueles que trabalham em duras condições são os mais suscetíveis à dor. Normalmente, essas pessoas recebem menos analgésicos, que são caros, em estágios avançados de dor.
Joanna, lançou o livro (A História da Dor da Oração aos Analgésicos), em 2.014 no qual ela conta que o sofrimento físico é mais que uma resposta cerebral e sensorial a certo tipo de estímulo, que os analgésicos não viciam quando receitados a quem realmente precisa deles e que a dor é um mal a ser combatido.   

segunda-feira, fevereiro 23, 2015

"Saúde"

 UM BOM MOTIVO PARA SE HIDRATAR
Todos nós sabemos qual a importância de beber água regularmente, em especial nos dias de calor. Além de garantir uma boa hidratação do corpo e de melhorar todas as funções orgânicas, consumir, dois litros de água por dia previne a ocorrência de diversas doenças.
A CALCIFICAÇÃO PODE OCORRER NAS ARTÉRIAS CORONARIANAS E INTRACRANIANAS
Uma delas é o aparecimento de cristais nos rins, doença conhecida como litíase  renal. O que pouca gente  sabe é que esses cristais podem se formar nas artérias coronarianas e intracranianas, em forma de calcificações. A informação foi divulgada recentemente, no XXVII Congresso Brasileiro de Nefrologia, realizado em Minas Gerais. O estudo mostra que a ingestão de água também previne a ocorrência de doenças cardiovasculares e reforma a importância do consumo. Para evitar a formação desses cristais, a Sociedade Brasileira de Nefrologia  recomenda consumir dois litros de água por dia, evitar excesso de vitamina C e optar uma dieta rica em frutas e verduras, de preferência as cítricas. Ingerir também água à noite, pode contribuir para a formação de cálculos renais. O ideal é que a urina tenha uma coloração clara. Quanto mais amarela ela for, mais propenso ao surgimento desses cristais você estará. Quem já teve ou tem problemas renais deve sempre manter uma hidratação e consultar um médico nefrologista regularmente.

sábado, fevereiro 21, 2015

---FS---"Acredite se quiser"

SUICIDA FRUSTRADO, RECLAMA NO "PROCON"...
Motivo: a Corda que ele comprou para se enforcar partiu na hora "H" Pode parecer mais um de muitos casos inventados. Mas este é real mesmo! Há alguns anos, um cidadão romeno, resolveu acabar com a vida e para isso optou pelo seu enforcamento. Porém, no momento do seu  ato extremo, a corda se arrebentou frustrando a sua  tentativa  de acabar com vida por enforcamento. Depois da tentativa frustrada, ele resolveu reclamar da qualidade do produto no Escritório de Defesa do Consumidor: (um tipo de Procon da Romênia). Os gritos de Victor Dodoi, de 50 anos, alertaram seus vizinhos, que o encontraram no chão de seu jardim com uma corda atada ao pescoço. Em estado de embriaguez, Dodoi queixava-se furioso: "Nem sequer se pode morrer neste país".
De acordo com o jornal "Adevarul", o fracassado suicida, da cidade de Sulita, no Estado de Botosani (na Romênia), foi levado ao hospital e, depois que se recuperou, Dodoi ficou violento e pediu às pessoas que o atendiam para levá-lo ao Escritório de Defesa do Consumidor para reclamar de quem lhe vendeu "uma corda de tão péssima qualidade". 
/* Atualizacao do Google Analytics em 25 de Outubro 2009 */